Informações

Princípio Ativo: Ondansetrona.
Classe terapêutica: Antiemético.

Dose

Cães: Antiemético: 0,5 - 1 mg/kg VO ou IV (lentamente por 2-15 minutos) a cada 8 - 12 horas. Náusea e vômito induzidos por quimioterapia: 0,4 - 0,5 mg/kg IV (lentamente) 30 minutos antes da administração da quimioterapia; pode repetir a cada 8 - 12 horas. Náusea e vômito induzidos por parvovírus: 0,5 mg/kg IV a cada 8 horas.
Gatos: Vômito agudo: 0,1 - 1 mg/kg IV (lentamente), SC, IM ou VO a cada 6 - 12 horas. Vômitos associados a doença renal crônica: estágio 1 ou 2: 0,1 - 0,2 mg/kg IV, SC, VO a cada 6 - 12 horas. Estágio 3: 0,05 - 0,1 mg/kg IV, SC, VO a cada 6 - 12 horas. Estágio 4: 0,025 - 0,05 mg/kg IV, SC ou VO a cada 6 - 12 horas. Redução da incidência e gravidade do vômito associado à pré-medicação com dexmedetomidina/buprenorfina: 0,22 mg/kg IM administrado com dexmedetomidina e buprenorfina (na mesma seringa).
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Ondansetrona

Classificaçāo

Antiemético

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Ondansetrona 8 mg, comprimido
  • Ondansetrona 4 mg, comprimido
  • Ondansetrona 2 mg/mL, ampola
  • Vonau Comprimido 4 mg, comprimido (10 un)
  • Vonau Comprimido 8 mg, comprimido (10 un)
  • Vonau Solução Injetável 2 mg/mL, ampola (2 mL)
  • Vonau Solução Injetável 2 mg/mL, ampola (4 mL)
  • Zofran Comprimido 4 mg, comprimido
  • Zofran Comprimido 8 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A ondansetrona é um antiemético que pode ser usado para náuseas e vômitos em cães e gatos. Ondansetrona, metoclopramida e maropitant podem ser igualmente eficazes na redução da frequência de vômitos em cães com enterite parvoviral. A ondansetrona pode ser particularmente eficaz no tratamento de vômitos associados à quimioterapia.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

A ondansetrona é contraindicada em pacientes hipersensíveis a ela ou a outros agentes dessa classe. Este fármaco pode mascarar distensão gástrica ou de íleo; não deve ser utilizado no lugar de sucção nasogástrica ou avaliação diagnóstica. Deve ser usada com cautela em pacientes com disfunção hepática, pois a absorção pode aumentar devido ao metabolismo reduzido de primeira passagem e a meia-vida prolongada; pode ser necessário ajuste posológico na insuficiência hepática grave. Sugere-se ter cuidado ao administrar a cães com a mutação do gene MDR1. Este fármaco causou prolongamento do intervalo QT em cães hígidos, mas o prolongamento do intervalo QT em cães doentes foi identificado por apenas 1 dos 2 métodos utilizados para calcular o intervalo QT.

EFEITOS ADVERSOS

Parece ser bem tolerada. Efeitos gastrointestinais (como constipação, diarréia), sedação, sinais clínicos extrapiramidais (como sacudir a cabeça), aumento de enzimas hepáticas, arritmias e hipotensão podem ser possíveis (a incidência em humanos é inferior a 10%).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não existem relatos de que o medicamento seja embriotóxico ou teratogênico, porém deve ser utilizado com cautela em gestantes e lactantes por não existirem estudos suficientes que comprovem sua segurança nessas condições.

Interações medicamentosas

APOMORFINA

Um paciente humano que recebeu ondansetrona e apomorfina desenvolveu hipotensão grave e perda de consciência. Nos seres humanos, o uso conjunto é contraindicado.

ANTIFÚNGICOS AZÓIS

Pode inibir o metabolismo da ondansetrona, e o uso simultâneo pode aumentar o intervalo QT.

CISPLATINA

As concentrações plasmáticas de cisplatina podem estar diminuídas.

CICLOFOSFAMIDA

As concentrações plasmáticas de ciclofosfamida podem estar diminuídas.

FÁRMACOS QUE ALTERAM O INTERVALO DO QT

Teoricamente, a ondansetrona pode ter efeitos aditivos no intervalo QT; pode resultar em possíveis arritmias graves.

INIBIDORES DE MONOAMINA OXIDASE

Foi relatado um aumento do risco de síndrome da serotonina em humanos.

METFORMINA

A ondansetrona pode aumentar a concentração sérica de metformina.

INIBIDORES DA P-GLICOPROTEÍNA

Em humanos, esses medicamentos podem aumentar as concentrações séricas de ondansetrona. Não está claro se a ondansetrona é um substrato da glicoproteína P em pacientes veterinários.

FÁRMACOS SEROTONÉRGICOS

Foi relatado um aumento do risco de síndrome da serotonina em humanos.

TRAMADOL

Em humanos, o uso em conjunto pode reduzir a eficácia de ambos os medicamentos. A significância veterinária é desconhecida.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A ondansetrona é um antagonista do receptor 5-HT3. Os receptores 5-HT3 são encontrados perifericamente nos terminais do nervo vagal e centralmente na zona de gatilho quimiorreceptora. Os efeitos da ondansetrona parecem ser mediados pelo antagonismo desses receptores central e periférico. Em dosagens típicas, a ondansetrona não afeta a motilidade gastrointestinal nem o trânsito gástrico.

FARMACOCINÉTICA

Em gatos, a biodisponibilidade oral da ondansetrona é de ~ 32%, mas a biodisponibilidade é de 75% quando o medicamento é injetado SC. A meia-vida de eliminação é de ± 2 horas (IV), 1,2 horas (VO) e 3,2 horas (SC). A administração de ondansetrona 2 mg SC a gatos geriátricos e gatos com doença renal e hepática revelou reduções na depuração, que foram maiores em gatos com doença hepática. A aplicação de ondansetrona no gel transdérmico Lipoderm® na orelha interna de gatos saudáveis não resultou em níveis séricos mensuráveis de ondansetrona.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia clínica.

Referências Bibliográficas

MARINHO, P. V. T. et al. Gastropatia pilórica hipertrófica crônica secundária à gastrite linfoplasmocitária em cão - relato de caso. Veterinária e Zootecnia. v. 22, n. 2 (2015) PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. PINTO, T. M. et al. Esofagectomia torácica parcial no tratamento de leiomioma em esfíncter esofágico inferior de cão. Acta Scientiae Veterinariae. 38(1): 81-84, 2010. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/HaMjUv5DhL>. Acesso em 28 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-ondansetrona/pa>. Acesso em 28 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd