Diretrizes para o Bem-Estar Animal – WSAVA

19 de dezembro de 2020

Diretrizes para o Bem-Estar Animal da WSAVA

Para médicos veterinários de animais de companhia e equipes de cuidados veterinários

GRUPO PARA AS DIRECTRIZES DE BEM-ESTAR ANIMAL e co-autores deste documento: Shane Ryan (BVSc (Hons), MVetStud, CVA, MChiroSc, MRCVS (Singapura) Heather Bacon BSc, BVSc, CertZooMed, MRCVS (ReinoUnido) Nienke Endenburg PhD (Holanda) Susan Hazel BVSc, BSc (Vet), PhD, GradCert Saúde Pública, GradCert Educação Superior, MANZCVS (Bem-Estar Animal) (Austrália) Rod Jouppi BA, DVM (Canadá) Natasha Lee DVM, MSc (Malásia) Kersti Sekel BVSc (Hons), MRCVS, MA (Hons), FANZCVS, DACVB, DECAWBM, FAVA (Austrália) Gregg Takashima BS, DVM (EUA)

Os médicos veterinários são considerados, pela sociedade, como peritos em saúde animal, bem como no tratamento e prevenção de doenças dos animais. Também são considerados uma referência na área do bem-estar animal. Consecutivamente, espera-se que sejam capazes de fazer julgamentos relativos ao bem-estar dos animais que estejam, ou não, sob o seu cuidado (Siegford, Cottee e Widowski, 2010). A Organização Mundial para a Saúde Animal (OIE) recomenda que os médicos veterinários “sejam líderes na defesa do bem-estar de todos os animais, reconhecendo a contribuição crítica dos animais na sociedade humana através da produção de alimentos, companhia, investigação biomédica e fins educacionais” (OIE, 2012). Adicionalmente, a Federação de Veterinários da Europa (FVE), em conjunto com a Associação Médico-Veterinária Canadiana (CVMA) e a Associação Médico-Veterinária Americana (AVMA) declararam que “os médicos veterinários são, e devem continuar a lutar por ser, líderes na defesa do bem-estar dos animais numa sociedade em evolução constante” (AVMA, 2014).

As expectativas profissionais e associativas conferem aos médicos veterinários a responsabilidade de assumir a liderança na promoção de um maior bem-estar animal, tomando decisões éticas relativamente aos respectivos pacientes animais, em situações que são, frequentemente, difíceis. As decisões específicas que são tomadas pelo médico veterinário irão variar em conformidade com os requisitos legais no local, a disponibilidade de fármacos e equipamentos, bem como com as expectativas culturais; uma compreensão global do papel do médico veterinário clínico para a promoção do bem-estar animal é fundamental para o avanço da saúde e bem-estar dos animais de companhia1 em todo o Mundo. Então, o que é o bem-estar animal? Embora não exista, actualmente, nenhuma definição aceite universalmente, para os efeitos deste documento defini-lo-emos do seguinte modo: “Bem-estar animal consiste num bom estado físico e psicológico, social e ambiental dos animais” Espera-se que os profissionais da área médico-veterinária promovam, não apenas a saúde física, mas também os aspectos não físicos de bem-estar animal, que favoreçam o bem-estar psicológico, social e ambiental dos seus pacientes. E os médicos veterinários devem fazê-lo face às diversas condições socioeconómicas, culturais, tecnológicas e educacionais existentes no planeta.

A clínica de animais de companhia constitui uma área da profissão veterinária em desenvolvimento rápido e de importância crescente a nível internacional, e a Associação Mundial de Médicos Veterinários de Pequenos Animais (WSAVA) representa, por si só, mais de 200.000 veterinários em nome individual, que pertencem a mais de 100 associações (WSAVA, 2018). Os benefícios de conduzir os clínicos de animais de companhia no sentido de uma melhor compreensão, e melhores práticas, de bem-estar animal são inúmeros e incluem um aumento da satisfação profissional, aumento da percepção e da cooperação dos clientes, segurança e benefícios para os indivíduos e as comunidades. Uma melhor compreensão relativamente à forma de proporcionar um melhor bem-estar aos animais de companhia também constitui um meio de construir a confiança dos tutores dos animais. Vários estudos têm demonstrado que os tutores cujos animais de companhia são considerados “membros da família” aceitam melhor as recomendações dos médicos veterinários, bem como aqueles com quem foi criado um laço animal-tutor-veterinário (Lue, Pantenburg e Crawford, 2008). Um estudo recente revelou que os clientes de veterinários com quem debateram o valor das relações entre humanos e animais são até 77% mais prováveis de cumprir as recomendações dos médicos veterinários, regressar para consultas de rotina e adquirir seguros para animais de companhia (HABRI, 2016). Em geral, tal permite uma melhoria dos cuidados com os pacientes, e fomenta a satisfação profissional do médico veterinário e da equipa de cuidados veterinários, resultando em animais mais saudáveis e tutores ou famílias com animais de companhia mais felizes. Diversos estudos realizados na área da saúde humana proporcionaram evidência científica que os animais de estimação podem influenciar a saúde física e emocional dos humanos, minimizar a depressão e melhorar as interacções sociais entre pessoas (Takashima e Day, 2014). A força da evidência foi tão marcada relativamente à doença cardiovascular que, em 2013, a American Heart Society emitiu a seguinte declaração: “a detenção de animais de companhia, em particular de cães, pode constituir uma recomendação razoável para a diminuição do risco de doença cardiovascular” (Levine et al., 2013). Este e outros trabalhos ajudam a sublinhar a importância dos animais de companhia na vida dos humanos e a forma como as relações entre animais e os respectivos tutores pode influenciar a saúde humana. Continua a acumular-se evidência de benefício mútuo na relação entre humanos e os seus animais, tendo sido identificada uma necessidade de criar um conjunto de directrizes aceites universalmente para o bem-estar dos animais de companhia. Como associação veterinária global, a WSAVA está na posição ideal para introduzir estas diretrizes de bem-estar, concebidas de modo a ser utilizadas por médicos veterinários de animais de companhia, independentemente do local do planeta onde exerçam a sua actividade.

Estas diretrizes destinam-se a ajudar os médicos veterinários de animais de companhia de todo o Mundo a compreender os conceitos e ciência contemporânea relativa ao bem-estar, bem como a proporcionar uma linha de orientação relativamente a problemas potenciais de bem-estar animal, dedicando-se a alguns dos problemas éticos mais frequentes, e a promover um melhor bem-estar animal através de uma comunicação eficaz, tanto na clínica veterinária, como fora dela.

Para acessar a publicação original em Inglês, acesse este link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/jsap.12998 

Para acessar o documento em Português, clique abaixo!

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd