Por que as campanhas para a guarda responsável de cães muitas vezes não atingem seus objetivos?

25 de julho de 2020

Um novo relatório Universidade de Liverpool sugere que as campanhas de bem-estar animal que tentam dizer às pessoas como ser “donos responsáveis” não estão ajudando a promover uma real mudança de comportamento.

Todos os donos de cães que foram entrevistados para este estudo, publicado na revista Anthrozoös, se consideravam donos responsáveis, apesar de identificarem uma grande variação nos aspectos principais de seu comportamento como donos de cachorros.

“As mensagens usadas em campanhas relacionadas à guarda e ao bem-estar de cães tendem a se concentrar no conceito de ser um proprietário responsável. No entanto, embora a “guarda responsável de cães’ tenha um apelo considerável como conceito, como ela é percebida e interpretada pelos donos de cães ainda não foi estudado a fundo”, explica a pesquisadora principal Dra. Carri Westgarth, especialista em comportamento canino na Universidade de Liverpool.

A fim de entender melhor as crenças e os pontos de vista sobre a responsabilidade na guarda de cães, os pesquisadores realizaram entrevistas aprofundadas com famílias donas de cães e entrevistas mais curtas com donos de cães enquanto passeavam com seus cães ou quando exibiam seu animal em uma exposição de cães. As entrevistas focavam em aspectos como as caminhadas com  os cães, uma questão percebida como um componente importante da guarda responsável, além de outros aspectos inseridos em mensagens de campanha, como recolher as fezes, agressão, esterilização e etc.

A Dra. Westgarth também refletiu sobre suas próprias experiências de passear com seus três cães e sobre suas muitas conversas com outros proprietários durante o período de estudo, que durou dois anos.

Westgarth disse: “Está claro em nossa pesquisa que a “guarda responsável de cães” significa coisas diferentes, para pessoas diferentes, em momentos diferentes. Ela surge de uma intersecção ainda nebulosa entre as necessidades dos cães, dos proprietários e dos outros, onde frequentemente o cão vem primeiro.

“Os donos de cães fazem o que consideram melhor para o seu cão, mesmo que isso vá contra o conselho geral, como a frequência com que os cães precisam de passeios ou sobre a necessidade ou não de esterilização”.

“No entanto, essa percepção pode ser diferente do que os outros acham sobre o que é melhor para o cão, ou como as pessoas que tem contato com o cão querem que ele e seu dono se comportem.

“Portanto, simplesmente dizer aos proprietários que eles devem ‘ser responsáveis’ é muito limitado para promover a mudança de comportamento, porque eles já acreditam que são. Todas as mensagens educacionais para os donos de cães precisam ser específicas sobre o que realmente queremos que os donos façam e devem explicar o porque isso é melhor para o interesse do cachorro que ele tanto ama “.

Os autores do relatório dizem que agora são necessárias pesquisas mais aprofundadas para entender as implicações e os aspectos mais amplos relacionados às práticas de guarda responsável de cães.

Fonte: Universidade de Liverpool

Referência do estudo mencionado na matéria:

  1. Carri Westgarth, Robert M Christley, Garry Marvin, Elizabeth Perkins. The Responsible Dog Owner: The Construction of ResponsibilityAnthrozoös, 2019; 32 (5): 631 DOI: 10.1080/08927936.2019.1645506

 

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd
Bitnami