Informações

Princípio Ativo: Fluconazol.
Classe terapêutica: Antifúngico.

Dose

Cães: Micose sistêmica (organismos sensíveis ao fluconazol): 5 - 10 mg/kg VO ou IV a cada 12-24 horas. Infecções envolvendo o SNC podem precisar de doses acima de 15 mg/kg a cada 12 horas. Candidíase urinária: 5 - 10 mg/kg VO a cada 24 horas por 3-5 semanas. Uveíte anterior causada por criptococose: 10 - 15 mg/kg VO a cada 24 horas. Tratamento sistêmico de dermatite, dermatofitose, onicomicose por Malassezia spp: 2,5 - 5 mg/kg VO a cada 24 horas.
Gatos: Micose sistêmica (organismos sensíveis ao fluconazol): 10 mg/kg VO a cada 12 horas; infecção disseminada grave ou de progressão rápida: 100 mg/gato VO a cada 12 horas. Uveíte anterior causada por criptococose: 10 - 15 mg/kg VO a cada 24 horas. Tratamento sistêmico de dermatite, dermatofitose, onicomicose por Malassezia spp: 5 mg/kg VO a cada 12 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Fluconazol

Classificaçāo

Antifúngico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Informe ao Médico Veterinário a ocorrência de gestação ou lactação durante ou logo após o tratamento. A interrupção do tratamento e a modificação de dose não devem ser feitas sem a orientação do Médico Veterinário. Os microrganismos são capazes de desenvolver resistência nos casos de subdosagem. O medicamento só deve ser prescrito por um Médico Veterinário. O uso indiscriminado de antifúngicos pode ser perigoso para a saúde dos animais.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 5°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Fluconazol 150 mg, comprimido (1 un)
  • Fluconazol 2 mg/mL, solução injetável (100 mL)
  • Fluconazol 50 mg, comprimido (8 un)
  • Fluconazol 100 mg, comprimido (8 un)
  • Zoltec Cápsula 150mg, cápsula (1 un)
  • Exomax 2mg/mL, solução injetável (100 mL)
  • Flucanil 150mg, cápsula (1 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O fluconasol demonstrou eficácia contra leveduras, sendo eficaz em casos de malasseziose, candidíase, criptococose, histoplasmose, blastomicose, e coccidiomicose. Há excelentes resultados na terapia das criptococoses felinas nasal e cutânea, criptococose ocular e neurocriptococose. É a medicação de eleição em pacientes com infecções micóticas de trato urinário (FARIAS & GIUFFRIDA, 2008).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O fluconazol não deve ser administrado em pacientes hipersensíveis a ele ou a qualquer outro agente antifúngico azol. Em pacientes com insuficiência hepática, o fluconazol deve ser usado apenas quando os benefícios prevalecem sobre os riscos. O fluconazol é eliminado principalmente pelos rins. As doses ou o intervalo entre as doses podem necessitar de ajuste em pacientes com insuficiência renal.

EFEITOS ADVERSOS

O fluconazol é bem tolerado pela maioria dos cães e gatos. Foram relatados inapetência, vômitos, fezes amolecidas ou diarreia, mas que podem ser leves ou transitórias e não precisa interromper o tratamento. É possível ocorrer hepatotoxicidade e aproximadamente 15-20% dos cães tratados a longo prazo podem ter aumento nas concentrações de ALT. Ocasionalmente, o aumento da ALT piora, necessitando da descontinuação do fluconazol.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada em pacientes gestantes, lactantes ou em período fértil.

SUPERDOSAGEM

Há registros de insuficiência hepática e icterícia.

Interações medicamentosas

Anfotericina B

Estudos em animais de laboratório mostraram que o fluconazol usado junto com a anfotericina B pode antagonizar o Aspergillus spp ou a Candida spp; a importância clínica desses achados não está clara.

Benzodiazepínicos

São possíveis o aumento dos níveis dos benzodiazepínicos e efeitos adversos subsequentes.

Buspirona

As concentrações plasmáticas podem elevar.

Cimetidina

Pode diminuir os níveis de fluconazol.

Cisaprida

Os uso concomitante fez os níveis de cisaprida quase dobrarem podendo aumentar o risco de prolongamento de QT.

Colchicina

Há possível aumento nos níveis e efeitos da colchicina.

Corticosteróides

O fluconazol pode inibir o metabolismo do corticosteróide; há potencial aumento os efeitos adversos.

Ciclofosfamida

O fluconazol pode inibir o metabolismo da ciclofosfamida e de seus metabólitos; potencial aumento de toxicidade.

Ciclosporina

O fluconazol aumenta os níveis de ciclosporina. 

Diuréticos tiazídicos

Possível aumento das concentrações de fluconazol. 

Fentanil

O fluconazol pode aumentar os níveis de fentanil.

Losartana

Possível aumento dos efeitos da losartana; recomenda-se o aumento do monitoramento da pressão sanguínea.

Antibióticos macrolídeos

O uso concomitante pode aumentar o risco de prolongamento do QT.

Metadona

O uso concomitante pode aumentar o risco de prolongamento do QT.

AINE’s

O fluconazol pode aumentar os níveis plasmáticos de alguns agentes; risco aumento de eventos adversos.

Quinidina

Risco aumentado de cardiotoxicidade.

Rifampicina

Pode diminuir a eficácia do fluconazol; o fluconazol pode aumentar os níveis da rifampicina.

Sildenafil

Exposição aumentada do sildenafil.

Teofilina/aminofilina

Possível aumento das concentrações da teofilina.

Antidepressivos tricíclicos

O fluconazol pode exacerbar os efeitos dos antidepressivos tricíclicos.

Agentes antidiabéticos 

O fluconazol pode aumentar seus níveis; possível hipoglicemia.

Vincristina/vimblastina

O fluconazol pode inibir o metabolismo de alcalóides da vinca. 

Varfarina

O fluconazol pode aumentar o tempo de protrombina em pacientes que recebem varfarina ou outro anticoagulante cumarínico.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os triazóis interferem na síntese do ergosterol na membrana celular fúngica, inibindo a desmetilação do lanosterol, que é um precursor do esterol. O acúmulo deste altera vários sistemas enzimáticos e a permeabilidade da membrana , conduzindo à difusão de potássio intracelular e à morte celular. Adicionalmente, esses compostos interferem na síntese de ácidos graxos, triglicerídeos e ácidos nucléicos , além de inibirem enzimas oxidativas e o citocromo c peroxidativo, o que leva a um aumento intracelular da geração de produtos de rivados do oxigênio. Quando em baixas doses, essas drogas são fungistáticas, porém quando em alta concentração, elas da nificam rapidamente a membrana celular fúngica, possuindo efeito fungicida (FARIAS & GIUFFRIDA, 2008).

FARMACOCINÉTICA

Possui excelente absorção gastroentérica, não se observando alterações de sua biodisponibilidade por modificações do pH gástrico. Por ser hidrossolúvel , somente 11% do fármaco é conjugado à albumina plasmática, o que permite sua difusão e alta concentração em inúmeros tecidos e líquidos corporais. Apresenta boa penetração na pele, unhas, glândula salivar, sistema respiratório, urinário e reprodutor. Distribui-se amplamente pelos tecidos oculares e no sistema nervoso central. 90% do fármaco é eliminado de forma inalterada na urina.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

O uso de triazóis pode causar aumento das aminotransferases, ureia e fosfatase alcalina.

MONITORAMENTO

Monitorar a eficácia do tratamento e possível aparição ou aumento de efeitos adversos.

Referências Bibliográficas

COSTA, E. O.; GÓRNIAK, S. L. Agentes antifúngicos e antivirais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. FARIAS, M. R.; GIUFFRIDA, R. Antifúngicos. In: In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, 912 p. NOBRE, M. O. et al. Drogas antifúngicas para pequenos e grandes animais. Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.1, p.175-184, 2002 <https://consultaremedios.com.br/fluconazol/pa>. Acesso em 17 de maio de 2020. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/FocUc6SwC4/>. Acesso em 17 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd