Cães denunciam pessoas com Covid-19 em um dos principais aeroportos da Flórida

15 de setembro de 2021

Quem viajar em breve aos Estados Unidos chegando através de um dos principais aeroportos da Flórida possivelmente terá a experiência de ser escaneado não apenas pelos equipamentos de raio-x, mas também por cães K-9.

Como parte de seu esforço contínuo para ajudar a impedir a disseminação da COVID-19, o Aeroporto Internacional de Miami (MIA) agora está recebendo ajuda de alguns novos amigos peludos: cães detectores especialmente treinados com protocolos criados pelo Global Forensic and Justice Center (GFJC) da Florida International University (FIU).

O Departamento de Aviação do condado de Miami-Dade fez parceria com o GFJC na FIU e a American Airlines para sediar um programa-piloto de 30 dias de cães detectores de COVID-19 no MIA, tornando-o o primeiro aeroporto dos EUA a testar cães farejadores de COVID. Por enquanto, nos testes os cães são colocados apenas em um posto de controle de segurança de funcionários, e não de passageiros.

Os cães detectores têm potencial para detecção e resposta imediata ao vírus em espaços públicos, como aeroportos. Depois de centenas de sessões de treinamento no Campus Modesto Maidique da FIU em Miami durante este ano, os cães detectores alcançaram taxas de precisão de 96% a 99% de acerto para a detecção de COVID-19.

Após o término do programa piloto neste mês de setembro, a FIU continuará a trabalhar na precisão e especificidade dos cães, o que ajudará na detecção até mesmo da variante do coronavírus, seguindo métodos validados cientificamente.

Os dois cães do programa-piloto do MIA, de nomes Cobra (um Malinois belga) e One Betta (um pastor holandês), foram treinados para alertar para o cheiro da COVID-19. O vírus causa alterações metabólicas em uma pessoa que resultam na produção de compostos orgânicos voláteis (COVs). Os COVs são excretados pela respiração e pelo suor de uma pessoa, produzindo um cheiro que cães treinados podem detectar.

As alterações metabólicas são comuns a todas as pessoas, independentemente de seus cheiros individuais. Se um cão indicar que um indivíduo é portador do odor do vírus, essa pessoa é orientada a fazer um teste rápido de COVID.

Numerosos estudos demonstraram que os cães detectores são uma das ferramentas mais confiáveis disponíveis para identificar substâncias com base nos odores que emitem. Estudos anteriores incluem a demonstração de que cães detectores podem detectar com segurança pessoas que têm doenças, como diabetes, epilepsia e certos tipos de câncer. Cães detectores são usados há muito tempo por agências federais e locais do MIA para detectar moedas proibidas, drogas, explosivos e agricultura.

Informações do Aeroporto Internacional de Miami

Fonte:https://www.aeroin.net/caes-denunciam-pessoas-com-covid-19-em-um-dos-principais-aeroportos-da-florida/

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd