Informações

Princípio Ativo: Albuterol.
Classe terapêutica: Broncodilatador.

Dose

Cães: 0,02 – 0,05 mg/kg VO a cada 8 - 12 horas.
Gatos: Administre 90 microgramas. Pode repetir a cada 30 minutos por até 4 - 6 horas em emergências.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Albuterol

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Albuterol 2 mg, comprimido
  • Albuterol 4 mg, comprimido
  • Albuterol 2 mg / 5 mL, xarope
  • Albuterol 0,5 mg / mL, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O albuterol é usado principalmente em gatos e cavalos por seus efeitos no músculo liso brônquico para aliviar o broncoespasmo ou a tosse. A broncoconstrição verdadeira é rara em cães, mas, quando presente, o albuterol pode ser útil.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Albuterol é contraindicado em pacientes hipersensíveis a ele. Deve ser usado com cautela em pacientes com diabetes, hipertireoidismo, hipertensão, distúrbios convulsivos ou doença cardíaca (especialmente com arritmias simultâneas). O uso durante os estágios finais da gestação pode inibir as contrações uterinas.

EFEITOS ADVERSOS

A maioria dos efeitos adversos está relacionada à dose e àqueles que seriam esperados com agentes simpatomiméticos, incluindo aumento da frequência cardíaca, tremores, excitação do SNC e tontura. Esses efeitos são geralmente transitórios e leves e geralmente não requerem a interrupção da terapia. Valores reduzidos de potássio sérico podem ser observados; raramente é necessária suplementação de potássio. A forma S do albuterol pode aumentar potencialmente a inflamação das vias aéreas em gatos. Como o albuterol "regular" é a forma racêmica (R, S-albuterol), ele também pode aumentar a inflamação das vias aéreas, e seu uso em gatos provavelmente deve ser limitado apenas ao tratamento de recuperação aguda e não ao tratamento crônico. Além disso, os gatos não gostam do “chiado” que ocorre durante a inalação ou o sabor do medicamento/veículo.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em doses muito grandes, o albuterol é teratogênico em roedores. Só deve ser utilizado (particularmente as formas de dosagem oral) durante a prenhez quando os benefícios superarem os riscos. Como alguns outros agonistas beta, pode atrasar o parto prematuro após a administração oral.

SUPERDOSAGEM

Os sinais clínicos de sobredosagem significativa após a administração sistêmica (inclusive quando os cães mordem uma caixa de aerossol) podem incluir arritmias (taquicardia e extra-sístole), hipertensão, febre, vômito, midríase, tremores e estimulação do SNC. Hipocalemia e hipofosfatemia podem ocorrer. Taquicardia sinusal, prolongamento acentuado do intervalo QT, ondas P fundidas parcialmente com ondas T proeminentes anteriores e depressão leve do segmento ST foram relatadas em um cão que recebeu aproximadamente 4 vezes a dose recomendada por 2 anos. Outros achados incluíram hipocalemia grave, acidose metabólica e hiperlactatemia. Se houver uma ingestão recente de comprimidos e se o animal não apresentar efeitos cardíacos ou no SNC significativos, deve ser tratado como outras sobredosagens (procedimentos de descontaminação). Para exposição por inalação (por exemplo, quando um cão morde em uma lata de aerossol), a descontaminação geralmente não é eficaz. Se as arritmias cardíacas exigirem tratamento, um agente beta-bloqueador (atenolol, metoprolol) pode ser usado. Diazepam pode ser usado para tremores. A suplementação de potássio pode ser necessária, mas esteja atento à hipercalemia de rebote.

Interações medicamentosas

BLOQUEADORES BETA-ADRENÉRGICOS

Pode antagonizar as ações do albuterol.

DIGOXINA

Albuterol pode aumentar o risco de arritmias cardíacas.

DIURÉTICOS

Hipocalemia causada por diuréticos pode ser exacerbada pelo uso de albuterol.

ANESTÉSICOS INALATÓRIOS

Albuterol pode predispor arritmias ventriculares, particularmente em pacientes com cardiopatias pré-existentes - use com cautela.

OUTRAS AMINAS SIMPATOMIMÉTICAS

Uso com albuterol pode aumentar o risco de desenvolver efeitos adversos cardiovasculares.

ANTIDEPRESSIVOS TRICÍCLICOS OU INIBIDORES DE MONOAMINA OXIDASE

Pode potencializar os efeitos vasculares do albuterol.

Farmacologia

FARMACOLOGIA

Como outros beta-agonistas, acredita-se que o albuterol age estimulando a produção de AMP cíclico pela ativação d aadenil ciclase. Albuterol é considerado predominantemente um agonista beta-2 (relaxamento bronquial, uterino e da musculatura lisa vascular).

FARMACOCINÉTICA

A farmacocinética específica deste agente não foi completamente estudada em animais domésticos.

MONITORAMENTO

Monitore a melhora dos sinais clínicos, gases sanguíneos (como indicado), auscultação (frequência e ritmo cardíacos com ECG, se necessário) e potássio sérico, no início da terapia, se o animal for suscetível à hipocalemia.

Referências Bibliográficas

<https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/RgbimZol8x/>. Acesso em 24 de março de 2020.

Desenvolvido por logo-crowd