Informações

Princípio Ativo: Nistatina.
Classe terapêutica: Antifúngico.

Dose

Cães: Uso tópico 1 - 4 vezes por dia.
Gatos: Uso tópico 1 - 4 vezes por dia.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Nistatina

Classificaçāo

Antifúngico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Informe ao Médico Veterinário a ocorrência de gestação ou lactação durante ou logo após o tratamento. A interrupção do tratamento e a modificação de dose não devem ser feitas sem a orientação do Médico Veterinário. Os microrganismos são capazes de desenvolver resistência nos casos de subdosagem. O medicamento só deve ser prescrito por um Médico Veterinário. O uso indiscriminado de antifúngicos pode ser perigoso para a saúde dos animais.

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz e umidade e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Nistatina 100.000 UI/mL, solução oral
  • Nistatina 500.000 UI, drágea
  • Nistatina, tubo (15 mL)
  • Albistin 100.000UI/mL, soluçaõ oral
  • Nistatec 100.000UI/4mg, bisnaga (60 g)
  • Micostatin 25.000UI/g, bisnaga (60 g)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Pode ser utilizada para o tratamento de otites micóticas, candidíases oral e gastroentérica, infecções cutâneas ou sistêmicas por Candida sp. Devido às formas de dosagem limitadas e outros medicamentos anti-leveduras alternativos prontamente disponíveis, a nistatina geralmente não é usada sozinha na medicina de pequenos animais. Os produtos combinados (por exemplo, Panalog®) podem ser úteis para lesões tópicas causadas por leveduras ou organismos semelhantes a leveduras; eles têm sido usados para infecções mistas de otite há muitos anos. A nistatina tem eficácia contra muitas leveduras e organismos semelhantes (por exemplo, Malassezia spp). Acredita-se que seu mecanismo de ação seja secundário à ligação aos esteróis nas membranas celulares dos fungos, aumentando assim a permeabilidade da membrana com o vazamento de componentes intracelulares. A nistatina não possui ação contra bactérias e é ineficaz contra outros fungos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não é recomendado para pacientes que apresentem hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo.

EFEITOS ADVERSOS

Raramente ocorrem efeitos adversos. Entre eles, vômitos, diarreia, hipersensibilidade. Evite contato com os olhos. Deve-se lavar a mão após aplicação ou usar luvas ao aplicar. A nistatina sozinha é muito segura, embora sejam possíveis reações de hipersensibilidade. A combinação de produtos veterinários geralmente são bem tolerados quando usados na pele. A neomicina pode causar sensibilidade localizada e os que contêm glicocorticoides podem causar atrofia cutânea supressão do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não foi estabelecida a segurança para o uso durante a gestação e lactação.

SUPERDOSAGEM

Usada por vias parenterais apresenta elevada toxicidade.

Interações medicamentosas

Observações da interação

Não deve ser associada com tetraciclinas pois pode ocorrer diminuição na absorção.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Liga-se ao ergosterol, comprometendo o metabolismo celular fúngico e inibindo seu crescimento.

FARMACOCINÉTICA

É pouco absorvida via oral, agindo topicamente e nas mucosas.

MONITORAMENTO

Monitorar a eficácia do tratamento.

Referências Bibliográficas

COSTA, E. O.; GÓRNIAK, S. L. Agentes antifúngicos e antivirais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. FARIAS, M. R.; GIUFFRIDA, R. Antifúngicos. In: In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, 912 p. NOBRE, M. O. et al. Drogas antifúngicas para pequenos e grandes animais. Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.1, p.175-184, 2002 VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Monografias farmacêuticas. In: VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Formulário veterinário farmacêutico. 1. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2004 p <https://consultaremedios.com.br/nistatina/pa>. Acesso em 24 de maio de 2020. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/fl7R4Fp2cy/>. Acesso em 24 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd