Informações

Princípio Ativo: Trazodona.
Classe terapêutica: Ansiolítico.

Dose

Cães: Doenças relacionadas a ansiedade: Dosagem inicial foi de 2,5 - 5 mg / kg VO a cada 12 a 24 horas por 3 dias, para permitir que os cães se tornassem tolerantes ao fármaco e evitassem possíveis efeitos colaterais gastrointestinais. Dosagem final média foi de 7,5 mg / kg / dia VO, independentemente do tamanho do cão.
Gatos: Ansiolítico antes das consultas veterinárias: 50 mg / gato VO (igual a 10,9 mg / kg com base em em peso corporal médio) administrado 60 a 90 minutos antes de uma consulta veterinária.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Trazodona

Classificaçāo

Ansiolítico

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Trazodona 50 mg, comprimido (5 un)
  • Trazodona 50 mg, comprimido (30 un)
  • Trazodona 50 mg, comprimido (60 un)
  • Trazodona 100 mg, comprimido (30 un)
  • Trazodona 150 mg, comprimido de liberação prolongada (10 un)
  • Trazodona 150 mg, comprimido de liberação prolongada (30 un)
  • Donaren 50 mg, comprimido (5 un)
  • Donaren 50 mg, comprimido (30 un)
  • Donaren 50 mg, comprimido (60 un)
  • Donaren 100 mg, comprimido (30 un)
  • Donaren Retard 150 mg, comprimido de liberação prolongada (10 un)
  • Donaren Retard 150 mg, comprimido de liberação prolongada (30 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A trazodona pode ser útil no tratamento de distúrbios de comportamento em pequenos animais, principalmente quando usado como tratamento adjuvante em pacientes que não respondem adequadamente às terapias convencionais. A trazodona parece ser eficaz no alívio a curto prazo da ansiedade durante a hospitalização e confinamento pós-operatório após cirurgia ortopédica.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

A trazodona é contraindicada em pacientes hipersensíveis a ela ou naqueles que recebem ou que usaram recentemente inibidores da monoamina oxidase (MAO). A trazodona deve ser usado com cautela em pacientes com doença cardíaca grave ou insuficiência hepática ou renal. A trazodona pode dilatar as pupilas, o que pode desencadear uma crise aguda em pacientes com glaucoma de ângulo fechado.

EFEITOS ADVERSOS

A trazodona parece ser bem tolerada na maioria dos pacientes. Em cães, os efeitos adversos mais comuns são distúrbios gastrointestinais, ataxia e sedação. Taquicardia, aumento da ansiedade, desinibição do comportamento e agressão também foram relatados. Também foi relatado priapismo transitório em um cão. É improvável que a trazodona cause a síndrome da serotonina em doses clinicamente usadas, mas é possível quando a trazodona é usada com outros medicamentos serotoninérgicos. Os sinais clínicos mais comuns observados com a síndrome da serotonina em cães incluem os seguintes (em ordem decrescente): vômitos, diarreia, convulsões, hipertermia, hiperestesia, depressão, midríase, vocalização, morte, cegueira, hipersalivação, dispneia, ataxia/paresia, desorientação, hiperreflexia e coma.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A trazodona parece ser relativamente segura de usar durante a gestação. A trazodona é excretada no leite em níveis muito baixos e os efeitos clínicos na prole parecem improváveis. No entanto, é importante avaliar os potenciais riscos do uso deste medicamento com os benefícios do uso para animais prenhes ou lactantes.

SUPERDOSAGEM

Nenhuma informação específica foi localizada sobre as overdoses de trazodona em pacientes veterinários.

Interações medicamentosas

ANTI-HIPERTENSIVOS

Trazodona podem reduzir mais a pressão arterial e causar hipotensão.

ASPIRINA

Aumento do risco de sangramento gastrointestinal; é necessário monitoramento.

ANTIFÚNGICOS AZÓIS

Podem aumentar os níveis sanguíneos de trazodona; o uso concomitante é contraindicado em humanos.

CISAPRIDA

Aumento do risco de prolongamento do intervalo QT. O uso simultâneo é contraindicado em humanos.

DEPRESSORES DO SNC

O uso com trazodona pode causar efeitos aditivos depressores no SNC.

DIGOXINA

O trazodona pode aumentar os níveis de digoxina.

DIURÉTICOS

Pode aumentar o risco de hiponatremia.

FLUOROQUINOLONAS

Aumento do risco de prolongamento do intervalo QT.

ISOFLURANO

A pré-medicação com trazodona (8 mg/kg) 2 horas antes da indução resultou em uma redução média da CAM de 17%.

LINEZOLIDA

Aumento do risco de síndrome da serotonina; o uso concomitante é contraindicado em humanos.

ANTIBIÓTICOS MACROLÍDEOS

Podem aumentar os níveis sanguíneos de trazodona.

AZUL DE METILENO

Aumento do risco de síndrome da serotonina; o uso concomitante é contraindicado em humanos.

INIBIDORES DA MONOAMINA OXIDASE

Aumento do risco de síndrome da serotonina; o uso concomitante é contraindicado em humanos.

METOCLOPRAMIDA

Aumento do risco de síndrome da serotonina

AINEs

Aumento do risco de sangramento gastrointestinal; é necessário monitoramento.

ONDANSETRONA

Aumento do risco de prolongamento do intervalo QT.

FENOTIAZÍNICOS

Podem aumentar os níveis sanguíneos de trazodona; pode causar efeitos aditivos no SNC.

ANTIDEPRESSIVOS INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DE SEROTONINA

Aumento do risco de síndrome da serotonina. O trazodona é comumente usado em conjunto com os inibidores seletivos, mas os pacientes devem ser observados quanto a sinais associados à síndrome da serotonina. A fluoxetina também pode inibir a metabolização da trazodona.

TRAMADOL

Aumento do risco de síndrome da serotonina.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A trazodona é classificada como um antagonista/inibidor da recaptação de 5-HT2A e 5-HT2C que potencializa principalmente a atividade da serotonina no SNC. A trazodona pode antagonizar os receptores α1-adrenérgicos e reduzir a pressão sanguínea. Como a trazodona pode antagonizar os receptores 5-HT2 e causar sua regulação negativa, pode aumentar a eficácia dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina.

FARMACOCINÉTICA

Em cães, a administração de 8 mg/kg IV resultou em um volume médio de distribuição de 2,53 L/kg, meia-vida de eliminação média de 169 minutos e depuração corporal total plasmática média de 11,15 mL/min/kg. A administração de 8 mg/kg VO resultou em biodisponibilidade de 85% e meia-vida de eliminação de 166 minutos; os níveis plasmáticos máximos ocorreram aos 445 minutos (média), mas houve ampla variação intersubjetiva (± 271 minutos).

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia e efeitos adversos.

Referências Bibliográficas

GRUEN, Margaret E.; SHERMAN, Barbara L. Use of trazodone as an adjunctive agent in the treatment of canine anxiety disorders: 56 cases (1995–2007). Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 233, n. 12, p. 1902-1907, 2008. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária: pequenos e grandes animais. [tradução Silvia m. Spada et al.]. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. TEIXEIRA, Elsa Palma. Desvios comportamentais nas espécies canina e felina. Panorama actual e discussão de casos clínicos. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/ba9xQv20CJ/>. Acesso em 8 de junho de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd