Informações

Princípio Ativo: Sulfadiazina; Trimetoprim.
Classe terapêutica: Antibiótico.

Dose

Cães: Infecções bacterianas suscetíveis: organismos sensíveis isoladamente ou como um complemento da cirurgia ou desbridamento com infecção associada; infecções agudas do trato urinário; complicações bacterianas agudas da cinomose; infecções agudas do trato respiratório; infecções agudas do trato alimentar; infecções agudas do estômago; infecções de feridas; abscessos): 30 mg / kg VO a cada 24 horas. Alternativamente, especialmente em infecções graves, a dose inicial pode ser seguida de 15 mg / kg a cada 12 horas. Foliculite bacteriana superficial: 15 - 30 mg / kg VO a cada 12 horas. Cistite bacteriana: 15 mg / kg VO a cada 12 horas. Doenças parasitárias: Neosporose:15 - 20 mg / kg VO a cada 12 horas por 4 semanas em combinação com pirimetamina 1 mg / kg VO a cada 24 horas por 4 semanas. Se a melhora clínica observável for lenta, o tratamento deve ser estendido além das recomendadas 4 semanas até 2 semanas após o platô dos sinais clínicos. Toxoplasmose : A combinação trimetoprim / sulfa pode ser usada em 15 mg / kg VO a cada 12 horas por 4 semanas. Cuidados de suporte devem ser fornecidos conforme necessário. Pneumocistose ( Pneumocystis carinii ): 15 mg / kg VO a cada 8 horas ou 30 mg / kg VO a cada 12 horas, ambas por 3 semanas. Hepatozoonose canina americana ( Hepatazoon americanum ): 15 mg / kg VO a cada 12 horas por 14 dias com clindamicina 10 mg / kg VO a cada 8 horas por 14 dias e pirimetamina 0,25 mg / kg VO a cada 24 horas durante 14 dias.
Gatos: Infecções bacterianas suscetíveis: Cistite bacteriana: 15 mg / kg vO a cada 12 horas. Doenças parasitárias: Toxoplasmose :Combinação trimetoprim / sulfa 15 mg / kg PO a cada 12 horas por 4 semanas. Cuidados de suporte devem ser fornecidos conforme necessário.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Sulfadiazina
  • Trimetoprim

Classificaçāo

Antibiótico

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de Bactrim® contém: Sulfametoxazol 400 mg Trimetoprima 80 mg   Cada comprimido de Bactrim® F contém: Sulfametoxazol 800 mg Trimetoprima 160 mg

ARMAZENAMENTO

Deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), protegido da luz e umidade.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Bactrim Comprimidos 400/80 mg, comprimido, Sulfametoxazol 400mg + Trimetoprima 80mg
  • - Bactrim F Comprimidos 800/160 mg, comprimido, Sulfametoxazol 800mg + Trimetoprima 160mg
  • - Bactrim Suspensão Pediátrica 200/40 mg, suspensão, Sulfametoxazol 200mg + Trimetoprima 40mg/5mL
  • - Bactrim F Suspensão Pediátrica 400/80 mg, suspensão, Sulfametoxazol 400mg + Trimetoprima 80mg/5mL

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O uso em cães é mais limitado devido a preocupações com efeitos adversos e outras opções antimicrobianas, mas é uma opção para várias infecções, como cistite e prostatite. Às vezes, também é usado para patógenos atípicos como Nocardia spp.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O fabricante declara que o trimetoprim/sulfadiazina não deve ser usado em cães que apresentem danos no parênquima hepático, discrasias no sangue ou naqueles com histórico de sensibilidade à sulfonamida. Esta combinação deve ser usada com cautela em pacientes com doença hepática ou renal pré-existente ou deficiência de folato. Em animais com disfunção renal moderada a grave, considere a redução da dose; evite produtos que contenham sulfadiazina. Devido ao seu potencial de cristalização na urina, pode ser prudente evitar o uso de sulfadiazina em cães com urólitos, com risco aumentado de desenvolver urólitos ou com urina ácida ou altamente concentrada (desidratação).

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos adversos observados em cães incluem: ceratoconjuntivite seca (que pode ser irreversível), hepatite neutrofílica aguda com icterícia, vômito, anorexia, diarreia, febre, anemia hemolítica, urticária, poliartrite, edema facial, polidipsia, poliúria e colestase. As sulfonamidas podem causar hipotireoidismo em cães, principalmente com terapia prolongada. Podem ser observadas reações de hipersensibilidade aguda que se manifestam como reação tipo I (anafilaxia) ou tipo III (doença sérica). As reações de hipersensibilidade parecem ser mais comuns em cães de raças grandes; os dobermans podem ser mais suscetíveis a esse efeito do que outras raças. Outros efeitos hematológicos (anemia, agranulocitose) são possíveis, mas bastante raros. TMP/sulfa raramente causa necrose hepática idiossincrática, moderada a maciça em cães. Essa associação pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de pancreatite aguda, mas causa e efeito não foram demonstrados. Os efeitos adversos observados em gatos podem incluir anorexia, leucopenia e anemia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O uso seguro não foi claramente estabelecido em animais prenhes.

SUPERDOSAGEM

As manifestações de uma overdose aguda incluem sinais clínicos de angústia gastrointestinal (náusea, vômito, diarreia), toxicidade do SNC (depressão, dor de cabeça e confusão), inchaço facial, depressão da medula óssea e aumento das aminotransferases séricas. As sobredosagens orais podem ser tratadas esvaziando o estômago (seguindo protocolos usuais) e iniciando terapia sintomática e de suporte. A acidificação da urina pode aumentar a eliminação renal do trimetoprim, mas também pode causar cristalúria por sulfonamida, particularmente com produtos contendo sulfadiazina. Os hemogramas completos (e outros parâmetros laboratoriais) devem ser monitorados conforme necessário. A supressão da medula óssea associada a overdoses crônicas pode ser tratada com ácido folínico (leucovorina), se for grave. A diálise peritoneal não é eficaz na remoção de TMP ou sulfas da circulação.

Interações medicamentosas

AMANTADINA

Um paciente humano desenvolveu delírio ao receber amantadina com TMP/sulfa.

ANTIÁCIDOS

Pode diminuir a biodisponibilidade das sulfonamidas se administrado simultaneamente.

CICLOSPORINA

TMP/sulfa pode aumentar o risco de nefrotoxicidade.

DIGOXINA

TMP/sulfa pode aumentar os níveis de digoxina.

DIURÉTICOS TIAZÍDICOS

Podem aumentar o risco de trombocitopenia.

HIPOGLICEMIANTES ORAIS

TMP/sulfa pode potenciar efeitos.

METOTREXATO

TMP/sulfa pode se deslocar das proteínas plasmáticas e aumentar o risco de efeitos tóxicos; também pode interferir com os ensaios de metotrexato (técnica competitiva de ligação às proteínas).

FENITOÍNA

TMP/sulfa pode aumentar a meia-vida.

ANTIDEPRESSIVOS TRICÍCLICOS

TMP/sulfa pode diminuir a eficácia.

VARFARINA

TMP/sulfa pode prolongar tempo protrombina.

SUPLEMENTOS DE POTÁSSIO, FÁRMACOS POUPADORES DE POTÁSSIO

Aumento do risco de hipercalemia.

PIRIMETAMINA

Pode aumentar o risco de anemia megaloblástica e mielossupressão.

Farmacologia

FÁRMACODINÂMICA

A sulfonamida bloqueia a conversão do ácido para-aminobenzóico (PABA) em ácido di-hidrofólico (DFA) e o trimetoprim bloqueia a conversão de DFA em ácido tetra-hidrofólico, inibindo a di-hidrofolato redutase. O tecido infectado e os detritos celulares podem inibir a ação do trimetoprim/sulfa secretando PABA e timidina.

FARMACOCINÉTICA

O trimetoprim/sulfa é relativamente bem absorvido após administração oral, com níveis de pico ocorrendo de 1 a 4 horas após a administração; no entanto, o medicamento é absorvido mais lentamente após absorção subcutânea. Os alimentos não têm efeito aparente na absorção sulfadiazina, mas a absorção de trimetoprim é reduzida. O trimetoprim/sulfa é excretado via renal inalterado por filtração glomerular e secreção tubular e metabolizado pelo fígado. As sulfas são principalmente acetiladas e conjugadas com ácido glucurônico e o trimetoprim é metabolizado em metabólitos de óxido e hidroxilados. A meia-vida de eliminação sérica do trimetoprim em cães é 2,5 horas. A meia-vida de eliminação sérica da sulfadiazina em cães é 9,84 horas.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia clínica, efeitos adversos (com terapia crônica, devem ser considerados os hemogramas completos periódicos). Em cães, se a terapia prolongada (> 7 dias) for antecipada, recomenda-se o teste de Schirmer, com reavaliação periódica (uma sugestão é em 5 dias e a cada 2-3 semanas) e reavaliação e monitoramento do proprietário quanto à secreção ocular. Os testes de função tireoidiana devem ser considerados (basal e contínuo), principalmente em cães que recebem tratamento a longo prazo.

Referências Bibliográficas

<https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/nf1vK8vdaA>. Acesso em 5 de junho de 2020.

Desenvolvido por logo-crowd