Quantos anos tem o seu paciente canino em anos humanos?

12 de julho de 2020

Novo método mostra que não devemos simplesmente multiplicar por 7.

Convencionou-se dizer que um ano na vida de um cão corresponde a sete anos de um humano. Porém, em um estudo publicado neste mês, na revista Cell Systems, cientistas dizem que o cálculo está errado.

Para chegar a uma comparação acurada, os pesquisadores criaram uma fórmula mais precisa, com base nas mudanças químicas no DNA à medida que os organismos dos cachorros envelhecem.

Os cães compartilham o mesmo ambiente que seus tutores e recebem quase o mesmo padrão de cuidados de saúde que os humanos, oferecendo assim uma oportunidade única para os cientistas entenderem o envelhecimento entre as espécies.
Assim como os seres humanos, os cachorros seguem trajetórias de desenvolvimento que os tornam mais suscetíveis a doenças relacionadas à idade. No entanto, a maneira como envelhecem em nível molecular é mais complicada — o processo ocorre rapidamente no início da vida e desacelera com o passar do tempo.
“Em termos de quão fisiologicamente maduro um cão de 1 ano de idade é, basta lembrar que uma cadela de 9 meses pode ter filhotes. Imediatamente, se fizer as contas, perceberá que isso não corresponde a apenas sete anos humanos”, diz o autor sênior, Trey Ideker, da Universidade da Califórnia, San Diego. “O que é surpreendente é exatamente quantos anos um cão de 1 ano tem — a idade equivale à de um humano de 30 anos.”

“Rugas”

O DNA humano, que codifica quem somos, não muda muito ao longo da vida, mas as marcas químicas no material genético, chamadas marcas de metilação, alteram-se. Ideker as considera como “rugas” no genoma. “Eu costumo pensar nisso como quando você olha para o rosto de alguém e adivinha a idade dele com base nas rugas, cabelos grisalhos e outras características”, diz.
Os pesquisadores estudaram 104 filhotes de labrador, desde cães de poucas semanas a cachorros de 16 anos, com a ajuda de duas especialistas, Danika Bannasch, da Universidade da Califórnia, e Elaine Ostrander, do National Institutes of Health. Eles compararam as mudanças no padrão de metilação com as dos seres humanos.
A comparação revelou uma nova fórmula, com logaritmo (ln) que melhor combina com os estágios da vida canino-humana e chagaram a esta fórmula – idade humana equivalente= 16 ln (idade do cão) + 31.
Com base nessa função, um cão de 8 semanas de vida tem aproximadamente a idade de um bebê de 9 meses, ambos estando na fase infantil em que tanto filhotes quanto crianças desenvolvem os dentes. A vida útil média de 12 anos dos labradores também corresponde à expectativa de vida global dos seres humanos, 70 anos.
Exemplo:  16(Logaritmo 12) + 31 = 70 anos de equivalência na idade humana.
 Em ambas as espécies, os cientistas descobriram que a metilação causada pela idade ocorre em grande parte em genes do desenvolvimento que regulam o crescimento infantil.
A metodologia criada pela equipe poderá medir a idade e os estados fisiológicos em diferentes espécies. Quanto aos cachorros, Ideker observa que futuras pesquisas em diferentes raças de cães, com expectativa de vida variadas poderiam fornecer mais informações sobre o relógio biológico canino.
A fórmula pode não apenas servir como uma ferramenta para entender o envelhecimento entre espécies, mas também aplica-se como prática clínica para os veterinários tomarem medidas proativas no tratamento de animais.
Estudo abordado neste matéria:
Tina Wang, Jianzhu Ma, Andrew N. Hogan, Samson Fong, Katherine Licon, Brian Tsui, Jason F. Kreisberg, Peter D. Adams, Anne-Ruxandra Carvunis, Danika L. Bannasch, Elaine A. Ostrander, Trey Ideker. Quantitative Translation of Dog-to-Human Aging by Conserved Remodeling of the DNA MethylomeCell Systems, 2020; DOI: 10.1016/j.cels.2020.06.006

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd
Bitnami