Informações

Princípio Ativo: Levetiracetam.
Classe terapêutica: Anticonvulsivante.

Dose

Cães: Comprimidos de liberação imediata: 20 - 60 mg/kg VO a cada 8 horas Comprimidos de liberação prolongada: 30 - 60 mg/kg VO com ou sem alimento a cada 12 horas. Estado epilético: 30 ou 60 mg/kg IV ou 40 mg/kg em administração retal utilizando 200 mg/mL de composto em suspensão.
Gatos: Informação indisponível
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Levetiracetam

Classificaçāo

Anticonvulsivante

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Levetiracetam 250 mg, comprimido
  • Levetiracetam 750 mg, comprimido
  • Keppra 250 mg, comprimido
  • Keppra 750 mg, comprimido
  • Iludral 250 mg, comprimido
  • Iludral 750 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Levetiracetam pode ser utilizado em terapia conjunta com fenobarbital e brometos em pacientes com epilepsia canina refratária. Há falta de evidências da eficácia da monoterapia com levetiracetam. Ele é útil para o tratamento de estado epilético e convulsões agudas repetitivas em cães. Pode ser utilizada em casa para terapia oral em pulsos para parar a atividade convulsiva e administração SC em casa pode ser útil em cão que desenvolvem estado epilético ou convulsões agudas repetitivas que não respondem suficientemente aos benzodiazepínicos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser administrado em animais com hipersensibilidade ao princípio ativo. Deve ser utilizado com cautela em pacientes com insuficiência renal; mudanças na dose e frequência devem ser consideradas.

EFEITOS ADVERSOS

Levetiracetam parece ser bem tolerado em cães e gatos. Os efeitos adversos relatados mais comuns incluem sedação e ataxia em cães e apetite reduzido, ataxia, hipersalivação e letargia em gatos. Esses efeitos podem ser transitórios. Mudanças no comportamento e efeitos no TGI podem acontecer.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em cães e gatos gestantes o levetiracetam deve ser utilizado com cautela. O levetiracetam é excretado no leite materno e sua seguridade em filhotes lactentes é desconhecida.

SUPERDOSAGEM

Altas dosagem podem aumentar a intensidade dos efeitos adversos. O tratamento deve ser de suporte; o fármaco pode ser removido por diálise. 

Interações medicamentosas

INTERAÇÕES

Carbamazepina

O uso concomitante pode resultar em sinais de toxicidade por carbamazepina (eg, nistagmo, ataxia e tontura).

Depressores do SNC

Pode aumentar o risco de depressão do SNC.

Metotrexato

Pode aumentar os níveis de metotrexato e o risco de toxicidade.

Fenobarbital

Em cães tratamento com fenobarbital em andamento aumenta significativamente a liberação de levetiracetam e reduz a meia-vida; ajustes de dose podem ser necessários. Valores farmacocinéticos do levetiracetam aparecem inalterados em gatos recebendo simultaneamente fenobarbitúricos.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo exato da ação anticonvulsivante do levetiracetam não é bem elucidado. O levetiracetam parece afetar a liberação de neurotransmissores no SNC pela ligação seletiva as proteínas presináptica SV2A na vesícula sináptica. Ele não afeta a excitabilidade neuronal normal. 

FARMACOCINÉTICA

Em cães, a absorção oral é de 100%, a meia-vida é de 3-4 horas e o volume de distribuição é de 0,4-0,5 L/kg. Em gatos a absorção oral também é de 100%, com meia-vida de 3 horas e volume de distribuição similar aos dos cães.

MONITORAMENTO

Monitorar a frequência das convulsões.

Referências Bibliográficas

NEVES, I. V. et al. Fármacos utilizados no tratamento das afecções neurológicas de cães e gatos. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 31, n. 3, p. 745-766, jul./set. 2010 PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/gN3gnIUPtd>. Acesso em 22 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/levetiracetam/pa>. Acesso em 22 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd