Informações

Princípio Ativo: Ácido Épsilon-aminocapróico.
Classe terapêutica: Antifibrinolítico

Dose

Cães: Antifibrinolítico: 500 mg (aproximadamente 15.6 – 17.5 mg/kg) VO a cada 8 horas. Tratamento adjunto de mielopatia degenerativa: 500 mg/cão VO a cada 8 horas.
Gatos: Informação indisponível
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Ácido Épsilon-aminocapróico

Classificação

Antifibrinolítico

Espécies

Cães

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Ipslon Comprimidos, comprimido (500 mg), 36 un
  • Ipslon Injetável, frasco ampola (20 mL), 50 mg/mL ou 200 mg/mL

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O ácido aminocapróico é potencialmente útil no tratamento de condições de hiperfibrinólise e profilaticamente para evitar sangramentos no pós-operatório. O ácido aminocapróico tem sido usado no tratamento da mielopatia degenerativa (observada principalmente em cães pastores alemães), mas não foram observados estudos controlados que documentassem sua eficácia. Existe algum interesse em avaliar o ácido aminocapróico para tratamento adjuvante da trombocitopenia mediada por imunidade em cães, mas a eficácia e segurança para esse fim ainda precisam ser investigadas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O ácido aminocapróico é contraindicado em pacientes com coagulação intravascular ativa, especialmente com coagulação intravascular disseminada (CID), que pode resultar em formação fatal de trombo. Só deve ser usado quando os benefícios superam os riscos em pacientes com doença cardíaca, renal ou hepática pré-existente.

EFEITOS ADVERSOS

O ácido aminocapróico parece ser bem tolerado. Em cães tratados com ácido aminocapróico oral, cerca de 1% exibem sinais clínicos de irritação gastrointestinal. Pode causar hipercalemia, principalmente em pacientes com insuficiência renal.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Alguns, mas não todos, estudos em animais demonstraram teratogenicidade; use quando a relação risco: benefício for ideal. Não se sabe se o medicamento é excretado no leite.

SUPERDOSAGEM

Há informações muito limitadas sobre as sobredosagens com ácido aminocapróico. A dose letal IV em cães é declaradamente de 2,3 g / kg. Em overdoses IV mais baixas, convulsões tônico-clônicas foram observadas em alguns cães. Não há antídoto conhecido, mas o medicamento é dialisável.

Interações medicamentosas

Nenhum relatado de importância clínica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Inibe a fribrinólise via o efeito inibitório nas substâncias ativadoras do plasminogênio e alguma atividade antiplasmina. O ácido aminocapróico é suspeito de afetar a mielopatia degenerativa por sua ação antiprotease, reduzindo assim a ativação de enzimas inflamatórias que causam dano a mielina.

FARMACOCINÉTICA

Os dados farmacocinéticos foram estudados em cães. Após administração oral de uma solução injetável na dose de 20 mg/kg, 50 mg/kg e 100 mg/kg de concentração máxima, tempo até a concentração máxima, meia-vida terminal, volume de distribuição/biodisponibilidade e depuração corporal total/a biodisponibilidade foi de aproximadamente 30, 69, 166 microgramas/mL, 63, 42, 54 minutos, 70, 69, 77 minutos, 594, 589, 575 mL e 6,1, 6,0, 5,2 mL/minuto, respectivamente. Quando uma formulação oral (comprimido) foi administrada a 100 mg/kg, os dados farmacocinéticos foram semelhantes aos da formulação injetável administrada por via oral na mesma dose.

Referências Bibliográficas

VIANA, F. A. B. Guia Terapêutico Veterinário. 3 ed. Minas Gerais: Editora CEM, 2014. 560 p. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/DLzaXJzVg9/>. Acesso em 17 de mar. de 2020
Desenvolvido por logo-crowd