Diagnóstico diferencial para pacientes com Trombocitopenia

Dra Paola Lazaretti

Ultima atualização: 23 OUT DE 2020

Trombocitopenia hereditária

  • Macrotrombocitopenia Hereditária nas raças:
    • Cavalier King Charles spaniel
    • Norfolk  terrier
    • Cairn Terrier
    • Raças afetadas mais esporadicamente:
      • Bichons Frises 
      • Boxers 
      • Chihuahuas 
      • Spaniel Inglês miniatura
      • Havanese 
      • Jack Russell terrier 
      • Labradoodles 
      • Labrador retriever
      • Maltese
      • Poodles 
      • Shih tzus 
    • Macrotrombocitopenia hereditária resultante da anomalia de May-Hegglin (rara; relatada em um cruzamento de pug)
  • Trombocitopenia associada à raça
    • Akitas
    • Greyhounds
    • Outros cães de caça (por exemplo: whippets)

Diminuição da produção de plaquetas

    • Trombocitopenia amegacariocítica imune mediada adquirida
    • Hipoplasia ou aplasia de medula óssea
      • Associada a fármacos (Ex: quimioterápico, estrogênio, griseofulvina [em gatos], cloranfenicol, sulfadiazina)
      • Causa infecciosa (por exemplo, parvovírus canino, vírus da panleucopenia felina, FeLV, infecção crônica por Ehrlichia canis)
      • Outras causas menos comuns  
        • Exposição à radiação 
        • Produtos químicos
        • Micotoxinas, 
        • Toxinas vegetais
    • Hematopoiese cíclica do Collie cinza
    • Mieloftise 
      • Mielofibrose
      • Neoplasia linfóide, 
      • Neoplasia mieloide ou metastática)

Aumento no consumo de plaquetas

  • Coagulação intravascular disseminada
  • Envenenamento (por exemplo, picada de cobra)
  • Microangiopatia trombótica (por exemplo, púrpura trombocitopênica trombótica, síndrome hemolítica urêmica)
  • Vasculite

Aumento da perda de plaquetas

  • Hemorragia
    • Intoxicação por rodenticida anticoagulante
    • Trauma

Aumento do sequestro de plaquetas

  • Esplenomegalia (por exemplo, secundária à hipertensão)
  • Esplenomegalia com ou sem hepatomegalia (por exemplo, hipotermia, endotoxemia)
  • Outro acúmulo de sangue em algum órgão

Aumento na destruição de plaquetas

  • Trombocitopenia imunomediada
      • Primária (ou seja, nenhuma doença subjacente identificada)
      • Secundária (por exemplo, infecção, neoplasia, efeito associado a medicamentos)
  • Destruição de plaquetas não imunomediada 
    • Doença rickettsial
    • Anaplasmose
    • Erliquiose
    • Infecção por protozoários
    • Babesiose
    • Cytauxzoonosis
    • Salmonellosis,
    • Endotoxemia bacteriana
    • Toxoplasmose
    • Histoplasmose
    • Dirofilariose 
    • Bartonellose
    • Borreliose
    • Leptospirose
    • Salmonellose
    • Candidíase disseminada
    • Leishmaniose
    • Sepses
    • Medicamentos
    • Neoplasia
    • Síndrome hemofagocítica ou linfo-histiocitose 

Miscelâneas

  • Trombocitopenia por diluição (por exemplo, após transfusão maciça, particularmente de produtos pobres em plaquetas)
  • Trombocitopenia gestacional 
    • Ocorre em humanos, vacas e camundongos
    • Pode ocorrer em cães e gatos 

Pseudotrombocitopenia

  • EDTA 
  • Sobreposição de tamanho entre hemácias e plaquetas (dependendo da metodologia de contagem de plaquetas)
  • Formação de coágulo na amostra de sangue (bastante comum em gatos)

Referencias

  1. Bizzaro N. Pseudothrombocytopenia. In: Michelson AD, ed. Platelets. 3rd ed. St. Louis, MO: Elsevier; 2013:989-997.
  2. Caldin M, Zoia A, Tasca S, Furlanello T. Thrombocytopenia in Japanese Akita dogs. Vet Clin Pathol. 2016;45(3):397.
  3. Childress MO. Hematologic abnormalities in the small animal cancer patient. Vet Clin North Am Small Anim Pract. 2012;42(1):123-155.
  4. Cooper SA, Huang AA, Raskin RE, Weng HY, Scott-Moncrieff JC. Clinical data, clinicopathologic findings and outcome in dogs with amegakaryocytic thrombocytopenia and primary immune-mediated thrombocytopenia. J Small Anim Pract. 2016;57(3):142-147.
  5. Ellis J, Bell R, Barnes DC, Miller R. Prevalence and disease associations in feline thrombocytopenia: a retrospective study of 194 cases. J Small Anim Pract. 2018;59:531-538.
  6. Gelain ME, Bertazzolo W, Tutino G, Pogliani E, Cian F, Boudreaux MK. A novel point mutation in the β1-tubulin gene in asymptomatic macrothrombocytopenic Norfolk and Cairn Terriers. Vet Clin Pathol. 2014;43(3):317-321.
  7. Grindem CB, Breitschwerdt EB, Corbett WT, Jans HE. Epidemiologic survey of thrombocytopenia in dogs: a report on 987 cases. Vet Clin Pathol. 1991;20(2):38-43.
  8. Harvey JW. Evaluation of hemostasis: coagulation and platelet disorders. In: Harvey JW. Veterinary Hematology: A Diagnostic Guide and Color Atlas. St. Louis, MO: Elsevier Saunders; 2012:209-216.
  9. Jutkowitz LA, Rozanski EA, Moreau JA, Rush JE. Massive transfusion in dogs: 15 cases (1997-2001). J Am Vet Med Assoc. 2002;220(11):1664-1669.
  10. Sepulveda FE, de Saint Basile G. Hemophagocytic syndrome: primary forms and predisposing conditions. Curr Opin Immunol. 2017;49:20-26.
  11. Stockham SL, Scott MA. Platelets. In: Stockham SL, Scott MA. Fundamentals of Veterinary Clinical Pathology. 2nd ed. Ames, IA: Blackwell Publishing; 2008:233-243.
  12. Stokol T. Laboratory diagnosis of disseminated intravascular coagulation in dogs and cats: the past, the present, and the future. Vet Clin North Am Small Anim Pract. 2012;42(1):189-202.
  13. Zaldívar-López S, Marín LM, Iazbik MC, Westendorf-Stingle N, Hensley S, Couto CG. Clinical pathology of Greyhounds and other sighthounds. Vet Clin Pathol. 2011;40(4):414-425.
  14. VIN Associate Thrombocitopenia
  15. Clinicians Brief

 

Anexos referente a esta consulta rápida

Nenhum anexo disponível

O conteúdo deste site é para uso exclusivo e restrito dos associados. Apenas Médicos Veterinários graduados e estudantes de Medicina Veterinária são autorizados a acessar este site.

Não está permitida a divulgação de qualquer conteúdo sem a prévia autorização do Vetsapiens, por escrito. Os Médicos Veterinários são os únicos responsáveis pelo tratamento e cuidado de seus pacientes.

Quaisquer recomendações de colegas ou especialistas recebidas através deste site são meras opiniões individuais, e cada clínico é o exclusivo responsável pelo manejo de seus pacientes. Os fármacos e doses recomendadas ou calculadas no Vetsapiens devem ser sempre conferidos antes de sua aplicação.

Veterinários não devem utilizar medicações e ou protocolos com os quais não estejam familiarizados e confortáveis. O Vetsapiens preconiza que o encaminhamento para especialistas seja sempre a primeira recomendação dos clínicos gerais ao se depararem com casos clínicos além do seu conhecimento.

As imagens e informações trocadas neste site não substituem o exame físico do paciente, e a relação exclusiva entre veterinário-paciente-cliente. As imagens aqui postadas não podem ser consideradas de qualidade diagnóstica.

Toda e qualquer informação obtida neste site deve ser considerada apenas como uma sugestão individual e não tem qualquer valor diagnóstico.

Desenvolvido por logo-crowd