Status de Vitamina D em gatos com cardiomiopatia

20 de abril de 2021

Ashley Jones, DVM, DACVIM (Cardiologia), Trillium Veterinary Cardiology

CARDIOLOGIA

Vitamina D é uma vitamina solúvel em gordura. A deficiência severa de vitamina D pode causar raquitismo ou osteomalacia, e até mesmo deficiência de vitamina D subclínica pode ter outros efeitos prejudiciais. Em humanos com doenças cardiovasculares, baixos níveis de vitamina D têm sido associados à enfermidades progressivas e desfechos piores. Os níveis de vitamina D em gatos, particularmente gatos com cardiomiopatia, ainda não foram bem estudados.

A forma biologicamente ativa de vitamina D é calcitriol (1, 25[OH]2D3). Cães e gatos devem obter precursores de vitamina D de sua dieta, pois não são capazes de converter precursores na pele em vitamina D com exposição à luz ultravioleta. Precursores dietéticos incluem colecalciferol (25[OH]D3; vitamina D3) obtidos através de fontes de alimentos animais e ergocalciferol (25[OH]D2; vitamina D2), de fontes baseadas em plantas. Gatos também formam um epímero C3 de vitamina D3 (3-epi). Este epímero também tem sido observado em humanos, ratos e cães, mas em níveis muito baixos. A avaliação do estado da vitamina D, nos gatos, é geralmente baseada nos precursores, já que o calcitriol é menos estável em circulação.

O objetivo principal de um estudo observacional transversal foi determinar se nível da vitamina D é menor em gatos com cardiomiopatia.

Como objetivo secundário, este estudo também avaliou se os níveis de vitamina D estavam associados a determinadas variáveis do paciente ou gravidade da cardiomiopatia.

Foram recrutados gatos com evidência ecocardiográfica de alargamento atrial esquerdo secundário a qualquer tipo de cardiomiopatia (n = 44), incluindo hipertrófico, restritivo, dilatado ou não classificado/não específico. Um grupo de gatos normais (n = 56) também foi inscrito para comparação. Todos os gatos tinham que ser alimentados principalmente com uma comida comercial de gato, e um histórico alimentar detalhado foi obtido para cada gato. Uma amostra de sangue venoso foi coletada de cada gato e submetida à medição de 25(OH)D, 25(OH)D e 3-epi. Apenas 25(OH)D e 3-epi foram incluídos na análise final; 25(OH)D ficou abaixo dos limites detectáveis para ambos os grupos.

O aumento da idade foi significativamente associado à diminuição dos níveis de 25(OH)D e aos níveis de vitamina D somados (ou seja, 25[OH]D combinados com 3-epi), enquanto o encurtamento fracionado ventricular esquerdo e os tempos de sobrevivência foram positivamente correlacionados com 25(OH)D e níveis de vitamina D somados. Gatos com cardiomiopatia apresentaram níveis de vitamina D significativamente menores. O grupo de cardiomiopatia apresentou maiores níveis estimados de ingestão de vitamina D dietética, mas não foi observada correlação entre os níveis de ingestão e soro de 25(OH)D, 3-epi ou níveis de vitamina D somados.

No geral, os gatos mais velhos apresentaram níveis mais baixos de vitamina D. Além disso, os níveis de vitamina D foram mais baixos em gatos com cardiomiopatia em comparação com gatos normais. Ambos os níveis de 25(OH)D e de vitamina D somado foram positivamente associados ao encurtamento fracionado e ao tempo de sobrevivência. Nota-se que houve níveis substanciais do metabólito epi-3 detectados em ambos os grupos de gatos, sugerindo que este metabólito é importante nesta espécie, e a soma da vitamina D pode ser um índice clínico potencialmente mais útil para avaliação do estado da vitamina D em gatos em comparação apenas com 25(OH)D.

… AOS SEUS PACIENTES

Pérolas-chave para colocar em prática:

1

Tanto a vitamina D quanto seu epímero C3 (3-epi) podem ser medidos em gatos, e os níveis de 3 epi parecem ser mais elevados em gatos em comparação com humanos e cães.

2

A idade parece ter um efeito significativo nos níveis de vitamina D em gatos, e níveis mais baixos podem ser observados em gatos mais velhos, independentemente do estado de cardiomiopatia.

 

3

A vitamina D e a soma da vitamina D e 3-epi parecem estar positivamente correlacionadas com a sobrevivência; Níveis mais baixos podem ser observados em gatos com cardiomiopatia mais avançada e insuficiência cardíaca congestiva.

Leitura sugerida:

Ware WA, Freeman LM, Rush JE, Ward JL, Makowski AJ, Zhang M. Vitamin D status in cats with cardiomyopathy. J Vet Intern Med. 2020;34(4):1389-1398.

Fonte: Vitamin D Status in Cats with Cardiomyopathy | Clinician’s Brief

 

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd