SHUNT EXTRA HEPÁTICO

Atendemos no hospital veterinário Pompéia uma maltês de 2 meses com histórico de convulsão. Após a realização de exames e USG com doppler foi diagnosticado SHUNT EXTRA HEPÁTICO. Os tutores estão em trâmites legais com o canil para resolver a parte financeira do procedimento cirúrgico. Existe algum tratamento coadjuvante que possa ser realizado até a cirurgia??

Responda a pergunta de Andressa Magalhães de Almeida

Não logado
Visitante
Inserir mais anexos

Há 3 respostas para esta pergunta

equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Resposta:
Oi Andressa, tomara que de tudo certo para fazerem a cirurgia, enquanto isto, vc pode usar algumas dicas do controle dos possíveis sintomas de encefalopatia hepática com alguns tratamentos recomendados na nossa consulta rápida sobre Shunt: https://vetsapiens.com/consultas-rapidas/shunt-portossistemico?search=shunt
Anexos: 0
17 de setembro de 2020 às 15:17
Nenhum anexo enviado.
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Resposta:
Oi Andressa, além das coisas já conhecidas como lactulose, metronidazol, e dieta outras coisas que podem auxiliar são: L-ornitina L-aspartato (LOLA): LOLA é um substrato para a produção de glutamato no músculo esquelético que permite a produção de glutamina. Tem sido usado com eficácia no tratamento da hiperamonemia em humanos e em alguns cães com EH. A dosagem relatada para casos leves de EH é de 0,616 g / kg / dia IV de IRC. Para casos graves de HE, LOLA foi administrado como infusão contínua em 0,154 g / kg / hr IV por 4 horas seguido de 0,03 g / kg / h IV por 20 horas. Em um estudo com 17 cães que receberam LOLA, 15 tiveram reduções significativas nos níveis de amônia e melhoraram os sinais clínicos. Acetato de zinco: a suplementação de zinco pode ser benéfica, pois o zinco é necessário para duas enzimas do ciclo da ureia. O acetato de zinco pode ser administrado em 1-3 mg / kg por dia PO. A dosagem é ajustada para manter os níveis sanguíneos em 200-500 µg / dL. Probióticos: os probióticos também podem ser considerados para ajudar a diminuir os níveis de amônia plasmática, modificando as populações bacterianas intestinais.
Anexos: 0
17 de setembro de 2020 às 15:42
Nenhum anexo enviado.
equipe
Maria Carolina Farrah Pappalardo
Moderador
Resposta:
Olá Andressa, se o paciente já tem manifestações neurológicas o uso da lactulona 0,5 ml/kg Bid e metronidazol em dose mais baixa 7,5 mg kg Bid são usados para controle da hiperamonemia. Nesses casos você pode usar a ração Hepatic ou Renal, no entanto a troca da ração é bastante discutida, pois a restrição protéica nessa idade pode comprometer o crescimento. Assim caso consiga controlar as alterações neurológicas com medicações ou o paciente não tenha hiperamonemia, a ração pode ser de manutenção para filhotes. Caso tenha hipoglicemia, a alimentação deve ser fracionada com intervalos de 2 a 4 horas em pequenos volumes.
Anexos: 0
18 de setembro de 2020 às 12:37
Nenhum anexo enviado.
Desenvolvido por logo-crowd