The role of bacterial skin infections in atopic dermatitis: expert statement and review from the International Eczema Council Skin Infection Group

7 de novembro de 2020

Autores

H. Alexander, A.S. Paller , C. Traidl-Hoffmann, L.A. Beck, A. De Benedetto, S. Dhar, G. Girolomoni, A.D. Irvine, P. Spuls, J. Su, J.P. Thyssen, C. Vestergaard, T. Werfel, A. Wollenberg, M. Deleuran and C. Flohr

Abstract

Patients with atopic dermatitis (AD) have an increased risk of bacterial skin infections, which cause significant morbidity and, if untreated, may become systemic.
Staphylococcus aureus colonizes the skin of most patients with AD and is the most
common organism to cause infections. Overt bacterial infection is easily recognized by the appearance of weeping lesions, honey-coloured crusts and pustules.
However, the wide variability in clinical presentation of bacterial infection in AD
and the inherent features of AD – cutaneous erythema and warmth, oozing associated with oedema, and regional lymphadenopathy – overlap with those of
infection, making clinical diagnosis challenging. Furthermore, some features may
be masked because of anatomical site- and skin-type-specific features, and the
high frequency of S. aureus colonization in AD makes positive skin swab culture
of suspected infection unreliable as a diagnostic tool. The host mechanisms and
microbial virulence factors that underlie S. aureus colonization and infection in AD
are incompletely understood. The aim of this article is to present the latest evidence from animal and human studies, including recent microbiome research, to
define the clinical features of bacterial infections in AD, and to summarize our
current understanding of the host and bacterial factors that influence microbial
colonization and virulence.

Resumo

Pacientes com dermatite atópica (DA) apresentam risco aumentado de infecções bacterianas da pele, que causam morbidade significativa e, se não tratadas, podem se tornar sistêmicas. Staphylococcus aureus coloniza a pele da maioria dos pacientes com DA e é o mais organismo comum para causar infecções. A infecção bacteriana evidente é facilmente reconhecida pelo aparecimento de lesões lacrimejantes, crostas cor de mel e pústulas. No entanto, a grande variabilidade na apresentação clínica da infecção bacteriana na DA e as características inerentes da DA - eritema cutâneo e calor, secreção associada a edema e linfadenopatia regional - se sobrepõem àquelas de infecção, tornando o diagnóstico clínico desafiador. Além disso, alguns recursos podem ser mascarado por causa de características específicas do local e tipo de pele anatômicas, e o alta frequência de colonização por S. aureus na DA torna a cultura de esfregaço de pele positiva de suspeita de infecção não confiável como ferramenta de diagnóstico. Os mecanismos do host e fatores de virulência microbiana que fundamentam a colonização e infecção por S. aureus na DA são compreendidos de forma incompleta. O objetivo deste artigo é apresentar as evidências mais recentes de estudos em animais e humanos, incluindo pesquisas recentes de microbiomas, para definir as características clínicas das infecções bacterianas na DA e, para resumir nossa compreensão atual do hospedeiro e dos fatores bacterianos que influenciam os organismos microbianos colonização e virulência.

Palavras-chave: piodemite, Staphylococcus, dermatite atópica

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd