Informações

Princípio Ativo: Aglepristone.
Classe terapêutica: Hormônio.

Dose

Cães: Indução de parto: após o dia 60, 15 mg/kg SC e outra dose 9-24 horas depois. Interrupção da gestação (até o dia 45);10 mg/kg (0.33 mL/kg) SC injeção na pele frouxa do pescoço. Repita uma vez 24 horas após a primeira aplicação. Tratamento adjunto de piometra (fechada ou aberta): 10 mg/kg SC uma vez a cada 24 horas nos dias 1, 2, e 8 e cloprostenol 0,001 mg/kg SC nos dias 3 a 7. Cadelas com piometra fechada devem conjuntamente receber antibióticos e fluidoterapia de suporte.
Gatos: Tratamento de hiperplasia mamária: 10 – 15 mg/kg SC nos dias 1, 2, e 7. O tratamento deve ocorrer semanalmente até a resolução dos sinais e pode levar várias semanas. Recaídas podem ocorrer, especialmente em gatas que vinham sendo tratadas com progesterona de longa ação. Interrupção da gestação (até o dia 45): 10 – 15 mg/kg SC duas vezes com intervalo de 24 horas.
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Aglepristone

Classificaçāo

Hormônio

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

O aglepristone tem 95% de eficiência na interrupção da gestação quando usado entre os dias 26-45. Descarga vaginal marrom pode ser observada aproximadamente 24h antes da expulsão fetal. Se o animal apresentar secreção por mais de 3 semanas, ou de aparência purulenta/hemorrágica, deve ser levado imediatamente ao médico veterinário. Quando usado para tratar piometra, há grandes possibilidades de falha e a ovariohisterectomia pode ser necessária.

ARMAZENAMENTO

Em temperatura ambiente e ao abrigo da luz

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • Aglepristone 30 mg/mL, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A aglepristona é para interromper a prenhez em cadelas até 45 dias após o acasalamento. Em cães, a aglepristona pode ser útil na indução do parto ou no tratamento de piometra (geralmente em combinação com um análogo da prostaglandina F, como o cloprostenol). Outros usos clínicos potenciais em cães incluem tratamento de diabetes mellitus resistente à insulina, acromegalia e tumores vaginais benignos. Em gatos, pode ser benéfico para o término da prenhez (um estudo documentou eficácia de 87% quando administrado na dose recomendada em cães no dia 25) ou no tratamento de hiperplasia mamária ou piometra.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

A aglepristona é contraindicada em pacientes que tenham hipersensibilidade a ela e durante a prenhez, a menos que seja usada para interromper a prenhez ou induzir o parto. Ao ser considerado para uso no tratamento de piometra em cadelas, a peritonite deve ser descartada antes do uso. Devido aos seus efeitos antagônicos nos receptores glicocorticoides, o medicamento não deve ser utilizado em pacientes com hipoadrenocorticismo ou em cães com predisposição genética ao hipoadrenocorticismo. O fabricante não recomenda o uso do produto em pacientes com problemas de saúde, diabetes ou insuficiência hepática ou renal, pois não existem dados documentando sua segurança com essas condições. No entanto, a aglepristona pode ser útil como tratamento adjuvante para o diabetes mellitus resistente à insulina, particularmente em cadelas nas quais a ovariectomia não é uma opção.

EFEITOS ADVERSOS

Como o produto possui uma base de óleo e álcool, foram notificadas dor localizada e reações inflamatórias (edema, espessamento da pele, ulceração, aumento localizado dos linfonodos) no local da injeção. A resolução da dor geralmente ocorre logo após a injeção; outras reações no local da injeção geralmente desaparecem dentro de 2 a 4 semanas. O fabricante recomenda uma leve massagem no local da injeção após a administração. Cães maiores não devem receber mais de 5 mL em qualquer local de injeção subcutânea. Uma fonte afirma que reações graves de injeção podem ser evitadas se o medicamento for administrado na nuca. Efeitos adversos sistêmicos relatados incluem anorexia, excitação, depressão, vômito, diarreia e infecções uterinas.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não utilizar em fêmeas gestantes, caso não se deseje a interrupção da gestação.

SUPERDOSAGEM

Quando administradas em doses 3 vezes recomendadas (30 mg / kg), as cadelas não demonstraram efeitos sistêmicos desfavoráveis. Reações localizadas foram observadas no local da injeção, provavelmente devido aos maiores volumes injetados.

Interações medicamentosas

PROGESTINAS

Pode, teoricamente, reduzir a eficácia da aglepristone.

GLICOCORTICOIDES

A aglepristona pode reduzir a eficácia do tratamento com glicocorticoides.

CETOCONAZOL, ITRACONAZOL, ERITROMICINA

O fabricante afirma que, embora não existam dados, esses medicamentos podem interagir com aglepristone.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A aglepristona é um esteroide sintético que se liga aos receptores de progesterona, impedindo assim os efeitos biológicos dela. Como a progesterona é necessária para manter a gestação, esta pode ser interrompida ou induzida pelo parto. A interrupção da prenhez (reabsorção ou aborto) ocorre dentro de 7 dias após a administração. Foi demonstrado que a aglepristone tem efeitos inibitórios nas células de carcinoma mamário canino positivas para receptores de progesterona. Quando usado no tratamento da piometra em cães, a aglepristone pode causar a abertura do colo do útero e a retomada da contratilidade miométrica. A aglepristone não afeta significativamente os níveis plasmáticos circulantes de progesterona, cortisol, prostaglandinas ou ocitocina. A aglepristona também se liga a receptores glicocorticoides com afinidade semelhante à dexametasona, mas sem atividade glicocorticoide; pode impedir que os glicocorticoides endógenos ou administrados via exógena se liguem e ajam nesses locais.

FARMACOCINÉTICA

Em cães, após injeção subcutânea de 2 doses de aglepristona com 10 mg / kg de intervalo de 24 horas, os níveis séricos máximos ocorrem cerca de 2,5 dias depois e o tempo médio de permanência é de aproximadamente 6 dias. A maioria (90%) do fármaco é excretade pelas fezes.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia clínica e efeitos adversos. Para o término da gestação faça ultrassom 10 dias após o tratamento e pelo menos 30 dias após o acasalamento.

Referências Bibliográficas

BAAN, M., et al. Induction of parturition in the bitch with the progesterone-receptor blocker aglepristone. Theriogenology 63 (I7): 1958-72. 2005 FIENI, F. Clinical evaluation of the use of aglepristone, with or without cloprostenol, to treat cystic endometrial hyperplasia-pyometra complex. Theriogenology 66 (6-7): 1550-6. 2006 SILVA, F. B. et. al. Utilização do Aglepristone no Tratamento da Hiperplasia Fibroepitelial Mamária Felina. Vet. e Zootec. 2012 set.; 19(3): 399-406. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/VWpLO5K30F/>. Acesso em 23 de mar. de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd