10 raças de cachorros que não existem mais

9 de maio de 2022
noticia- racas extintas
POR FERNANDA DRUMOND

Não são só animais selvagens que acabam extintos, raças inteiras de cães domésticos já desapareceram completamente do planeta. Embora a seleção natural tenha influenciado no processo, a ação e a negligência humana foram as principais causas de grande parte dessas extinções.

A maioria das raças que desapareceram foi desenvolvida por humanos, através de cruzamentos, para uma tarefa específica. Porém, quando a função deixava de ser necessária, acabavam perdendo a popularidade e sendo substituídos por outros tipos de cachorros.

Quer saber mais sobre esse processo? Conheça 10 raças que uma vez existiram, mas desapareceram.

1.  Rastreador russo

Esses cães grandes foram criados na Rússia e usados ​​por fazendeiros do Cáucaso para proteger o gado. A partir deles, foram criados os golden retrievers. A raça foi extinta aproximadamente no ano de 1800.

2. Coton de reunion

O coton de reunion é o ancestral do bichon frisé e do maltês. Supõe-se que uma raça similar tenha sido levada para a pequena ilha africana de Reunions por marinheiros da França e, ao acasalar com cães nativos, tenha originado o pequeno cachorro de pelagem branca e macia como algodão. O animal foi perdendo popularidade com a abertura do Canal de Suez em 1869, fazendo com que desaparecesse.

3. Dogo cubano

Originário de Cuba, o dogo cubano era um cão pesado, de grande porte, utilizado para guarda e rinhas, inclusive com touros. No entanto, à medida que as lutas de cachorros se tornaram cada vez mais impopulares, a raça foi deixada de lado até desaparecesse no início do século 20.

Ilustração de um dogo cubano no livro The Animal Kingdom Illustrated (1885) (Foto: Domínio Público / WikimediaCommons / CreativeCommons)

Ilustração de um dogo cubano no livro The Animal Kingdom Illustrated (1885) (Foto: Domínio Público/ WikimediaCommons/ CreativeCommons)

4.  Paisley terrier

Muito popular na Escócia, o paisley terrier foi desenvolvido para ser uma variação menor do cão skye terrier. Originário da Grã-Bretanha, foi pensado para ser um cachorro de estimação, mas também de exposição. Contudo, foi extinto quando a demanda por raças de mostras diminuiu bruscamente. Dele descende o yorkshire terrier.

Ilustração de um Paisley Terrier no livro
Ilustração de um Paisley Terrier no livro “British Dogs, Their Points, Selection, and Show Preparation” (1903) (Foto: Domínio Público/ WikimediaCommons/ CreativeCommons)

5 – Kuri

O cão kuri foi levado para a Nova Zelândia por volta do século 14, provavelmente da Polinésia Oriental. Estima-se que era o companheiro preferido das mulheres maoris. Eram cachorros pequenos e de pelo branco. Embora não se saiba exatamente por qual motivo foram extintos, relatos históricos informam que serviam de alimentos para colonizadores ingleses, além de terem cruzado com outras raças europeias, gerando derivações predominantes.

Hoje é possível encontrar alguns cachorros da raça kuri empalhados em museus da Oceania e Europa (Foto: Domínio Público / WikimediaCommons / CreativeCommons)
Hoje, é possível encontrar alguns cachorros da raça kuri empalhados em museus da Oceania e Europa (Foto: Domínio Público/ WikimediaCommons/ CreativeCommons)

6. Molossus

A raça de grande porte e adorada por romanos e gregos foi a antecessora da mastiff, são bernardo e dogue alemão. Acredita-se que esses cães tenham sido usados ​​para caça, pastoreio e lutas. Aristóteles, inclusive, cita sua afeição pelo animal, que também era inteligente, em um de seus escritos: A História dos Animais.

7. Talbot

Este cão rastreador de pelo branco era símbolo de status na Idade Média, visto que muitos brasões de família apresentam sua imagem. Alguns historiadores acreditam que Guilherme, o Conquistador, levou o cachorro para a Inglaterra em 1066. Apesar de lenta, a raça possuía um olfato apurado. Contudo, estima-se que foi extinta por volta do século 16. O cão beagle foi identificada como descendente do talbot.

Embora a raça tenha desaparecido há muitos anos, sua imagem continua sendo símbolo de muitos estabelecimentos no Reino Unido (Foto: P L Chadwick / Wikimedia Commons / CreativeCommons)

Embora a raça tenha desaparecido há muitos anos, sua imagem continua sendo símbolo de muitos estabelecimentos no Reino Unido (Foto: P L Chadwick/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons)

8. Bullenbeisser

A bullenbeisser foi uma raça de origem alemã, também conhecida como buldogue alemão, de cães fortes e ágeis. Seu nome original significa “mordedor de touro”. No final da década de 1870, os cachorros foram cruzados com buldogues ingleses, dando origem aos boxers. Aos poucos, foram perdendo a popularidade para seus descendentes, até que fossem extintos.

9. Cão de luta de Córdoba

Esta mistura, feita por humanos, de mastiff, bull ter,rier e buldogue, foi muito usada em rinhas na Argentina. Contudo, os cães tinham dificuldade de acasalar e acabavam se machucando. Por dificuldade na geração de descendentes, a raça acabou se extinguindo.

Um dos últimos exemplares do dogo de córdoba (Foto: Domínio Público / WikimediaCommons / CreativeCommons)
Um dos últimos exemplares do dogo de Córdoba (Foto: Domínio Público/ WikimediaCommons/ CreativeCommons)

10. Hawaiian Poi

O cão hawaiian poi foi levado para o Havaí por colonos polinésios, onde foi usado principalmente como alimento, bem como para rituais culturais e religiosos. Assim que os ocidentais começaram a se estabelecer no local, por volta do século 19, a raça foi misturada com várias outras, o que levou à sua extinção.

Fonte:https://revistacasaejardim.globo.com/Vida-de-Bicho/Racas/noticia/2022/05/10-racas-de-cachorros-que-nao-existem-mais.html

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.

©2022 Vetsapiens. Todos os direitos reservados.
Proibida reprodução total ou parcial deste website sem autorização prévia.

OneWeb