Impactação do saco anal

Dr Fernando Maschio

Ultima atualização: 06 JAN DE 2020

Nomenclatura (sinônimos)

Impactação das glândulas para-anais

Nome em inglês

  • Anal gland impaction
  • Anal sac impactation

Definição

A impactação do saco anal é o acumulo anormal de secreções do saco anal, que ocorre secundariamente à inflamação (saculite anal), infecção (abcesso do saco anal) ou obstrução do ducto.

 

Fisiopatologia

Em geral a impactação ocorre secundariamente a produção excessiva secreções e o acumulo na glândula promovendo uma inflamação e secundariamente a infecção.

Esta união de fatores pode promover também a formação de fístulas perianais.

Etiologia

A causa mais provável desta sucessão de acontecimentos é a obstrução do ducto, o mal funcionamento do mecanismo de esvaziamento da glândula pelo movimento do esfíncter e a superprodução de secreção glandular.

A disfunção do esfíncter anal pode estar relacionada a diarreia crônica, constipação e obesidade.

A super produção de secreção glandulares poder ter influência endócrinas, alérgicas, comportamentais e até mesmo idiopáticas.

 

Maior ocorrência (raça. idade, gênero, localização geográfica)

Espécie: Caninos e raras em felinos

Raças e idade:  cães de pequeno porte parecem ser mais predispostos, como Lhasa Apso, Shih Tzu, Maltês e Daschund, não havendo predisposição etária.

Achados de anamnese

Os tutores normalmente relatam uma irritação anal evidente (animal arrastando ao ânus no chão, lamber ou morder a base da cauda), perseguição constante da causa, mal cheiro e dor na região perianal.

Normalmente o histórico vêm acompanhado de diarreia recente.

Manifestações clínicas

Os sinais clínicos podem incluir edema e eritrema perianal, secreção purulenta ou fístulas, sensibilidade local.

A compressão manual pode promover a eliminação da secreção, porem em muitos casos a remoção do conteúdo é impossível.

Procedimentos diagnósticos

O diagnóstico pode ser baseado na anamnese, nos sinais clínicos, no exame retal e através de exames de imagem, estes são indicados à fim eliminar a possibilidade de neoplasias.

O fístulograma pode auxiliar na observação do trajeto fistular.

Diagnósticos diferencias

  • Neoplasias perineais
  • Dermatite alérgica
  • Hérnia perineal

Terapia inicial

Tratamento conservador: A eficácia do tratamento conservador vai depender da do estágio da doença.

Compressão manual, lavagem, antibióticos tópicos e modificação da dieta geralmente é eficaz para a maioria das afecções de saco anal.

Em casos de abcessos, estes devem der incisados, drenados e lavados. Em casos crônicos pode ser necessário a avaliação semanal.

Compressas quentes por 15 a 20 minutos pedem ser eficientes na diminuição da inflamação.

 

Tratamento cirúrgico: O fracasso no tratamento conservador é indicativo de saculectomia anal, contudo, o procedimento cirúrgico deve ser adiado até que a inflamação seja controlada. Ambos os sacos anais devem ser removidos, mesmo que somente um esteja acometido. 

 

 

Terapia de manutenção

Analgésicos sistêmicos devem ser administrados caso necessário.

A região perianal deve ser mantida sempre limpa, o colar elisabetano é indispensável tanto no tratamento clínico quanto cirúrgico.

O ajuste da dieta deve ser realizado, fornecendo alimentos ricos em fibras, diminuindo a possibilidade de constipação.

Prognóstico

A maioria dos casos são resolvidos através de tratamento clínico sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

Um fator que complica o prognóstico é a presença de fístula.

 

Literatura recomendada

BOJARB, M.J., Técnicas cirúrgicas de pequenos animais. 2. ed. Roca, Cap. 6, Intestinos, Reto e Ânus, p. 257-260. 1996

 

BONE, D.L. Surgical correcion of canine perineal disorders. Veterinary Medicine. v. 97, n. 2, p. 127-138, 1992.

 

BARAL, Randolph M. Doenças dos Intestinos. In: LITTLE, Susan E. O Gato – Medicina Interna. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Roca, 2018.

RADLINSKY M.G. Cirurgia do sistema digestório: infecção e impactação do saco anal. In: FOSSUM, T.W. Cirurgia de pequenos animais. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 565-568, 2014

 

NORSWORTHY, Gary D. Impactação e Infecção do Saco Anal. In: NORSWORTHY, Gary D.; CRYSTAL, Mitchell A.; GRACE, Sharon Fooshee; TILLEY, Larry P. O Paciente Felino. 2ª Edição. Barueri: Manole, 2004.

SLATTER, D. Manual de cirurgia veterinária de pequenos animais. 2. ed. Manole, 1998. Cap. 46: Afecções do Anus e Reto, p. 774-780.

 

 

 

Educação ao cliente

O saco anal são estruturas encontradas próximas ao ânus e têm como função armazenar uma substância pastosa e fétida produzida por glândulas próximas à ele.

Quando seu pet vai defecar, o movimento de saída das fezes promovem o esvaziamento natural dos sacos anais. 

A impactação do saco anal é o acumulo de grande quantidade de secreções no saco anal, sendo geralmente causado pela obstrução do ducto por onde esta substância saí.

Outra possível causa da impactação do saco anal é a superprodução de secreções que podem ser decorrentes de alterações hormonais, alérgicas ou até comportamentais. 

Ocorre principalmente em cães e é raro em gatos. Cães de pequeno porte parecem ser mais predispostos, como Lhasa Apso, Shih Tzu, Maltês e Daschund, não havendo predisposição etária.

Seu pet geralmente apresenta uma irritação anal evidente (animal arrastando ao ânus no chão, lamber ou morder a base da cauda), perseguição constante da causa, mal cheiro e dor na região perianal. 

 

O diagnóstico pode ser baseado na anamnese, nos sinais clínicos, no exame retal e através de exames de imagem, estes são indicados à fim eliminar a possibilidade de neoplasias. O fístulograma pode auxiliar na observação do trajeto fistular.

 O tratamento visa inicialmente promover o alívio ao seu pet, drenando o conteúdo do saco anal e diminuído a dor e incomodo. O tratamento conservador consiste em lavagem, aplicações de antibióticos tópicos e mudanças na alimentação. 

Caro tutor, a manipulação excessiva do s sacos anais visando promover a drenagem da substância pode promover a irritação e consequente inflamação do saco anal, portanto, evite “espremer a glândula” ou o esvaziamento do saco anal, assim como oriente os profissionais do banho e tosa, onde essa prática é comum, a fazer o mesmo.

A maioria dos casos são resolvidos através de tratamento clínico sem a necessidade de intervenção cirúrgica. Um fator complicador é a presença de fístula perianal.

.

Anexos referente a esta consulta rápida

Nenhum anexo disponível

O conteúdo deste site é para uso exclusivo e restrito dos associados. Apenas Médicos Veterinários graduados e estudantes de Medicina Veterinária são autorizados a acessar este site.

Não está permitida a divulgação de qualquer conteúdo sem a prévia autorização do Vetsapiens, por escrito. Os Médicos Veterinários são os únicos responsáveis pelo tratamento e cuidado de seus pacientes.

Quaisquer recomendações de colegas ou especialistas recebidas através deste site são meras opiniões individuais, e cada clínico é o exclusivo responsável pelo manejo de seus pacientes. Os fármacos e doses recomendadas ou calculadas no Vetsapiens devem ser sempre conferidos antes de sua aplicação.

Veterinários não devem utilizar medicações e ou protocolos com os quais não estejam familiarizados e confortáveis. O Vetsapiens preconiza que o encaminhamento para especialistas seja sempre a primeira recomendação dos clínicos gerais ao se depararem com casos clínicos além do seu conhecimento.

As imagens e informações trocadas neste site não substituem o exame físico do paciente, e a relação exclusiva entre veterinário-paciente-cliente. As imagens aqui postadas não podem ser consideradas de qualidade diagnóstica.

Toda e qualquer informação obtida neste site deve ser considerada apenas como uma sugestão individual e não tem qualquer valor diagnóstico.

Desenvolvido por logo-crowd