Informações

Princípio Ativo: Enalapril.
Classe terapêutica: Inibidor da ECA.

Dose

Cães: Tratamento adjuvante na insuficiência cardíaca: 0,5 mg/kg VO a cada 24 horas. Hipertensão sistêmica em cães com DRC: 0,5 mg/kg VO a cada 12 horas.
Gatos: Tratamento adjuvante da insuficiência cardíaca congestiva: 0,25 - 0,5 mg/kg VO a cada 24 horas. Hipertensão sistêmica: 0,5 mg/kg VO a cada 24 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Enalapril

Classificaçāo

Inibidor da ECA

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não descontinue o tratamento sem o conhecimento do médico veterinário. Não altere a dose indicada.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Enalaprev 20 mg, comprimido
  • Enalapril 2,5 mg, comprimido
  • Enalapril 5 mg, comprimido
  • Enalapril 20 mg, comprimido
  • Enalapril 25 mg, comprimido
  • Enalapril 10 mg, comprimido
  • Enalabal 10 mg, comprimidos
  • Pressel 20 mg, comprimidos
  • Renitec 2,5 mg, comprimido
  • Renitec 5 mg, comprimido
  • Renitec 20 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

De acordo com o consenso do guideline do ACVIM 2019 para o tratamento de doença da valva mitral em cães, o uso de inibidor da ECA é recomendado no tratamento crônico de cães no estágio C e D da insuficiência cardíaca. Os inibidores da ECA são considerados padrão ouro no tratamento no tratamento de hipertensão em cães devido a alta prevalência de doença renal crônica (DRC) em cães hipertensos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O uso de inibidores da ECA em pacientes gravemente enfermos com lesão renal aguda geralmente não é recomendada por causa dos potenciais efeitos negativos que eles têm na taxa de filtração glomerular; ao se recuperar da lesão renal aguda, os pacientes devem ser estabilizados antes de receber tratamento com essa classe de medicamento.  O enalapril deve ser usado com cuidado em pacientes com hiponatremia ou depleção de sódio, desidratação, anormalidades hematológicas pré-existentes e/ou doença do colágeno.

EFEITOS ADVERSOS

Ocasiona efeitos gastrintestinais (vômito, diarreia e anorexia) principalmente em cães. Pode causar também hipotensão, hipercalemia, fraqueza e complicações renais. Os efeitos adversos do enalapril em gatos incluem letargia e inapetência.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Contraindicado para uso em gestação. O uso de inibidores da ECA durante a gestação foi associado com dano fetal e neonatal e morte em humanos. Pode ser excretado no leite.

SUPERDOSAGEM

Em situações de superdosagem, a principal preocupação é a hipotensão; é recomendado o tratamento suporte com expansão de volume usando solução salina para corrigir a pressão sanguínea. Devido a longa duração de ação do medicamento, o monitoramento e tratamento prolongados podem ser necessários. A superdosagem aguda deve ser resolvida através de protocolos de esvaziamento intestinal quando necessário. O medicamento é removido por diálise.

Interações medicamentosas

Agentes anestésicos inalatórios e injetáveis

O uso concomitante pode causar aumento do risco de hipotensão. Cães que receberam 0,5 mg/kg VO a cada 12 horas sob anestesia geral de isoflurano tiveram uma hipotensão significante e precisaram de mais intervenções se comparados aos cães que não receberam enalapril.

Antiácidos

Pode ocorrer a redução da absorção via oral do enalapril se ele for administrado junto com antiácido; a administração entre ambos deve ter um tempo de diferença de pelo menos 2 horas.

Vasodilatadores e agentes anti hipertensivos

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão e de outros efeitos adversos; as doses devem ser quantificadas com cuidado.

Baclofeno

A administração simultânea pode aumentar o risco de hipotensão.

Buspirona

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Cabergolina

O uso concomitante pode levar à hipotensão adicional.

Cimetidina

O uso concomitante com inibidores da ECA causou disfunção neurológica em 2 pacientes humanos.

Corticosteróides

Podem diminuir os efeitos anti hipertensivos dos inibidores da ECA.

Alfaepoetina e darbepoetina alfa 

Os inibidores da ECA podem interferir na eritropoetina. 

Digoxina

Os níveis de digoxina podem aumentar de 15% para 30% quando um inibidor da ECA é administrado; é recomendado que faça o monitoramento dos níveis de digoxina sérica ao invés da redução automática da dose.

Difenidramina

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Disopiramida

Pode aumentar os efeitos hipoglicêmicos.

Diuréticos

O uso concomitante com diuréticos pode causa hipotensão se administrados com enalapril; as doses devem ser quantificadas com cuidado.

Doxepina

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Glicerol via oral

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Lítio

Pode aumentar o risco de toxicidade por lítio.

Heparinas de baixo peso molecular

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipercalemia.

AINE's

Podem reduzir a eficácia clínica do enalapril quando são usados como agentes anti hipertensivos.

Opióides

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Potássio ou diuréticos poupadores de potássio

Podem desenvolver hipercalemia. 

Probenecida

Pode diminuir a excreção renal de enalapril e possivelmente aumentar os efeitos clínicos e tóxicos da probenecida.

Sildenafil

O uso concomitante pode aumentar o risco de hipotensão.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os inibidores da enzima conversora da angiotensina (IECAs) atuam pela inibição da conversão de angiotensina I para angiotensina II. A diminuição da angiotensina II plasmática aumenta a atividade da renina plasmática (em razão da remoção do feedback negativo da liberação de renina) e diminui a secreção de aldosterona. Além disso os inibidores de ECA impedem a degradação de bradicinina, responsável também pela dilatação vascular, e reduzem a atividade simpática, vasopressina e endotelina.

FARMACOCINÉTICA

É bem absorvido por via oral e rápida e extensivamente hidrolisado a enalaprilato, um potente inibidor da enzima conversora de angiotensina. Em cães o enalapril tem um início de ação por volta de 5 horas e duração de ação de 12 a 14 horas. Quase em sua totalidade, o enalaprilato (metabólito) é eliminado pela via renal e a função renal reduzida pode afetar as taxas de eliminação.

MONITORAMENTO

Monitore os sinais clínicos de insuficiência cardíaca congestiva e pressão sanguínea. A função renal e eletrólitos (especialmente o potássio) devem ser mensurados antes de iniciar a terapia com enalapril e dentro de 1-2 semanas após o início do tratamento ou mudança de dose. Esses parâmetros devem ser checados a cada 3 meses se o paciente estiver estabilizado. Aumentos grandes ou progressivos da creatinina sérica devem levar a uma reavaliação da terapia Se a creatinina sérica aumentar acima de 0,2 mg/dL, é recomendado diminuir a dose. As doses dos inibidores da ECA devem ser cautelosamente aumentadas para maximizar o impacto no grau de proteinúria e minimizar o impacto na função renal. A hipercalemia ou anorexia também podem limitar esse aumento da dose.

Referências Bibliográficas

SOARES, F. A. C. Hipertensão arterial sistêmica em cães e gatos: atualização terapêutica. 2010. WOODFIELD, J. A. Controlled clinical evaluation of enalapril in dogs with heart failure: results of the cooperative veterinary enalapril study group the cove study group. Journal of Veterinary Internal Medicine, v. 9, n. 4, p. 243-252, 1995. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/bXHR68GoUz/>. Acesso em 14 de maio de 2020. <https://consultaremedios.com.br/maleato-de-enalapril/pa>. Acesso em 14 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd