Informações

Princípio Ativo: Spinosad.
Classe terapêutica: Ectoparasiticida.

Dose

Cães: 30 – 60 mg/kg VO (com alimento) uma vez por mês.
Gatos: 50 mg/kg VO (imediatamente antes ou depois da alimentação) uma vez por mês.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Spinosad

Classificaçāo

Ectoparasiticida

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Armazenamento

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Spinosad 1.620 mg, comprimido mastigável (1 un)
  • Spinosad 560 mg, comprimido mastigável (1 un)
  • Spinosad 270 mg, comprimido mastigável (1 un)
  • Spinosad 810 mg, comprimido mastigável (1 un)
  • Spinosad 140 mg, comprimido mastigável (1 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Em cães, a spinosad é indicada na prevenção e tratamento de infestação de pulgas (Ctenocephalides canis e C felis), por um mês, em cães com 14 semanas de vida e pesando pelo menos 1,4 kg. As vantagens desse medicamento incluem: rápida resposta a um produto sistêmico, uma vez por mês, matando pulgas adultas antes do início de postura, sendo que a eficácia não é afetada por banhos. O spinosad previne contra infestação de Pulex irritans em cães que vivem próximos a ovinos. Em gatos, a spinosad é aprovada para matar pulgas (Ctenocephalides felis) para prevenção e tratamento de infestação, durante um mês, em gatos e filhotes com 14 semanas de vida e pesando, pelo menos, 900 g.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não é recomendado o uso de spinosad com altas doses de ivermectina devido o potencial de neurotoxicidade grave. O produto indica que o uso de fêmeas e cães reprodutoras com epilepsia pré existente, em doses superiores às rotuladas, pode diminuir o limiar convulsivo.

EFEITOS ADVERSOS

A spinosad parece ser bem tolerada em cães, e a maioria dos animais não demonstra qualquer efeito adverso após administração. As reações adversas adicionais a seguir são possíveis e baseadas nos relatórios de efeitos adversos de medicamentos após a aprovação (listados em ordem decrescente de frequência): depressão/letargia, anorexia, ataxia, diarreia, prurido, tremor, hipersalivação e convulsões. Em gatos, os efeitos adversos são infrequentes, mas foram observados vômito, letargia, hiporexia, perda de peso e diarreia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O fabricante estabelece o uso com cautela em fêmeas reprodutoras, mas o medicamento parece ser relativamente seguro de usar em gestantes e lactantes. O uso seguro em gatas reprodutoras, gestantes ou lactantes não vou avaliado.

SUPERDOSAGEM

Observou-se vômito e anorexia gatos filhotes recebendo doses altas mensalmente como 500 mg/kg. Ocorreu fosfolipidose no fígado, pulmão e glândula adrenal.  

Interações medicamentosas

Ivermectina

Não é recomendado o uso com altas doses de ivermectina.

Outros medicamentos afetados por inibidores da glicoproteína-p

A spinosad demonstrou ser um substrato e potente inibidor da glicoproteína-p canina, e outros medicamentos como ciclosporina, verapamil, cetoconazol e loperamida podem, potencialmente, interagir no trato intestinal. Como a spinosad é tão altamente ligada às proteínas plasmáticas, o risco de interações adicionais na barreira hematoencefálica parece ser limitada.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A spinosad é uma lactona macrocíclica que contém duas lactonas macrocíclicas (espinosina A e espinosina D). Seu principal mecanismo de ação em insetos é como agonista de receptor alfa nicotínico causando contrações musculares involuntárias e tremores secundários a ativação do neurônio motor. A exposição prolongada causa paralisia e morte da pulga. A morte das pulgas começa dentro de 30 minutos após a administração e é concluída em 4 horas. Em insetos, a spinosad também abre os canais de cloreto similarmente a outras lactona macrocíclicas.

FARMACOCINÉTICA

Após a administração oral da spinosad em cães, o nível máximo da espinosina A e D no plasma ocorre entre 2 e 3 horas, respectivamente. Ambas as espinosinas são extensivamente (99%) ligadas às proteínas plasmáticas do cão. A spinosad é biotransformada no fígado com conjugado de glutationa e 70-90% é eliminado nas fezes via biliar. A meia-vida de eliminação plasmática é de 10 dias.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia e efeitos adversos.

Referências bibliográficas

<https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/28dAN82pw0/>. Acesso em 25 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd