Informações

Princípio Ativo: Brometo de Pancurônio.
Classe terapêutica: Relaxante Muscular.

Dose

Cães: 0,05 – 0,1 mg/kg IV; duração aproximada de 1 hora, sedação deve ser administrada em conjunto.
Gatos: 0,05 – 0,1 mg/kg IV; duração aproximada de 1 hora, sedação deve ser administrada em conjunto.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Brometo de Pancurônio

Classificaçāo

Relaxante Muscular

Receita

Restrito a Hospitais

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado na sua embalagem original, protegido da luz e umidade, devendo ser conservado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C).

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Brometo de Pancurônio 4 mg / 2 mL, ampola
  • Pavulon 4 mg / 2 mL, ampola
  • Pancuron 4 mg / 2 mL, ampola

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Às vezes, o pancurônio é usado como complemento da anestesia geral para produzir relaxamento muscular durante procedimentos cirúrgicos ou ventilação mecânica e para facilitar a intubação endotraqueal. O uso hoje é raro; vecurônio, atracúrio ou rocurônio são geralmente escolhidos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O pancurônio é contraindicado em pacientes hipersensíveis a ele e deve ser usado com cautela em pacientes com disfunção renal ou onde a taquicardia possa ser prejudicial. Doses mais baixas podem ser necessárias em pacientes com doença hepática ou biliar. O uso de agentes bloqueadores neuromusculares deve ser feito com extrema cautela em pacientes que sofrem de condições que podem potencializar o bloqueio neuromuscular, como anormalidades eletrolíticas e miastenia gravis. O pancurônio não possui ações analgésicas ou sedativas / anestésicas.

EFEITOS ADVERSOS

As reações adversas observadas com o pancurônio incluem: ligeiras elevações da frequência cardíaca e pressão arterial, hipersalivação (se não for tratada com um agente anticolinérgico), fraqueza muscular prolongada ou profunda e depressão respiratória. Muito raramente, o pancurônio causa liberação substancial de histamina com as resultantes reações de hipersensibilidade.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em um sistema separado que avalia a segurança dos medicamentos na gestação de cães e gatos, esse medicamento é classificado como seguro para uso se usado com cautela. Não se sabe se o medicamento é excretado no leite.

SUPERDOSAGEM

O monitoramento da resposta das contrações musculares à estimulação do nervo periférico pode minimizar o risco de overdose. Os sintomas de sobredosagem podem incluir liberação de histamina, duração prolongada do bloqueio muscular e efeitos cardiovasculares (principalmente hipotensão). Além de manter as vias aéreas do paciente e fornecer suporte cardiovascular adequado (administração de fluidos, vasopressores, posicionamento), a reversão do bloqueio pode ser realizada pela administração de um agente anticolinesterásico (edrofônio, fisostigmina ou neostigmina) com um anticolinérgico (atropina ou glicopirrolato). Uma dose sugerida para neostigmina é de 0,06 mg / kg IV após atropina 0,02 mg / kg IV.

Interações medicamentosas

AZATIOPRINA

Pode reverter os efeitos do bloqueio neuromuscular do pancurônio.

CÁLCIO (IV)

Pode reverter os efeitos de agentes bloqueadores neuromusculares não despolarizantes.

KETAMINA

A frequência cardíaca pode aumentar e a perfusão do miocárdio diminuída.

SUCCINILCOLINA

Pode acelerar o início da ação e aumentar as ações de bloqueio neuromuscular do pancurônio. Não administre pancurônio até que os efeitos da succinilcolina diminuam.

TEOFILINA

Pode inibir ou reverter a ação bloqueadora neuromuscular do pancurônio e possivelmente induzir arritmias. Os seguintes medicamentos podem aumentar a atividade de bloqueio neuromuscular do pancurônio: ANTIBIÓTICOS AMINOGLICOSÍDEOS, ANESTÉSICOS GERAIS,  AGENTES ANTI-ARRITÍMICOS, BACITRACINA E POLIMIXINA B sistêmica (considere a modificação da terapia), BLOQUEADORES DE CANAIS DE CÁLCIO, CICLOSPORINA sistêmica, ANTIBIÓTICOS DA LINCOSAMIDA, LÍTIO, SAL DE MAGNÉSIO, QUINIDINA (evite a combinação), DERIVADOS DE TETRACICLINA e VANCOMICINA

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O pancurônio é um agente bloqueador neuromuscular não despolarizante. Antagoniza a acetilcolina pela ligação competitiva dos locais receptores colinérgicos na placa motora, resultando em paralisia dos músculos estriados. É considerado cinco vezes mais potente que a d-tubocurarina e ⅓ tão potente quanto o vecurônio. Os efeitos no sistema cardiovascular são inconsistentes entre as espécies. Causa um aumento na frequência cardíaca e pressão arterial em cães. Esse aumento geralmente é leve e é devido à sua afinidade pelos receptores muscarínicos cardíacos. Raramente, o pancurônio pode causar liberação de histamina.

FARMACOCINÉTICA

Após a administração intravenosa, o relaxamento muscular suficiente para a intubação endotraqueal ocorre geralmente em 2 a 3 minutos, mas depende da dose administrada. A duração da ação pode persistir de 30 a 45 minutos, mas isso depende novamente da dose. Doses adicionais podem aumentar ligeiramente a magnitude do bloqueio e aumentar significativamente a duração da ação.

MONITORAMENTO

Monitore o nível de bloqueio neuromuscular. Observe a ventilação espontânea e o movimento muscular voluntário. Monitore também a frequência cardíaca e pressão arterial.

Referências Bibliográficas

GÓRNIAK, S. L. Transmissão neuromuscular e relaxantes musculares de ação periférica. In: SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L.; BERNARDI, M. M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 4ª edição, 2006 KANASHIRO, G. P. Miorrelaxantes de ação central e periférica. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008 PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012 VIANNA, P. T. G.; GANEM, E. M. Agentes Bloqueadores Neuromusculares. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/V6JwRabZtW/>. Acesso em 7 de abril de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd