Informações

Princípio Ativo: Insulina Ultralenta.
Classe terapêutica: Hormônio.

Dose

Cães: 0,5 UI/kg SC a cada 12 - 24 horas.
Gatos: 1 - 3 UI/animal SC a cada 12 - 24 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Insulina Ultralenta

Classificaçāo

Hormônio

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Juntamente com a medicação, o paciente diabético necessita implementar nova dieta e rotina de exercícios, de acordo com a orientação do médico veterinário.

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado sob refrigeração, entre 2°C a 8°C, fora do alcance de crianças e animais domésticos. Não congele.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Insulina Ultralenta, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Insulina sintética de ação prolongada usada no tratamento de manutenção em pacientes com diabetes mellitus.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar quando não houver a possibilidade do acompanhamento da glicemia dos pacientes, pois pode causar hipoglicemia.

EFEITOS ADVERSOS

O principal efeito adverso é a hipoglicemia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não há restrições do uso de insulina no tratamento de diabetes durante a gestação, no entanto o tratamento deve ser avaliido e acompanhado cuidadosamente pelo médico veterinário.

SUPERDOSAGEM

A sobredosagem de insulina pode acarretar hipoglicemia grave.

Interações medicamentosas

Betametasona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito hipoglicemiante diminuído

Conduta

Monitorar glicemia

Captopril

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Carvedilol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Cetoprofeno

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Ciclofosfamida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Ciprofloxacina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Cloranfenicol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito hipoglicemiante aumentado

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático dessas subst.

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Cloreto de Potássio

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Decanoato de Nandrolona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Subs. Hipoglicemiante

Mecanismo de Ação

Esteróides anabólicos melhoraram a tolerância à glicose

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Extrato de Macela Dourada

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipoglicemia

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Fenilbutazona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado das Subst. Hipoglicemiantes

Conduta

Evitar o uso

Furazolidona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipoglicemia

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Hidroclorotiazida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Subst. Hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Hidroclortiazida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Subst. Hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Levotiroxina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Subst. Hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Paracetamol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

S-Adenosil-Metionina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipoglicemia

Mecanismo de Ação

Sinergismo farmacológico

Conduta

Monitor glicemia, ajustar dose

Tetraciclina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Mecanismo de Ação

Aumento da resposta extra-pancreática de Insulina

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A insulina incrementa o transporte de glicose, aminoácido, ácidos graxos, nucleotídeos e íons; Promove a ativação das vias anabólicas em detrimento das vias catabólicas do metabolismo intermediário. Estimula o crescimento celular, devido a interação da insulina com os fatores de crescimentos.

FARMACOCINÉTICA

O pico da insulina ocorre em 4-16 horas em cães e em 2-14 horas em gatos e a duração de 8-28 horas em cães e de 12 a 24 horas em gatos.

MONITORAMENTO

Monitorar as concentrações sanguíneas de glicose, hemoglobina glicosilada e/ou frutosamina.

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S.F. Princípios ativos, apresentações e doses para cães e gatos. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, ANDRADE, M. M. J.; MARCO, V. Insulina e hipoglicemiantes orais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. VEIGA, A. P. M. Obeisdade e diabetes mellitus em pequenos animais. Anais do 2º Simpósio de Patologia Clínica Veterinária da Região Sul do Brasil, realizada em Porto Alegre, no ano de 2005 / editado por Félix H.D. Gonzalez, Andréa Pires dos Santos - Porto Alegre: UFRGS, 2005 <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/WTkEVuzVbm>. Acesso em 21 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd