Informações

Princípio Ativo: Nitrofurantoína.
Classe terapêutica: Antibiótico, antisséptico.

Dose

Cães: ITU/cistite esporádica simples: 4,4 - 5 mg/kg VO a cada 8 horas. Prevenção de reinfecções por organismos gram-negativos: 1 - 4 mg/kg VO a cada 24 horas imediatamente antes de dormir após a micção.
Gatos: ITU/cistite esporádica simples: 4,4 - 5 mg/kg VO a cada 8 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Nitrofurantoína

Classificaçāo

Antibiótico, Antisséptico

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Armazene em recipiente totalmente selado, protegido da luz e em temperatura ambiente.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Nitrofurantoína 100 mg, cápsula
  • Nitrofurantoína 100 mg, cápsula
  • Nitrofen 100 mg, cápsulas
  • Macrodantina 100 mg, cápsula

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Para tratamento e prevenção de infecções urinárias. Não atinge concentrações altas o suficiente para infecções sistêmicas ou renais.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

A nitrofurantoína é contraindicada em pacientes com insuficiência renal, pois o fármaco é muito menos eficaz e o desenvolvimento de toxicidade é muito mais provável. O medicamento também é contra-indicado em pacientes hipersensíveis a ele.

EFEITOS ADVERSOS

Em cães e gatos, podem ocorrer distúrbios gastrointestinais (principalmente vômitos), neuropatias periféricas (reversíveis), reações de hipersensibilidade pulmonar e hepatopatia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O uso seguro do medicamento durante os estágios iniciais da prenhez não foi determinado em animais. Use somente quando os benefícios da terapia superarem os riscos. A nitrofurantoína é excretada no leite materno em concentrações muito baixas. A segurança para uso na lactante ou lactente não foi estabelecida.

SUPERDOSAGEM

Nenhuma informação específica foi encontrada. Como o fármaco é rapidamente absorvido e excretado, os pacientes com função renal normal devem exigir pouca terapia quando ocorrem sobredosagens leves. Uma alta ingestão de líquidos deve ser mantida para promover a excreção urinária do medicamento. A nitrofurantoína é dialisável. Se a ingestão for relativamente recente, deve-se lidar com overdose maciça esvaziando o intestino usando protocolos padrões; o paciente deve ser monitorado quanto a efeitos adversos.

Interações medicamentosas

FLUOROQUINOLONAS

A nitrofurantoína pode antagonizar a atividade antimicrobiana das fluoroquinolonas e é melhor evitar o uso concomitante.

FLUCONAZOL

Aumento do risco de toxicidade hepática e pulmonar.

ALIMENTO ou FÁRMACOS ANTICOLINÉRGICOS

Pode aumentar a biodisponibilidade oral da nitrofurantoína.

TRISSILICADO DE MAGNÉSIO CONTENDO ANTÁCIDOS

Pode inibir a absorção oral de nitrofurantoína.

PROBENECIDA

Pode inibir a excreção renal de nitrofurantoína, aumentando potencialmente sua toxicidade e reduzindo sua eficácia em infecções do trato urinário.

ESPIRONOLACTONA

A nitrofurantoína pode aumentar os efeitos hipercalêmicos.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A nitrofurantoína geralmente atua como um antimicrobiano bacteriostático, mas pode ser bactericida, dependendo da concentração do fármaco e da suscetibilidade do organismo. O mecanismo exato de ação da nitrofurantoína não foi totalmente elucidado, mas o fármaco aparentemente inibe vários sistemas de enzimas bacterianas, incluindo a síntese de DNA, RNA e proteínas, acetilcoenzima A, bem como o metabolismo energético e a síntese da parede celular. A nitrofurantoína possui maior ação antibacteriana em ambientes ácidos. A resistência bacteriana à nitrofurantoína permaneceu inconsequente. A nitrofurantoína tem ação contra vários organismos gram-negativos e alguns gram-positivos, incluindo muitas cepas de E. coli, Klebsiella spp, Enterobacter spp, Enterococcus spp, Streptococcus spp, Staphylococcus spp, Enterobacter spp, Citrobacter spp, Salmonella spp, Shigella spp e Corynebacterium spp. Possui pouca ou nenhuma ação contra a maioria das cepas de Proteus spp, Serratia spp ou Acinetobacter spp e não possui ação contra Pseudomonas spp.

FARMACOCINÉTICA

Os níveis terapêuticos na circulação sistêmica não são mantidos devido à rápida eliminação do medicamento após a absorção. Aproximadamente 20% a 60% do fármaco está ligada às proteínas séricas. A administração da forma macrocristalina resulta em picos ocorrendo dentro de 30 minutos após a administração. O medicamento atravessa a placenta e apenas quantidades mínimas são encontradas no leite. Aproximadamente 40% a 50% do medicamento são eliminados na urina inalterados por filtração glomerular e secreção tubular. Parte do fármaco é metabolizado principalmente no fígado. As meia-vidas de eliminação em humanos com função renal normal duram em média 20 minutos.

MONITORAMENTO

Monitore as enzimas hepáticas durante a terapia crônica, a eficácia e efeitos adversos.

Referências Bibliográficas

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/iqXJ6SN5Qv>. Acesso em 27 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/nitrofurantoina/pa>. Acesso em 27 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd