Informações

Princípio Ativo: Ronidazol.
Classe terapêutica: Anti-protozoário.

Dose

Cães: 30 – 50 mg/kg VO a cada 12 horas durante 7 dias.
Gatos: 30 mg/kg VO a cada 24 horas durante 14 dias.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Ronidazol

Classificaçāo

Anti-protozoário

Receita

Receita Simples

Espécies

Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar o produto em sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), em local seco e ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Ronidazol 40 mg/g, frasco (100 g)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O ronidazol é um antibiótico/antiparasitário nitroimidazol que, atualmente, é considerado o tratamento de escolha para infecções por Tritrichomonas fetus,  com resolução de diarreia ocorrendo em 60 a 70% dos gatos. Formulações que atrasam a liberação de ronidazol até a chegada da droga no intestino grosso pode limitar a neurotoxicidade, mantendo a eficácia. O ronidazol também pode ser um tratamento alternativo viável para a giardíase em cães e gatos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em pacientes com hipersensibilidade ao princípio ativo.

EFEITOS ADVERSOS

Foi relatada neurotoxicidade reversível semelhante à relatada com metronidazol em gatos com ronidazol. Os sinais iniciais podem incluir tremores, letargia, anorexia, ataxia, nistagmo, convulsões ou alterações de comportamento (agitação). Se for diagnosticada neurotoxicidade, interrompa o ronidazol, faça tratamento de suporte e, se necessário, considere administrar uma benzodiazepina como o diazepam para inibir competitivamente os receptores GABA no SNC. Potencialmente, podem ocorrer efeitos gastrointestinais (anorexia, vômito). O ronidazol é muito amargo e deve ser administrado a gatos em forma de cápsula.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A segurança deste composto durante a gestação não está estabelecida. Se este composto for ser usado em gatas gestantes, avalie os potenciais benefícios do tratamento com o potencial de efeitos adversos. Não se sabe se o ronidazol é distribuído no leite e a segurança não pode ser garantida. Considere substitui o leite.

SUPERDOSAGEM

Nenhuma informação específica foi localizada. Se as overdoses causarem neurotoxicidade, interrompa o tratamento e faça tratamento de suporte. Considere administrar um inibidor de GABA, como o diazepam, para inibir competitivamente os receptores de GABA no SNC.

Interações medicamentosas

ÁLCOOL

Pode induzir uma reação do tipo dissulfiram (náusea, vômito, cãibras).

CIMETIDINA DE CETOCONAZOL

Pode diminuir o metabolismo do ronidazol e aumentar a probabilidade de ocorrência de efeitos colaterais relacionados à dose.

CICLOSPORINA, TACROLIMOS (sistêmico)

O ronidazol pode aumentar os níveis séricos de ciclosporina ou tacrolimos.

FLUOROURACIL (sistêmico)

O ronidazol pode aumentar os níveis séricos de fluorouracil e risco de toxicidade.

LÍTIO

O ronidazol pode aumentar os níveis séricos de lítio e risco de toxicidade.

OXITETRACICLINA

Supostamente pode antagonizar os efeitos terapêuticos do metronidazol (e presumivelmente do ronidazol).

FENOBARBITAL, RIFAMPINA OU FENITOÍNA

Pode aumentar o metabolismo do ronidazol, diminuindo os níveis sanguíneos.

VARFARINA

O metronidazol (e potencialmente o ronidazol) pode prolongar o tempo de protrombina em pacientes que tomam anticoagulantes de cumarina; evite o uso simultâneo, se possível; caso contrário, intensifique o monitoramento.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O ronidazol é convertido por hidrogenossomas (uma organela encontrada nas tricomonas) em radicais aniônicos polares autotóxicos. As infecções por T. fetus em gatos foram resistentes ao tratamento com metronidazol e o ronidazol parece ter maior atividade contra o organismo, mas resistência ao ronidazol foi documentada.

FARMACOCINÉTICA

Em gatos, após a administração oral, foi absorvido de maneira rápida e completa. A meia-vida nessa espécie animal é de aproximadamente 10 horas. Uma formulação de comprimido de libertação retardada direcionada para o cólon revestida com goma guar teve uma libertação desprezível até 6 horas após a administração. Os níveis plasmáticos máximos ocorreram em ± 14,5 horas, coincidindo com a chegada ao cólon. A dosagem repetida não afetou consideravelmente a biodisponibilidade ou outros parâmetros farmacocinéticos.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia clínica e efeitos adversos.

Referências Bibliográficas

DUARTE, R. P. Ocorrência de Tritrichomonas foetus em gatos na região do município de Araçatuba - SP, Brasil. Dissertação (mestrado) - Ciência Animal, Universidade Estadual Paulista, Araçatuba, 2015. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/8X3ZKO1k3Z>. Acesso em 3 de junho de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd