Informações

Princípio Ativo: Fenilefrina.
Classe terapêutica: Simpatomimético Sintético.

Dose

Cães: 1 gota / olho.
Gatos: 1 gota / olho.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Fenilefrina

Classificaçāo

Simpatomimético Sintético

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Fenilefrina 100 mg/mL, frasco (5 mL), (3,571 mg/gota)
  • Colírio Fenilefrina 10% Oculum 100mg/mL, frasco 5 mL

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Em pacientes veterinários, a fenilefrina é mais comumente usada para induzir midríase antes da facoemulsificação para remoção de catarata. Também é usada antes de procedimentos menores da superfície ocular para minimizar o sangramento. A  fenilefrina é usada também para distinguir lesões de 2ª e 3ª ordem na síndrome de Horner, devido o fenômeno de hipersensibilidade à denervação.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Glaucoma de ângulo estreito, hipertensão, diabetes mellitus.

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos pode causar aceleração dos batimentos cardíacos e palpitações, aumento da pressão arterial, aumento da sudorese, cefaléia, sensibilidade dos olhos à luz e lacrimejamento.

SUPERDOSAGEM

Em geral, superdosagens não provocam problemas agudos.

Interações medicamentosas

Observações da interação

Sinergismo: inibidores da MAO, antidepressivos tricíclicos.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A fenilefrina é um agonista a1-adrenérgico que em concentrações significativas tem ação de ativação dos receptores beta. Quando usada de maneira sistêmica pode provocar bradicardia reflexa, porém no Brasil as formulações encontradas são como colírios midriáticos.

FARMACOCINÉTICA

Quando administrada de forma intravenosa tem ação em 5 a 10 minutos (MASSONE, 2008). É amplamente distribuída pelos tecidos, incluindo SNC. Uma pequena parcela é convertida em metabólitos. A excreção ocorre através da urina.

MONITORAMENTO

A pressão arterial e parâmetros cardíacos do paciente devem ser monitorados.

Referências Bibliográficas

MASSONE, F. Anestesiologia veterinária: farmacologia e técnicas. 5. ed., Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2008, 571p. PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012 <https://consultaremedios.com.br/cloridrato-de-fenilefrina/pa>. Acesso em 15 de maio de 2020. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/jD1pRzxlHq/>. Acesso em 15 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd