Informações

Princípio Ativo: Glicopirrolato.
Classe terapêutica: Anticolinérgico.

Dose

Cães: Adjunto à anestesia: 0,011 mg/kg IV, IM ou SC Bradiarritmias: 0,005 - 0,01 mg/kg IV. Tratamento adjuvante de sinais muscarínicos associados à intoxicação por carbamatos ou organofosforados: 0,01 - 0,02 mg/kg IV.
Gatos: Adjunto à anestesia: 0,011 mg/kg IM. Bradiarritmias: 0,005 - 0,01 mg/kg IV. Tratamento adjuvante de sinais muscarínicos associados à intoxicação por carbamatos ou organofosforados: 0,01 - 0,02 mg/kg IV.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Glicopirrolato

Classificaçāo

Anticolinérgico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em recipiente fechado, temperatura ambiente e ao abrigo de luz.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Glicopirrolato 0,2 mg/mL, solução injetável
  • Seebri 50mcg, cápsulas de pó para uso inalatório + inalador

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O glicopirrolato pode ser benéfico em animais jovens quando o débito cardíaco depende da frequência cardíaca ou quando opióides potentes estão sendo usados. O medicamento também é usado para tratar bradicardia sinusal, parada sinoatrial, bloqueio atrioventricular incompleto e quando a terapia anticolinérgica pode ser benéfica. Quando agentes colinérgicos, como a neostigmina e piridostigmina, são usados para reverter o bloqueio neuromuscular por relaxantes musculares não despolarizantes, o glicopirrolato pode ser administrado simultaneamente para evitar efeitos muscarínicos periféricos do agente colinérgico.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

É contraindicado em cães e gatos hipersensíveis ao glicopirrolato e não deve ser usado em animais prenhes. Os agentes muscarínicos devem ser usados com extrema cautela em pacientes com infecção gastrointestinal, seja suspeita ou diagnosticada. O glicopirrolato e outros agentes antimuscarínicos diminuem a motilidade gastrointestinal e prolongam a retenção de agentes causadores ou toxinas, prolongando os sinais clínicos. Os agentes antimuscarínicos também devem ser usados com extremo cuidado em pacientes com neuropatia autonômica. Esses agentes não são recomendados para tratar bradicardia secundária à dexmedetomidina (é preferível rever com atipemazole). Os agentes antimuscarínicos devem ser usado com atenção em pacientes com doença renal ou hepática, pediátricos ou geriatras, com hipertiroidismo, hipertensão, cardiomiopatia hipertrófica, insuficiência cardíaca congestiva, taquiarritmias, hipertrofia prostática ou refluxo esofágico. Esses medicamentos podem produzir taquicardia sinusal ou predispor pacientes hipotensos a arritmias cardíacas (incluindo fibrilação ventricular).

EFEITOS ADVERSOS

Os agentes antimuscarínicos causam geralmente o aumento da frequência cardíaca, diminuição das secreções, secura das mucosas, diminuição da motilidade do TGI e pupilas dilatadas. Pode ser esperado com o uso do glicopirrolato xerostomia, disfagia,retenção urinária, excitação, ataxia, convulsões, fotofobia, deficiência visual, hipertensão e colapso circulatório.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Enquanto bulas veterinárias afirmam que este medicamento não deve ser usado durante a gestação, ele não aparenta apresentar muito risco, já que atravessa a placenta apenas marginalmente. Não foram encontradas informações específicas a respeito da lactação segura; no entanto, é improvável que seja excretada no leite em quantidades significativas por causa de sua estrutura quaternária.

SUPERDOSAGEM

Devido sua estrutura quaternária, é esperado mínimos efeitos no SNC na superdosagem de glicopirrolato quando comparado à atropina.

Interações medicamentosas

Amitraz

O glicopirrolato pode agravar alguns sinais observados com a toxicidade do amitraz, levando à hipertensão e inibição adicional do peristaltismo.

Antiácidos

Podem diminuir a absorção oral. Dê glicopirrolato oral pelo menos 1 hora antes do antiácido.

Betabloqueadores

O glicopirrolato pode aumentar a biodisponibilidade oral.

Bupropiona

O uso concomitante pode diminuir o limiar convulsivo.

Digoxina (comprimido)

O glicopirrolato pode aumentar os níveis séricos de digoxina; faça uso oral na forma líquida.

Metoclopramida

A atropina e seus derivados podem antagonizar as ações da metoclopramida.

Oximorfona

O uso concomitante pode aumentar o risco de íleo paralítico, depressão respiratória e depressão do SNC.

Cloreto de potássio (oral)

Pode aumentar significativamente a quantidade de potássio absorvida. Esta combinação também pode resultar em risco de lesão gastrointestinal.

Os fármacos a seguir podem aumentar a ação ou toxicidade do glicopirrolato:

Amantidina, agentes anticolinérgicos, relaxantes musculares anticolinérgicos, anti histamínicos, meperidina, fenotiazínicos, procainamida, primidona e antidepressivos tricíclicos.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não administrar com Cloreto ou Bicarbonato de Sódio.

FARMACODINÂMICA

O glicopirrolato é um antimuscarínico com ações similares à atropina, sendo um composto de amônia quaternária, mas diferente da atropina, o glicopirrolato não atravessa a barreira hemato-encefálica e nem a barreira hemato-placentária. Portanto, os efeitos adversos do SNC e os efeitos clínicos no feto/recém-nascido não devem ser acontecer. Os agentes antimuscarínicos inibem competitivamente a acetilcolina ou outros estimulantes colinérgicos nas junções neuroefetoras parassimpáticas pós-ganglionares. Doses altas podem bloquear os receptores nicotínicos nos gânglios autonômicos e na junção neuromuscular. Em doses baixas, notam-se salivação e secreção brônquica. Em doses sistêmicas moderadas o glicopirrolato aumenta a frequência cardíaca. Doses altas diminuem a motilidade gastrointestinal e do trato urinário. Doses muito altas pode inibir a secreção de ácido gástrico.

FARMACOCINÉTICA

Os agentes anticolinérgicos quaternários não são completamente absorvidos após administração oral.  Os efeitos vagolíticos persistem por 2 a 3 horas e o efeito anti sialorreia persiste por até 7 horas. Após administração oral, o efeito anticolinérgico persiste por 8 a 12 horas. Por ser um composto de amônia quaternária, o glicopirrolato é completamente ionizado e por isso tem baixa solubilidade lipídica e não penetra facilmente o SNC ou olhos. Atravessa a placenta apenas marginalmente e não se sabe se é excretado no leite.

MONITORAMENTO

Monitorar frequência cardíaca.

Referências Bibliográficas

DYSON, Doris H.; JAMES-DAVIES, Rick. Dose effect and benefits of glycopyrrolate in the treatment of bradycardia in anesthetized dogs. The Canadian Veterinary Journal, v. 40, n. 5, p. 327, 1999. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/TmwREZ6Zap>. Acesso em 19 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/brometo-de-glicopirronio/pa>. Acesso em 19 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd