Informações

Princípio Ativo: Hidroclorotiazida.
Classe terapêutica: Diurético Tiazídico.

Dose

Cães: Prevenção de urólitos recorrentes de oxalato de cálcio com hipercalciúria renal: 2 - 2,2 mg/kg VO cada 12 horas. Agente diurético: começo do tratamento 1 - 2 mg/kg VO a cada 12 - 4 horas, ajustando para 4 mg/kg a cada 12 horas. Hipertensão sistêmica: como segundo medicamento de escolha 1 mg/kg VO a cada 12 - 24 horas. Hipoglicemia assocada a tumores malignos: 2 - 4mg/kg VO a cada 24 horas em conjunto com diazóxido 5 -20 mg/kg a cada 12 horas.
Gatos: Redução da saturação de oxalato de cálcio na urina: 1 mg/kg VO a cada 12 horas. Diabetes insipidus nefrogênica: 12,5 - 25 mg por gato VO a cada 12 - 24 horas. Diabetes insipidus central: 12,5 mg por gato VO a cada 12 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Hidroclorotiazida

Classificaçāo

Diurético Tiazídico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Hidroclorotiazida 25 mg, comprimido
  • Hidroclorotiazida 50 mg, comprimido
  • Hidroflux 25 mg, comprimido
  • Hidroflux 50 mg, comprimido
  • Moduretic 25 mg, comprimido
  • Moduretic 50 mg, comprimido
  • Clorana 25 mg, comprimido
  • Clorana 50 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Na medicina veterinária  a furosemida tem amplamente substituído o uso de tiazidas como diurético de eleição. As tiazidas ainda são utilizadas para o tratamento de hipertensão sistêmica, ascites, hipermagnesemia, diabetes insipidus nefrogênica e para prevenir a recorrência de urólitos de oxalato de cálcio em cães e potencialmente em gatos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não utilizar em pacientes azotêmicos ou com anúria. Cautela em portadores de doença hepática ou renal graves, distúrbios hidroeletrolíticos e diabetes mellitus.

EFEITOS ADVERSOS

Hipocalemia, alcalose hipoclorêmica, hiponatremia, hipomagnesemia, hipopotassemia, hipotensão, hiperuricemia, vômito, diarréia, reações dermatológicas, poliúria e hiperglicemia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Usar com cautela em gestantes.

SUPERDOSAGEM

O tratamento consiste no esvaziamento gástrico após a ingestão recente usando os protocolos usuais. Evite o uso concomitante e catárticos, pois eles podem exacerbar os desequilíbrios de fluido e eletrólitos que podem ocorrer. Monitore e dê o devido suporte a possíveis anormalidades. Monitore o estado respiratório, cardiovascular e do SNC, trate com suporte e de forma sintomática conforme a necessidade.

Interações medicamentosas

INTERAÇÃO

Anfotericina B

Seu uso com tiazídicos pode levar ao aumento do risco de hipocalemia severa.

Corticosteroids, Corticotropina

Seu uso com tiazídicos pode levar ao aumento do risco de hipocalemia severa.

Diazóxido

Aumenta o risco de hiperglicemia, hiperuricemia e hipotensão.

Digoxina

Hipocalemia, hipomagnesemia e/ou hipercalcemia induzidas pela tiazida podem aumentar a chance de toxicidade digitálica.

Insulina

Tiazidas podem aumentar o requerimento de insulina.

Lítio

Tiazidas podem aumentar as concentrações séricas de lítio.

Metenamina

Tiazidas podem alcalinizar a urina e reduzir a efetividade da metenamina.

Agentes Mielossupressores

Podem aumentar a exposição e aprofundar a mielossupressão.

AINEs

Tiazidas podem aumentar o risco de toxicidade renal e AINEs podem reduzir as ações diuréticas das tiazidas.

Bloqueadores Neuromusculares

A tubocurarina ou outros bloqueadores neuromusculares não despolarizantes podem ter sua resposta ou duração aumentadas.

Probenecid

Bloqueia a retenção de ácido úrico induzida pela tiazida (usado para vantagem terapêutica).

Quinidina

Meia-vida pode ser prolongada pelas tiazidas (tiazidas podem alcalinizar a urina).

Vitamina D ou Sais de Cálcio

A hipercalemia pode ser  exacerbada se tiazidas forem administradas concomitantemente.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os tiazídicos agem diminuindo a reabsorção ativa dos íons de sódio e cloreto pela inibição da ação do íon transportador Na+CL-. Não apresentam efeitos sobre a alça ascendente espessa de Henle.

FARMACOCINÉTICA

Os tiazídicos podem ser administrados pela via oral ou intravenosa, porém pela via oral a absorção ocorre de maneira mais lenta. Apresenta metabolização hepática e eliminação hepática e renal.

MONITORAMENTO

Eletrólitos séricos, uréia e nitrogênio sanguíneos, creatinina, glicose; hidratação; pressão sanguínea, se indicado; hemograma completo, se indicado.

Referências Bibliográficas

AVISO: algumas informações foram retiradas da bula do medicamento referência, que consta na base de dados da ANVISA. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp> KOGIKA, M. M. e YAMATO, R. J. Diuréticos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/d9zlpmj3wG/>. Acesso em 20 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/hidroclorotiazida/pa>. Acesso em 20 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd