Blog – Você sabe a importância de se realizar estágios? | Vetsapiens

Blog – Você sabe a importância de se realizar estágios?

23 de fevereiro de 2023

Autora Rosangela Gebara 

Durante 5 anos de estudos ininterruptos assistimos centenas de aulas, recebemos milhares de informações científicas, participamos de dezenas de aulas práticas e simulações e frequentamos inúmeros laboratórios

Mas infelizmente nem sempre temos oportunidade de vivenciar na prática uma situação verdadeira que necessita de cuidados veterinários com um animal real.

Assim como nem sempre temos a oportunidade de praticar uma comunicação assertiva com tutores, de enfrentar os desafios emocionais de lidar com situações complexas e emergenciais. 

Muitas experiências importantes para nossa formação só são aprendidas de fato quando colocamos a “mão na massa“.

E para isso precisamos fazer estágios, onde teremos a oportunidade de experienciar situações reais, em locais reais, com tutores reais e ainda com o acompanhamento e apoio de profissionais renomados.

O que traz mais conhecimento e segurança para nossa futura prática profissional. Tudo isso de maneira coordenada e segura, amparada por um arcabouço legal que nos protege. 

Por estes motivos, assim como em outras carreiras médicas, o estágio obrigatório em Medicina Veterinária foi regulamentado pelo MEC em 2019, apesar de existir regulamentações pelo CFMV desde 2003.  

O estágio em medicina veterinária, na área de pequenos animais, pode ser feito em clínicas veterinárias, abrigos, ONGs, laboratórios, departamentos públicos, órgãos de vigilância sanitária, hospitais e diversos outros estabelecimentos.

Desde que estes tenham um profissional capacitado para acompanhar integralmente o estagiário e que o plano proposto seja validado pela universidade do aluno e siga as regras impostas pelo MEC e CFMV. 

Em alguns locais, mais concorridos, principalmente em grandes hospitais, hospitais-escolas vinculados a universidades ou em departamentos públicos, pode existir um processo seletivo para a escolha do estagiário.

E lembre-se, os estágios não obrigatórios podem começar a partir do 1º semestre do curso e os chamados “obrigatórios” são realizados nos 2 últimos semestres do curso.

Qual a principal função do estágio de medicina veterinária? 

O principal objetivo é permitir que o aluno vivencie situações reais, aprenda condutas e treine habilidades.

E os estágios ajudam o estudante ou o recém-formado a:

  • Lidar com diferentes tutores, diferentes casos clínicos e animais diversos;
  • Identificar e diagnosticar patologias;
  • Criar mais desenvoltura e rapidez no atendimento; 
  • Adquirir uma visão clínica mais apurada;
  • Desenvolver habilidades de comunicação exigidas pelo mercado;
  • Melhorar o raciocínio lógico;
  • Lidar com situações estressantes e que requer decisões e atitudes mais rápidas.

Além de tudo isso, esse período te possibilita estar em uma clínica ou hospital com outros profissionais, aumentando seu networking e ainda pode te ajudar a abrir portas para uma futura contratação. 

Os estagiários podem auxiliar o clínico, cirurgião veterinário e/ou especialista em diversas atividades, como: 

  • Anamnese:  entrevista feita com o tutor sobre o animal;
  • Exame clínico: na aferição de temperatura e pressão, apalpação, verificação de mucosas;
  • Preenchimento de prontuários e receituários, com supervisão;
  • Pequenos procedimentos: contenção, coleta de sangue, auxílio na realização de ultrassonografias, citologias, aplicação de medicamentos etc.
  • Cirurgias e Anestesias: auxiliar o cirurgião ou anestesista, no pré trans e pós-operatório. 
  • Internação: auxiliar no cuidado com os animais internados 

Como conseguir estágio em veterinária?

Para conquistar o estágio em medicina veterinária, você deve em primeiro lugar fazer uma pesquisa dos locais que oferecem estágio na sua área e na sua cidade, e se puder e tiver condições de viajar, pesquise em outros estados ou países.

Converse com colegas que estão fazendo ou que já fizeram estágio e com professores, eles podem te indicar bons locais relacionado a área que tem mais afinidade. 

Após fazer esse levantamento e pesquisa com pessoas próximas, entre em contato via e-mail ou telefone para pedir mais informações e saber como se dá o processo de solicitação do estágio, datas, editais etc.  

Você pode consultar no departamento acadêmico de sua faculdade, quais são as regras de estágio no HOVET ou nos laboratórios da instituição ou se possuem convênio com outras faculdades ou hospitais.

Faça uma busca em sites que oferecem vagas de estágio para a área de veterinária, como por exemplo CIEE, Nube, Catho e Vagas e procure também em sites internacionais, como por exemplo, Go Overseas, Intern Abroad, entre outros.

Lei do estágio 

Importante sabermos que desde 2008 existe uma legislação que regulamenta a atividade de estágio. A Lei nº 11.788/2008, define o estágio como o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo do estudante. 

E em 2019, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) junto ao Ministério da Educação (MEC) homologou as novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) do curso de graduação de Medicina Veterinária.

Um dos principais avanços desta diretriz foi a exigência do trabalho prático dos estudantes nos últimos dois semestres do curso, o chamado estágio obrigatório.

As principais propostas regulamentadas para o estágio obrigatório nos cursos de medicina veterinária brasileiros estão nesta parte do documento:

“A formação do Médico Veterinário incluirá, como etapa integrante da graduação, estágio curricular obrigatório de formação em serviço, em regime intensivo e exclusivo, nos dois últimos semestres do curso.
a) A carga horária mínima do estágio em formação em serviço deverá constar no Projeto Pedagógico do Curso (PPC), com um percentual da carga horária total do Curso de Graduação em Medicina Veterinária, sob supervisão direta e orientação docente;
b) 50% (cinquenta por cento) da carga horária do estágio curricular obrigatório deverá ser desenvolvida em serviços próprios da Instituição de Educação Superior (IES), com distribuição equilibrada de carga horária, a fim de atender aspectos essenciais das áreas de saúde animal, clínicas médica e cirúrgica veterinárias, medicina veterinária preventiva, saúde pública, zootecnia, produção e reprodução animal e inspeção e tecnologia de produtos de origem animal;
c) Por se tratar de atividades eminentemente práticas, devem contar com a presença permanente do docente orientador ou supervisor em uma relação estudantes/docente definida no PPC, de modo a torná-las exequíveis e com boa qualidade;
d) A carga horária teórica não poderá exceder 10% (dez por cento) da carga horária destinada a cada área de estágio; e
e) A carga horária restante prevista para o estágio curricular da Graduação em Medicina Veterinária poderá ser desenvolvido fora da IES, em instituição/empresa credenciada, sob orientação docente e supervisão local, devendo apresentar programa de atividades previamente definido;”
Fonte: página 9, Parecer CNE/CES nº 70/2019, aprovado em 23 de janeiro de 2019

Para falar sobre estágio em medicina veterinária nos Hospitais do Pet Care entrevistamos a Dra. Sibele Konno, diretora médica do Grupo Pet Care. 

Vetsapiens: 1. Dra. Sibele, quão importante foi para sua carreira fazer estágios em diferentes locais?

Dra. Sibele: Foi determinante na minha escolha de área (Clínica de Pequenos Animais), em oportunidades de trabalho e no networking.

Cada local de estágio foi um aprendizado diferente, seja técnico ou de relacionamento. O material mais rico que tem nos estágios é a troca e as relações humanas.

Neles aprendi que nem sempre a prática e a teoria andam juntas, que os dilemas éticos não são tão fáceis de se decidir, que um sorriso e um copo de água valem mais que uma receita médica e que independente da área, trabalhar muito e estudar bastante fazem parte do desafio de ser veterinário.

Vetsapiens: 2. Como um aluno pode solicitar estágio no Pet Care? Em quais áreas ele pode estagiar e por quanto tempo?

Dra. Sibele: Aqui no Pet Care temos dois tipos de estágios: um que é oferecido a alunos de graduação em áreas específicas (Setor de Imagem, Internação, Atendimento).

Neste tipo de estágio, existe um contrato e remuneração pelo trabalho. A escolha destes estagiários é feita pelo setor de Gestão de Pessoas e os alunos podem se inscrever através do CIEE. 

O outro tipo de estágio é o obrigatório ou curricular, geralmente de alunos no último semestre ou ano do curso de Medicina Veterinária.

Os estagiários permanecem na rotina clínica de atendimento e internação, com possibilidade de acompanhar exames de imagem (ultrassom, radiografia, tomografia), rotina cirúrgica e acompanhamento de especialidades.

O aluno pode solicitar através do nosso site, enviando além do currículo, a carta de recomendação de um professor, carta de solicitação da faculdade entre outros documentos. 

Vetsapiens: 3. Quais são os requisitos mínimos para conseguir este estágio?

Dra. Sibele: Ser um bom aluno, demonstrar interesse e ter boas recomendações dos professores. Hoje em dia, temos vagas limitadas para estagiários em nossas unidades, por isso, ser organizado, persistente e aberto a opções também ajuda muito.

Vetsapiens: 4. O que o Pet Care procura em um estagiário?

Dra. Sibele: Procuramos pessoas interessadas em aprender e com opções abertas de como querem se desenvolver. Discrição, estar presente, ser pontual e assíduo também são características desejáveis.

Vetsapiens: 5. Quais são as principais regras de boa conduta que um estagiário deve ter durante seu estágio?

Dra. Sibele: Utilizar uniforme sempre limpo e passado, cabelos presos e uma boa apresentação são condições importantes no dia a dia.

Respeito aos colegas, clientes, funcionários, animais e ao patrimônio do hospital são imprescindíveis. A pontualidade, assiduidade e disciplina são características favoráveis. 

Vetsapiens: 6. Quais são, em sua opinião, as principais características de um bom estagiário?

Dra. Sibele: Acredito que humildade para aprender, curiosidade para descobrir novidades e adaptabilidade a diferentes situações são as principais características.

Para um bom ser humano também não pode faltar humanidade e empatia, respeito ao próximo e cordialidade. 

Vetsapiens: 7. E por último, quais dicas você daria a um aluno de medicina veterinária que queira seguir a área de pequenos animais para obter sucesso profissional?

Dra. Sibele: Estudar muito e nunca tomar nenhuma verdade absoluta. Pois todos os trabalhos científicos têm alguns vieses. 

Lembrar que as ciências básicas: Fisiologia, Histologia, Bioquímica, Imunologia, Farmacologia são muito importantes para o conhecimento, tratamento e entendimento de cada paciente.

Lembrando que cada paciente é único e é um conjunto de histórias (locais que já frequentou, medicamentos que já tomou) e de vivências que o tutor é o guardião e cabe a nós Médicos Veterinários desvendar.

E que aprender a cuidar é muito mais importante que tratar.

Aprendam a se comunicar de maneira eficiente. Isso é primordial quando se trata de cuidar de clientes.

E também aproveitem esse tempo antes de ingressar no mercado de trabalho para entender um pouco de administração e finanças pessoais. 

São ferramentas ótimas e diferenciais para um ótimo profissional.

Lembrando que um bom veterinário mesmo atuando na área, sempre precisa estar se atualizando, fortalecendo os conhecimentos obtidos no decorrer do curso e do cumprimento do estágio.

Então, é essencial que os estudantes que procuram uma oportunidade de estágio na profissão, também estejam com os saberes em dia para estarem prontos no ato da candidatura.

Portanto, para reforçar aprendizados técnicos, realizar consultas rápidas, verificar bulários, utilizar nossas calculadoras, cadastre-se gratuitamente na Vetsapiens!

 

Referências: 

Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs)

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.

©2024 Vetsapiens. Todos os direitos reservados.
Proibida reprodução total ou parcial deste website sem autorização prévia.