Informações

Princípio Ativo: Sotalol.
Classe terapêutica: Beta-bloqueador.

Dose

Cães: Controle não urgente de taquiarritmias ventriculares ± taquicardia supraventricular: A maioria das recomendações da faixa de dosagem é de 1 a 2 mg / kg (alguns vão até 3 mg / kg) VO a cada 12 horas. Inicialmente, os pacientes geralmente são iniciados na extremidade inferior da faixa de dosagem. Pacientes com disfunção renal significativa devem receber doses reduzidas ou aumento do tempo entre as doses. Taquiarritmias ventriculares em boxers em combinação com mexiletina: sotalol 1,5 - 3 mg / kg VO a cada 12 horas com mexiletina 5 - 7,5 mg / kg PO a cada 8 horas. Arritmias ventriculares em cães-pastor alemães com arritmias hereditárias : Mexiletine 8 mg / kg VO a cada 8 horas com sotalol 2,5 mg / kg VO a cada 12 horas foi mais eficaz do que qualquer medicamento isoladamente na supressão de complexos prematuros ventriculares. Os níveis de mexiletina também foram mais altos quando o sotalol foi adicionado.
Gatos: Controle não urgente de taquiarritmias ventriculares ± taquicardia supraventricular: A maioria das recomendações da faixa de dosagem é de 1 a 2 mg / kg (alguns vão até 3 mg / kg) VO a cada 12 horas. Inicialmente, os pacientes geralmente são iniciados na extremidade inferior da faixa de dosagem. Pacientes com disfunção renal significativa devem receber doses reduzidas ou aumento do tempo entre as doses.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Sotalol

Classificaçāo

Beta-Bloqueador

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Sotalol 160 mg, comprimido
  • Sotalol 120 mg, comprimido
  • Sotalol 240 mg, comprimido
  • Sotacor 120 mg, comprimido
  • Sotacor 160 mg, comprimido
  • Sotacor 240 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O sotalol pode ser útil no tratamento a longo prazo de taquicardias ventriculares e, possivelmente, taquicardias supraventriculares em cães e gatos. Também é usado em cães com taquicardia ventricular refratários à lidocaína e procainamida.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O sotalol é um beta-bloqueador fraco e inespecífico, mas ainda é considerado contraindicado em pacientes com asma, bradicardia sinusal, bloqueio cardíaco de 2º ou 3º grau (a menos que seja estimulado artificialmente), síndromes prolongadas do intervalo QT, choque cardiogênico ou insuficiência cardíaca congestiva descontrolada. Devido ao potencial de efeitos inotrópicos negativos, use com cautela na ICC. Além disso, use com cuidado em pacientes com diabetes mellitus ou hipertireoidismo (pode mascarar sinais). Use com cautela em pacientes com disfunção renal; os intervalos de dosagem podem precisar ser ampliados.

EFEITOS ADVERSOS

As principais preocupações com o sotalol em cães são o potencial para efeitos inotrópicos, cronotrópicos e pró-arrítmicos negativos. Esses efeitos geralmente não são clinicamente importantes se a dosagem não for excessiva. Outros efeitos adversos potenciais incluem dispneia, broncoespasmo, fadiga/tontura, náusea e vômito. Os efeitos do bloqueio beta do sotalol podem piorar a síncope ou causar letargia, principalmente se a taquiarritmia ventricular coexistir com bradicardia intermitente (por exemplo, bloqueio AV).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O sotalol não causou fetotoxicidade ou teratogenicidade quando administrado a animais prenhes em altas doses, mas a segurança na prenhez não foi estabelecida. O sotalol infiltra no leite materno em concentrações de até 5 vezes as encontradas no soro; considere usar um substituto do leite em animais lactantes.

SUPERDOSAGEM

Sobredosagens podem resultar em bradicardia, hipotensão, ICC, broncoespasmo e hipoglicemia. Quando houver um risco significativo de morbidade, faça descontaminação intestinal (se não for contraindicada). Trate os efeitos adversos de forma sintomática e de suporte.

Interações medicamentosas

AMIODARONA

Pode prolongar períodos refratários; o uso concomitante não é recomendado em pacientes humanos.

ANESTÉSICOS GERAIS

Pode ocorrer depressão aditiva do miocárdio com o uso simultâneo de sotalol e agentes anestésicos depressores do miocárdio.

ANTIÁCIDOS

Pode reduzir a absorção oral de sotalol; doses separadas por pelo menos 2 horas.

ANTIARRÍTMICOS CLASSE 1A

Pode prolongar os períodos refratários; o uso concomitante não é recomendado em pacientes humanos; também pode prolongar o intervalo QT.

ANTIARRÍTMICOS CLASSE 1B E 1C

Pode prolongar o intervalo QT.

AZITROMICINA

Pode aumentar o risco de cardiotoxicidade.

BLOQUEADORES DE CANAIS DE CÁLCIO

Potencial para aumentar os efeitos hipotensores; pode ter efeitos aditivos na condução AV ou na função ventricular; use com cautela, principalmente em pacientes com cardiomiopatia ou ICC pré-existente.

CISAPRIDA

Pode prolongar o intervalo QT.

CLONIDINA

Se a clonidina for descontinuada após terapia concomitante com sotalol, há um risco aumentado de hipertensão rebote.

CICLOBENZAPRINA

Pode aumentar o risco de prolongamento do intervalo QT.

DIGOXINA

Potencial para aumentar os riscos de eventos pró- arrítmicos .

DIURÉTICOS

Pode aumentar o risco de cardiotoxicidade.

ERITROMICINA, CLARITROMICINA

Pode prolongar o intervalo QT.

FLUOROQUINOLONAS

Pode aumentar o risco de prolongamento do intervalo QT.

FLUOXETINA

Pode aumentar o risco de cardiotoxicidade.

LIDOCAÍNA

A depuração pode ser prejudicada pelo sotalol.

METIMAZOL

Pode resultar em metabolismo alterado do sotalol.

AINEs

Podem diminuir o efeito anti-hipertensivo do sotalol.

FENOTIAZÍNICOS

Pode prolongar o intervalo QT.

RESERPINA

Pode ter efeitos aditivos (hipotensão, bradicardia) com sotalol.

SIMPATOMIMÉTICOS AGONISTAS BETA 2

Podem ter suas ações bloqueadas pelo sotalol.

ANTIDEPRESSIVOS TRICÍCLICOS

Pode prolongar o intervalo QT.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O sotalol é um beta-bloqueador não seletivo e um agente antiarrítmico de Classe III (bloqueador de canais de potássio). A atividade de bloqueio beta do sotalol é de aproximadamente 30% da do propranolol. Acredita-se que a ação farmacológica seja causada pela inibição seletiva dos canais de potássio. Como outros medicamentos de classe III, prolonga a repolarização e a refratariedade sem afetar a condução. Em animais com taquicardias supraventriculares, o sotalol pode ser mais eficaz na prevenção da recorrência da arritmia do que em terminá-la.

FARMACOCINÉTICA

Ao contrário do propranolol, o sotalol não tem nenhum efeito considerável de primeira passagem após a administração oral. Os alimentos podem reduzir a biodisponibilidade do sotalol em ± 20% (dados em humanos) e, se administrados com o estômago vazio, a biodisponibilidade é de 90 a 100%. Os níveis plasmáticos máximos ocorrem entre 2-4 horas após uma dose. O fármaco possui uma solubilidade lipídica relativamente baixa e praticamente nenhuma ligação às proteínas. A eliminação é quase toda via renal e a maior parte do fármaco é excretado inalterado. Em cães, a meia-vida de eliminação do sotalol é de 5 horas.

MONITORAMENTO

Monitore cuidadosamente a frequência e o ritmo cardíacos do paciente durante o tratamento com ECG. Monitore também os efeitos adversos.

Referências Bibliográficas

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012 SCHWARTZ, D. S. e MELCHERT, A. Terapêutica do Sistema Cardiovascular em Pequenos Animais. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica veterinária. 3ª ed. – São Paulo: Roca, 2008. VITAL, M. A. B. F.; ACCO, A. Agonistas e antagonistas adrenérgicos. In: Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária, 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/LMBGq1vL6K>. Acesso em 5 de junho de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd