Informações

Princípio Ativo: Metocarbamol.
Classe terapêutica: Relaxante Muscular.

Dose

Cães: Injetável: Para alívio de condições moderadas: 44 mg / kg IV; Para controlar os efeitos graves da estricnina e do tétano: 55 - 220 mg / kg IV; não exceda 330 mg / kg / d. Administre rapidamente metade da dose estimada e aguarde até o animal começar a relaxar antes de continuar a administração. Oral (comprimidos): Inicialmente, 132 mg / kg / d VO dividido a cada 8 - 12 horas, depois 61 - 132 mg / kg dividido a cada 8 - 12 horas. Se não houver resposta em 5 dias, interrompa.
Gatos: Injetável: Para alívio de condições moderadas: 44 mg / kg IV; Para controlar os efeitos graves da estricnina e do tétano: 55 - 220 mg / kg IV; não exceda 330 mg / kg / d. Administre rapidamente metade da dose estimada e aguarde até o animal começar a relaxar antes de continuar a administração. Oral (comprimidos): Inicialmente, 132 mg / kg / d VO dividido a cada 8 - 12 horas, depois 61 - 132 mg / kg dividido a cada 8 - 12 horas. Se não houver resposta em 5 dias, interrompa.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Metocarbamol

Classificaçāo

Relaxante Muscular

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em recipiente bem fechado, temperatura ambiente e ao abrigo de luz.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Metocarbamol 100 mg / mL, frasco-ampola (20 mL)
  • Metocarbamol 500 mg, comprimido
  • Metocarbamol 100 mg / mL, frasco-ampola (100 mL)
  • Robaxin-V 500 mg, comprimido
  • Robaxin-V 100 mg / mL, frasco-ampola (20 mL)
  • Robaxin-V 100 mg / mL, frasco-ampola (100 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Em cães e gatos, o metocarbamol é aprovado pela FDA "como terapia adjuvante de condições inflamatórias e traumáticas agudas do músculo esquelético e para reduzir espasmos musculares". O metocarbamol oral também tem sido utilizado no tratamento adjuvante da doença do disco intervertebral em cães. O metocarbamol IV foi considerado útil no tratamento de tremores e fasciculações musculares associadas a várias toxicidades em cães e gatos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Como o produto injetável contém polietilenoglicol 300, o fabricante lista patologia renal conhecida ou suspeita como contraindicação à terapia injetável com metocarbamol. O metocarbamol não deve ser utilizado em pacientes hipersensíveis a ele ou em animais a serem utilizados como alimento. Não administre SC e evite extravasamento (a solução de injeção é hipertônica). Não exceda 2 mL/min ao injetar IV em cães e gatos.

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos colaterais podem incluir sedação, salivação, êmese, letargia, fraqueza e ataxia em cães e gatos. Devido aos seus efeitos depressores do SNC, o metocarbamol pode prejudicar as habilidades dos animais que trabalham.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O metocarbamol deve ser usado com cautela durante a gestação, pois faltam estudos demonstrando sua segurança durante a prenhes. O metocarbamol ou seus metabólitos são excretados no leite de cães. Use com cuidado em lactantes.

SUPERDOSAGEM

A overdose é geralmente caracterizada por efeitos depressores do SNC. Doses excessivas em cães e gatos podem ser representadas por êmese, salivação, fraqueza e ataxia.

Interações medicamentosas

ANTICOLINÉRGICOS

O metocarbamol pode potencializar o efeito de drogas anticolinérgicas.

BUPRENORFINA

O metocarbamol pode aumentar o efeito depressor da buprenorfina no SNC.

OUTROS DEPRESSORES DO SNC

A depressão aditiva pode ocorrer quando o metocarbamol é administrado com outros agentes depressores do SNC.

MIRTAZAPINA

O metocarbamol pode aumentar o efeito depressor da mirtazapina no SNC.

PIRIDOSTIGMINA

O metocarbamol pode diminuir o efeito terapêutico da piridostigmina.

INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DE SEROTONINA

O metocarbamol pode aumentar os efeitos adversos/tóxicos dos ISRS.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo exato do metocarbamol para causar relaxamento do músculo esquelético é desconhecido. Supõe-se que funcione centralmente, talvez por efeitos depressivos gerais. O metocarbamol não tem efeitos relaxantes diretos no músculo estriado, nas fibras nervosas ou na placa motora. Não relaxa diretamente os músculos esqueléticos contraídos. O fármaco tem um efeito sedativo secundário.

FARMACOCINÉTICA

O metocarbamol é rapidamente absorvido por via oral em cães, com pico de concentração em 2 horas e meia-vida dependente da dose de 0,6 a 2 horas. O metocarbamol e seus metabólitos são extensivamente conjugados antes da excreção na urina. Há excreção limitada (ou seja, 2%) nas fezes, e a maioria do metocarbamol é eliminada em 24 horas. A guaifenesina é um metabólito menor do metocarbamol e foi quantificável após a administração oral; no entanto, provavelmente tem pouco efeito clínico.

MONITORAMENTO

Monitorar a eficácia do tratamento.

Referências Bibliográficas

DUBAL, V. S. et al. Analgesia pós-operatória em descompressão medular cervical em cães–revisão. Veterinária em Foco, v. 5, n. 1, p. 28-37, 2007. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/HcPJUBzmSg/>. Acesso em 23 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd