Informações

Princípio Ativo: Firocoxib.
Classe terapêutica: Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE).

Dose

Cães: 5 mg/kg VO a cada 24 horas.
Gatos: Informação indisponível
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Firocoxib

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

ARMAZENAMENTO

Conservar o produto em sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), em local seco e ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Firocoxib 57 mg, comprimido
  • Firocoxib 227 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É indicado no tratamento da dor e inflamação associadas à osteoartrites, doenças articulares degenerativas e pós-operatório ortopédico, tecidos moles ou dentários.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em cães com menos de 12 meses de vida e/ou menos de 5 kg de peso corporal, pacientes que sofrem de distúrbios gastrointestinais, incluindo ulceração e sangramento, de um distúrbios hemorrágicos, tem função renal ou hepática comprometida, insuficiência cardíaca ou hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer excipiente.

EFEITOS ADVERSOS

Distúrbios gastrointestinais como: perda de apetite, diarréia, vômito, lesões de mucosa gástrica já foram reportados. Podem causar lesões renais importantes, principalmente com uso prolongado.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em animais prenhes, de criação, em lactação e em fase de reprodução.

SUPERDOSAGEM

Altas doses aumentam os efeitos adversos e podem causar danos severos aos rins e ao estômago.

Interações medicamentosas

Inibidores da ECA

Alguns AINE’s podem reduzir os efeitos sobre a pressão sanguínea.

Aspirina

Pode aumentar o risco de toxicidade gastrointestinal.

Corticosteróides

Pode aumentar o risco de toxicidade gastrointestinal.

Digoxina

Os AINE’s pode aumentar os níveis séricos.

Fluconazol

Pode afetar os níveis de firocoxib em cães.

Furosemida

Os AINE’s podem reduzir os efeitos saluréticos e diuréticos.

Medicamentos altamente ligados à proteína

Devido a firocoxib ser altamente ligada às proteínas plasmáticas, ela pode deslocar outros medicamentos altamente ligados à proteínas ou esses agentes podem deslocar a firocoxib. Pode haver aumento nos níveis séricos, tempo de ação e toxicidade.

Metotrexato

Pode haver toxicidade grave quando os AINE’s são usados juntamente com metotrexato. Use simultaneamente com extrema cautela.

Medicamentos nefrotóxicos

Pode aumentar o risco para desenvolver de nefrotoxicidade.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação dos AINEs (Anti-inflamatórios não esteroides) ainda não são completamente conhecidos, porém sabe-se uma das principais funções é a de inibir a síntese das prostaglandinas, importante processo da inflamação. A inibição da síntese de prostaglandinas ocorre principalmente pela inibição específica das ciclixigenases (COX-1 e COX-2), e conseqüente redução da conversão do ácido araquidônico em prostaglandinas. Os coxibes são inibidores seletivos da Cox-2, aumentando as chances de causar danos renais aos pacientes.

FARMACOCINÉTICA

O firocoxib tem meia-vida de 7-8 horas em cães. É altamente ligado às proteínas (96-98%). A absorção oral é de 38% em cães, e de 54-70% em gatos. A presença de alimentos retarda a absorção, mas não diminui a absorção geral.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Podem ocorrer alterações em exames relacionados a função e bioquímica renal.

MONITORAMENTO

Monitorar sinais gástricos para evidência de diarreia, sangramento gástrico ou úlceras. Devido ao risco de lesão renal, monitore parâmetros renais (consumo de água, ureia, creatinina e densidade específica da urina) periodicamente durante o tratamento.

Referências Bibliográficas

BORGES, M. et al. Função renal, hepática e cardíaca de cães hígidos sob terapia prolongada com celecoxibe. Cienc. Rural vol.42 no.10 Santa Maria Oct. 2012 PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012 SCHRODER, D. C. et al. Firocoxib on aqueous humor prostaglandin E 2 levels for controlling experimentally-induced breakdown of blood-aqueous... Ciência Rural, v.46, n.6, jun, 2016. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/rgCsdZuawZ/>. Acesso em 16 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd