Canil clandestino medicava cães em SP com remédios vencidos há 10 anos

11 de maio de 2020

Por G1 Santos

Policiais da Delegacia de Itariri, no interior de São Paulo, descobriram um canil clandestino na área rural da cidade. Os policiais chegaram ao local depois de uma denúncia anônima de maus-tratos. No espaço, estavam gatos e cachorros. Foram encontrados ainda medicamentos e vacinas vencidas.

De acordo com o delegado Arilson Veras Brandão, a Polícia Civil de Itariri recebeu, há cerca de uma semana, uma denúncia anônima sobre maus-tratos de animais em um canil irregular. Em seguida, as equipes iniciaram uma investigação preliminar, que contou com um voo aéreo no local.

Com as diligências, os policiais identificaram que o canil funcionava na Estrada Laranjeiras, no bairro Ana Dias, e no sábado (9), cumpriram o mandado de busca e apreensão familiar, emitido pelo Juízo da Vara Única de Itariri, no intuito de constatar a denúncia sobre os maus-tratos ocorridos naquele local.

Segundo o delegado, a operação policial teve apoio dos servidores da vigilância sanitária da cidade e da equipe do projeto ‘Anjinhos da Rua’, o qual contava com a presença de um médico veterinário.

Conforme explica Brandão, durante as diligências, os veterinários que acompanhavam as autoridades policiais constataram que a maior parte dos animais estavam em boas condições físicas e de tratamento, porém foram encontradas irregularidades.

Cinco gatos e dois cachorros estavam em situação de maus-tratos. Os animais foram apreendidos e levados a unidade do projeto ‘Anjinhos da Rua’, para que sejam medicados e bem cuidados.

“Os gatos tinham doenças nos olhos e um deles precisava passar por procedimento cirúrgico de emergência. Os dois cachorros estavam com problemas de pele, na gengiva e com fungos. Maiores detalhes só teremos com o laudo do veterinário”, explicou o delegado ao G1.

Segundo a Polícia Civil, foi constatado que não há nenhum alvará de funcionamento de canil ou de clínica veterinária no local. Além disso, foi identificado também que dentro da estrutura de clínica veterinária eram realizados procedimentos cirúrgicos, tais como castrações e outras intervenções médicas, porém os medicamentos e utensílios estocados, como vacinas e antibióticos, estavam com prazo de vencimento já expirado há mais de 10 anos, em alguns casos.

A identificação das irregularidades fez com que o local fosse fechado. Conforme afirma Brandão, a polícia qualificou o veterinário responsável pelo canil e comunicou o Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo para instauração de processo disciplinar.

Segundo a Polícia Civil, a vigilância sanitária também aplicou multas no estabelecimento, sendo que outras multas podem vir a ser aplicadas devido aos maus-tratos, inclusive por parte da Polícia Militar Ambiental. Cada multa pode variar de R$ 2 a R$ 3 mil reais por animal maltratado.

Diante dos fatos, o delegado Arilson Brandão instaurou o procedimento criminal em detrimento do suspeito, que será enviado para análise da Justiça. O caso foi registrado como prática de ato de abuso a animais na Delegacia de Polícia de Itariri.

Conforme registrado no boletim de ocorrência, os investigados afirmaram que o canil não realiza mais vendas de animais e, atualmente, apenas realiza a doação desses bichos. “Quem comprou algum animal nesse canil e o pet apresentou doenças genéticas, pode procurar a nossa delegacia nos dias úteis das 9h às 18h, uma vez que há relatos de animais com doenças genéticas que foram vendidos pelo local”, finaliza o delegado.

O G1 não localizou a defesa dos investigados até a última atualização desta reportagem.

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd
Bitnami