Informações

Princípio Ativo: Tianfenicol.
Classe terapêutica: Antibiótico (grupo Cloranfenicol).

Dose

Cães: 25 - 50 mg/kg VO a cada 8 horas.
Gatos: 50 mg/kg VO a cada 12 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Tianfenicol

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Cloranfenicol)

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não deve ser utilizado em animais produtores de alimentos. Não utilize sem acompanhamento de um médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Tianfenicol 500 mg, comprimido
  • Glitisol 2,5 g/g, granulado de uso oral
  • Glitisol 500 mg, cápsula

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antibiótico bacteriostático de amplo espectro indicado para clamídias, micoplasmas e ricketsias.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com extrema cautela em portadores de doenças hematológicas, insuficiência renal e hepática e neonatos. Evitar o uso em gestantes e lactantes.

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos causa anemia, leucopenia e trombocitopenia. As alterações são, em geral, dose-dependentes e podem ser revertidas com ajuste de dose.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Evitar o uso em gestantes e lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em caso de superdose os sintomas são semelhantes aos efeitos adversos listados.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os anfenicóis agem inibindo a síntese proteica microbiana através da interação com a peptidiltransferase. Impedindo a ligação com o substrato aminoácido, ocorre a inibição da ligação peptídica. Pelo fato de os ribossomas das mitocôndrias dos mamíferos se assemelharem aos ribossomas bacterianos, os anfenicóis podem interferir na síntese proteica nesses animais, sendo sua ação dose dependente (PAPICH e RIVIERE, 2013; PAES, 2012).

FARMACOCINÉTICA

O tianfenicol é duas vezes mais ativo, quando comparado ao cloranfenicol.

MONITORAMENTO

Monitorar alterações hematológicas durante o tratamento.

Referências Bibliográficas

FLAMÍNIO, A. P. et al. PERFIL DE SENSIBILIDADE DE BACTÉRIAS ISOLADAS DE ANIMAIS DOMÉSTICOS NA REGIÃO DE BOTUCATU FRENTE AO CLORANFENICOL E FLORFENICOL. Veterinária e Zootecnia, v. 16, n. 1, p. 161-172, 2012. PAES, A.C. Cloranfenicol. In: BARROS, C. M. e DI STASI, L. C. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012. PAPICH, M. G. e RIVIERE J. Cloranfenicol e derivados, macrolídeos, lincosamidas e antimicrobianos diversos. In: ADAMS, H. Richard. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. <https://consultaremedios.com.br/tianfenicol/pa>. Acesso em 8 de junho de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd