Informações

Princípio Ativo: Taurina.
Classe terapêutica: Suplemento Alimentar.

Dose

Cães: Cardiomiopatia dilatada: 500 - 1000 mg VO a cada 8 - 12 horas para cães com peso 25 kg. Antiepiléptico complementar: 400 mg/18 kg de peso corporal VO a cada 12 horas.
Gatos: Cardiomiopatia dilatada relacionada à deficiência de taurina: 250 - 500 mg/gato VO a cada 12 horas. Antiepiléptico complementar: 100 - 400 mg/gato VO a cada 24 horas. Tratamento adjuvante de hepatopatias: 250 - 500 mg/gato VO a cada 12 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Taurina

Classificaçāo

Suplemento Alimentar

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Taurina 500 mg, cápsula

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A taurina provou ser benéfica na prevenção da degeneração da retina e na prevenção e tratamento da cardiomiopatia dilatada por deficiência de taurina em gatos. Também pode ser benéfico na cardiomiopatia deficiente em taurina (carnitina) no cocker spaniel americano e em algumas outras raças, como golden retriever, labrador, terra-nova, dálmata, cão de água português e bulldog inglês.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Embora a taurina seja segura, ela não deve ser usada como substituto para um diagnóstico adequado.

EFEITOS ADVERSOS

A taurina parece ser bem tolerada. Pode ocorrer um pequeno distúrbio gastrointestinal após a administração oral.

SUPERDOSAGEM

Nenhuma informação específica foi encontrada, mas o potencial tóxico parece ser baixo.

Interações medicamentosas

Nada observado.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A taurina é importante para a conjugação de ácidos biliares, especialmente em cães e gatos. In vivo, a taurina é sintetizada a partir de metionina. A descarboxilase do ácido cisteinesulfínico (CSAD) e a vitamina B6 estão envolvidas nesta síntese. As deficiências de ambos deprimirão a síntese da taurina. Os gatos são particularmente suscetíveis à deficiência de taurina, pois possuem baixa atividade de CSAD e usam taurina quase exclusivamente para a conjugação de ácidos biliares. Além disso, a taurina é importante na modulação do fluxo de cálcio, reduzindo a agregação plaquetária, estabilizando as membranas neuronais e afetando a função cardíaca. Os efeitos da taurina na função cardíaca incluem atividade inotrópica positiva sem afetar o potencial de repouso e modulação das correntes iônicas através da membrana celular. A taurina é importante para o desenvolvimento normal do SNC e possui um efeito semelhante ao GABA, que pode ser útil no tratamento de alguns distúrbios convulsivos.

FARMACOCINÉTICA

Nenhuma informação específica foi encontrada. O excesso de taurina é rapidamente excretada nos rins, mas se houver deficiência, a excreção urinária é reduzida por reabsorção.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia clínica e os níveis de taurina.

Referências Bibliográficas

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/VfePeCIBrS/>. Acesso em 7 de junho de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd