Edema bilateral em membros pelvicos

boa noite, gostaria de dividir com vocês a fim de ajuda para buscar diagnostico numa paciente SRD de 3 anos de idade que apresenta edema bilateral em membros pélvicos há mais de um ano, não responsivo a corticoideterapia. Realizou biospia incisional em colega e havia suspeita de linfangiossarcoma. Realizou linfangiotomo sem nenhum alteração. Paciente faz uso de Rutina, sem melhora do quadro. Fizemos nova biopsia que sugere dermatite hiperplasica, com focos de foliculite luminal neutrofilica e furunculose, severa, associada proliferacao de tecido de granulacao e marcante ectasia e edemaciacao intersticial tecidual. Vou postar foto dos membros e de alguns exames. Ela já passou por diversos veterinarios e nao conseguimos descobrir a causa desse edema. Gostaria de opinioes e experiencias de vocês do que poderia ser e do que poderiamos medicar e se há mais algum exame a ser realizado. Bioquimicos normais, exceto FAL discretamente aumentada. Albimuna normal. Ecg e ECO normais... Agradeço pela ajuda.

Responda a pergunta de Greice Cestari Huete

Não logado
Visitante
Inserir mais anexos

Há 14 respostas para esta pergunta

equipe
Rita Carmona
Equipe Vetsapiens
Resposta:
Oi Greice, realmente o quadro é bastante "instigante". As doenças neutrofílicas da pele, no caso aqui representada pela foliculite neutrofílica, constituem um grupo de doenças que podem ter com comprometimento cutâneo localizado, cutâneo generalizado e sistêmico. As principais são: síndrome de Sweet, pioderma gangrenoso, doença de Behçet e urticária neutrofílica, mais comumente vistas em pacientes humanos e normalmente são marcadoras de processos sistêmicos ou doenças neoplásicas. Pelo que vi no macroscópico, não consigo relacionar os achados cutâneos com esse edema. Parece-me que o edema que causa essa alteração cutânea. De qualquer maneira, vamos pedir a opinião de outros colegas.
Anexos: 0
9 de junho de 2020 às 18:10
Nenhum anexo enviado.
Tiago Cunha Ferreira
Resposta:
Oi Greice, boa noite! -- De fato é um caso bem interessante. Diante de um quadro de edema de membros, eu seguiria as mesmas hipóteses diagnósticas, abordando principalmente Albumina e alterações cardíacas como prováveis alvos. Em ambas avaliações estando dentro dos padrões da normalidade, penso que devemos investigar um pouco mais. Baseado na alteração clínica (edema de membros), eu pensaria também em uma abordagem de processos de estase vascular e quadros de vasculite (que provocariam o extravasamento de líquidos). -- Referente à estase vascular, sugiro uma abordagem de possíveis filarídeos (não sei se Dirofilariose chega a ser uma doença endêmica na sua região), visto que esses vermes podem provocar alterações hepato/esplênicas (como pode-se observar na tomografia o aumento desses órgãos), culminando com a dificuldade de retorno venoso e edema em membros. Na ocasião, o teste Snap 4Dx pode te dar um norte com relação a essa doença. Não acredito que causas extraluminais de obstrução estejam presentes, visto que nada foi relatado na tomografia. -- Referente à abordagem da vasculite, tenho minhas dúvidas quanto a esta alteração devido à não resposta ao corticosteroide e Rutina. Contudo, penso que podemos ter o viés de: se a circulação no membro está prejudicada, será se os fármacos chegam em concentrações suficientes para estabelecer uma ação adequada? De qualquer forma, pode-se tentar abordagens localizadas, como uso de DMSO Gel (Vetnil), na tentativa da redução do edema. -- Fico no aguardo do desenrolar do caso clínico, assim como das considerações dos demais colegas.
Anexos: 0
10 de junho de 2020 às 00:03
Nenhum anexo enviado.
Greice Cestari Huete
Médico veterinário
Boa noite, muito obrigada pela resposta. Ela tem exame de Diro => negativo Eco e eletro tambem sem alteracoes...
10 de junho de 2020 às 18:21
Greice Cestari Huete
Médico veterinário
Vou falar com as veterinarias da clinica sobre o uso do DMGel. Ela e brava, mas como tem ficado de colar, elas estão conseguindo medicá-la.
10 de junho de 2020 às 18:23
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Oi Greice, você chegou a tentar a ivermectina?
4 de julho de 2020 às 22:31
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Resposta:
Oi Greice, Muito interessante este caso! Ela tem sinal de godet positivo nos membros? Vc acha que pode ser interessante investigar aquele linfonodo ilíaco direito que apresenta discreta alteração? Uma biopsia ou pelo menos citologia.
Anexos: 0
10 de junho de 2020 às 13:52
Nenhum anexo enviado.
Greice Cestari Huete
Médico veterinário
Oi Dra Paola, obrigada pela resposta. Citologia do linfonodo ilíaco não acho que seria possivel, pois acho que não teremos janela pelo exame ultrassonográfico desse linfonodo, o tamanho dele esta normal... a biopsia iria requerer uma abordagem bem invasiva, teríamos que abrir pelve, tendo muito risco pela localizacao... até conversei sobre isso com o oncologista chefe lá da clinica, mas acreditamos que isso trará muito risco e pelo tempo de evolução, esses linfonodos imagino que deveriam estar muito aumentados ou ter alguma neoplasia/má formação. O que não foi visto :-( O membro que esta muito mais edemaciado é o direito, o esquerdo tem muito discreto edema, a Rutina ajudou um pouco no direito, mas nao ficou normal. Tem Godet + sim... você chegou a ver a foto dos membros? Horrivel ... muito obrigada!
10 de junho de 2020 às 18:55
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Resposta:
Olá Greice, Vc já ouviu falar de Brugiose? Eu não tinha ouvido antes... mas fui dar uma pesquisada... é uma microfillaria que causa quadros de elefantíase (principalmente em gatos) e que aparentemente ocorre na América do Sul, o tratamento sugerido é ivermectina. 0,2 mg/kg uma vez por Semana por 2 meses, e recomendam a associação de Doxiciclina para controle da wolbachia (como na dirofilariose) e também falam de associação de dietilcarbamazina. O diagnóstico pode ser feito pela visualização da microfilaria no teste de Knott modificado e por PCR para a Brugia sp. Talvez o tratamento possa ser feito empiricamente...mas parece que o excesso de tecido talvez não volte ao normal. Só uma ideia...
Anexos: 0
11 de junho de 2020 às 03:28
Nenhum anexo enviado.
equipe
Rita Carmona
Equipe Vetsapiens
Nossa, nunca imaginei isso. Parece ser relativamente fácil como diagnóstico terapêutico. Ao menos a ivermectina seria.
11 de junho de 2020 às 20:06
Greice Cestari Huete
Médico veterinário
Dra Paola você conhece algum laboratorio que faça o PCR para Brugia?
3 de julho de 2020 às 15:17
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
Oi Greice, não conheço, mas estou aqui nos EUA no momento e vou perguntar por aqui.
4 de julho de 2020 às 22:33
equipe
Paola Lazaretti
Equipe Vetsapiens
4 de julho de 2020 às 22:51
Tiago Cunha Ferreira
Resposta:
Oi Greice, algum retorno do caso?
Anexos: 0
17 de junho de 2020 às 16:37
Nenhum anexo enviado.
Greice Cestari Huete
Médico veterinário
Bom dia, a paciente mora no interior. Ela vem hoje a tarde em retorno... mas estava do mesmo jeito até ultimas informações obtidas com o tutor.
19 de junho de 2020 às 09:37
Desenvolvido por logo-crowd