Informações

Princípio Ativo: Dimenidrinato.
Classe terapêutica: Antiemético.

Dose

Cães: 4 – 8 mg/kg VO, IM, IV a cada 8 horas.
Gatos: 4 – 8 mg/kg VO, IM, IV a cada 8 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Dimenidrinato

Classificaçāo

Antiemético

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Dimenidrinato 12,5 mg/mL, frasco
  • Dimenidrinato 25 mg, comprimido
  • Dimenidrinato 50 mg, comprimido
  • Dimenidrinato 100 mg, comprimido
  • Dimenidrinato 50 mg/mL, ampola
  • Dimenidrinato 1 mg/gota, gotas
  • Dimenidrinato, solução oral
  • Dramavit 100 mg, comprimido (4 un)
  • Dramin Capsgel 25 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin Capsgel 50 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin Capsgel 100 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin 2,5 mg/mL, solução oral, frasco (120 mL)
  • Dramin Capsgel 25 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin Capsgel 50 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin Capsgel 100 mg, cápsula (10 un)
  • Dramin 2,5 mg/mL, solução oral, frasco (120 mL)
  • Emebrid 100mg, comprimidos (400 un)
  • Hemareg 25mg, cápsula (4 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Na medicina veterinária, o dimenidrinato é usado principalmente por seus efeitos antieméticos e no tratamento profilático da cinetose em cães. É mais comumente empregado em cães com vômito ou náusea como resultado de doença vestibular. Como se pensa que a histamina não é um mediador importante do vômito em gatos, outras opções, como antagonistas da NK-1 (maropitant) ou antagonistas colinérgicos da M1 (proclorperazina, clorpromazina), podem ser melhores opções para tratar enjoo ou vômito em gatos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O dimenidrinato é contraindicado em pacientes hipersensíveis a ele ou a outros anti-histamínicos de sua classe. Devido à sua ação anticolinérgica, os anti-histamínicos devem ser usados com cautela em pacientes com glaucoma de ângulo fechado, hipertrofia prostática, obstrução piloro-duodenal ou do colo da bexiga e doença pulmonar obstrutiva crônica se as secreções de muco forem um problema. Além disso, eles devem ser usados com cautela em pacientes com hipertireoidismo, distúrbios convulsivos, doenças cardiovasculares ou hipertensão. Pode mascarar os sinais clínicos de ototoxicidade e, portanto, deve ser usado com esse conhecimento ao administrar concomitantemente medicamentos ototóxicos. Os efeitos sedativos dos anti-histamínicos podem afetar adversamente o desempenho dos cães que trabalham.

EFEITOS ADVERSOS

As reações adversas mais comuns observadas são depressão do SNC (letargia, sonolência) e efeitos anticolinérgicos (boca seca, retenção urinária). Os efeitos gastrointestinais (diarreia, vômito, anorexia) são menos comuns, mas foram observados. Os efeitos sedativos dos anti-histamínicos podem diminuir com o tempo.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em um sistema que avalia a segurança dos medicamentos na prenhez canina e felina, esse medicamento é classificado como seguro para uso se usado com cautela. Pequenas quantidades de dimenidrinato são excretadas no leite; é improvável que isso apresente muitos riscos para os lactentes.

SUPERDOSAGEM

A sobredosagem pode causar estimulação do SNC (excitação para convulsões) ou depressão (letargia à coma), efeitos anticolinérgicos, depressão respiratória e morte. O tratamento consiste no esvaziamento intestinal se a ingestão for oral. Induza êmese se o paciente estiver alerta e a condição do SNC for estável. A administração de um catártico salino e / ou carvão ativado pode ser administrada após êmese ou lavagem gástrica. O tratamento de outros sinais clínicos deve ser realizado com terapias sintomáticas e de suporte. Podem ser indicados benzodiazepínicos ou barbitúricos para fisostigmina, lipídios intravenosos e controle de crises.

Interações medicamentosas

Foi demonstrado que o dimenidrinato induz enzimas hepáticas microssômicas em animais (espécies não especificadas); as implicações clínicas desse efeito não estão claras.

FÁRMACOS ANTICOLINÉRGICOS

O dimenidrinato pode potencializar os efeitos anticolinérgicos de outros fármacos anticolinérgicos.

FÁRMACOS DEPRESSORES DO SNC

Pode ocorrer um aumento da sedação se o dimenidrinato (difenidramina) for combinado com outros medicamentos depressores do SNC.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O dimenidrinato tem efeitos anti-histamínicos (H1), antieméticos, anticolinérgicos, depressores do SNC e anestésicos locais. Pensa-se que essas principais ações farmacológicas resultam apenas da porção difenidramina. Usado mais comumente por seus efeitos antieméticos / enjoo de cinetose, o mecanismo exato de ação do dimenidrinato para esta indicação é desconhecido, mas o medicamento inibe a estimulação vestibular. As ações anticolinérgicas do dimenidrinato podem desempenhar um papel no bloqueio da estimulação com acetilcolina nos sistemas vestibular e reticular. A tolerância aos efeitos depressores do SNC pode ocorrer após alguns dias de terapia e a eficácia antiemética também pode diminuir com o uso prolongado. Teoricamente, os bloqueadores H1 (difenidramina, dimenidrinato) e H2 (ranitidina, famotidina) podem reduzir os aumentos mediados por histamina na permeabilidade da microvasculatura que estão associados ao desenvolvimento de necrose hemorrágica na pancreatite felina.

FARMACOCINÉTICA

A farmacocinética deste agente aparentemente não foi estudada em espécies veterinárias. Em humanos, o medicamento é bem absorvido após administração oral, com efeitos antieméticos ocorrendo dentro de 30 minutos após a administração. Os efeitos antieméticos ocorrem quase imediatamente após a injeção intravenosa. A duração do efeito é geralmente de 3 a 6 horas. A difenidramina é metabolizada no fígado e a maior parte do fármaco é excretado na forma de metabólitos pela urina. A meia-vida de eliminação terminal em humanos adultos varia de 2,4 a 9,3 horas.

MONITORAMENTO

Monitore os efeitos adversos e eficácia clínica.

Referências Bibliográficas

XAVIER, F. G. aet al. Histamina, Serotonina e seus Antagonistas. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. <https://consultaremedios.com.br/dimenidrinato/pa>. Acesso em 12 de maio de 2020. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/APyV2zDazU/>. Acesso em 12 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd