Informações

Princípio Ativo: Hidroxiuréia.
Classe terapêutica: Antineoplásico.

Dose

Cães: Policitemia vera, leucemia mieloide crônica, mastocitoma: dose inicial de 50 - 60 mg/kg VO a cada 24 horas por 1 - 2 semanas e depois a cada 48 horas.
Gatos: Policitemia vera, leucemia mieloide crônica: dose inicial de 30 mg/kg VO a cada 24 horas ou 10 - 15 mg/kg VO a cada 12 horas por 1 - 2 semanas e depois a cada 48 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Hidroxiuréia

Classificaçāo

Antineoplásico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz e umidade e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Hidroxiuréia 500 mg, cápsula
  • Hydrea 500 mg, cápsula
  • Tepev 500 mg, cápsula

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A hidroxiuréia pode ser útil no tratamento de policitemia vera, mastocitomas, meningioma e leucemias em cães e gatos. A hidroxiuréia é usada como agente único ou combinado com radioterapia para o tratamento de meningiomas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Os riscos e benefícios devem ser considerados antes de usar hidroxiuréia nos pacientes com as seguintes condições: anemia, depressão da medula óssea, histórico de cálculos de urato, infecção, insuficiência renal ou em pacientes que fez quimioterapia ou radioterapia previamente.

EFEITOS ADVERSOS

Os potenciais efeitos adversos incluem: efeitos gastrointestinais, estomatites, alopecia, descamação das unhas e disúria. Os efeitos adversos mais graves são mielossupressão e fibrose pulmonar. Se ocorrer mielotoxicidade, é recomendado interromper a terapia até que os valores retornem ao normal.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinadas à reprodução.

Interações medicamentosas

Agentes mielossupressores

O uso concomitante com outro depressor da medula óssea pode resultar em mielosupressão adicional; quando possível, evite essa combinação.

Vacinas (vivas e inativadas)

A hidroxiureia pode diminuir a eficácia da vacina e aumentar os efeitos adversos delas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Aparentemente a hidroxiuréia inibe a incorporação da timidina no DNA e pode danificá-lo diretamente. Atua na fase S da síntese de DNA sobre a enzima ribonucleosídeo difosfato redutase, mas também pode capturar as células na borda G1-S. A hidroxiuréia inibe a urease, mas é menos potente que o ácido aceto-hidroxâmico.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Esta relacionada a supressão da medula óssea; então pode ocorrer leucopenia e anemia. A hidroxiureia pode provocar resultados elevados falsos na determinação de ureia, ácido úrico e ácido lático, devido a sua interferência nas enzimas urease, uricase e desidrogenase láctica.

MONITORAMENTO

Os pacientes devem ser monitorados com exames clínicos e hematológicos semanalmente. Gatos podem necessitar de uma frequência maior que cães.

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S. F. Terapêutica antineoplásica. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, 912 p. CONTI, J. P. et al. Tratamento cirúrgico de um caso de meningioma cortical frontal em cão - relato de caso. Vet e Zootec. 17 (4): 490-496, dez/2010. DAGLI, M. L. Z., LUCAS, S. R. R. Agentes antineoplásicos. In: Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária, 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/HTExZydk8T/>. Acesso em 20 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/hidroxiureia/pa>. Acesso em 20 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd