Criptococose cutânea canina: relato de caso

30 de novembro de 2020

Canine cutaneous cryptococcosis - Case report

Lícia Flávia Silva Herculano, Victor Reis Galindo, Tobias Saraiva Cavalcante Neto, Lúcia de Fátima Lopes dos Santos

Resumo

Criptococose é uma doença multissistêmica que acomete humanos e animais. É transmitida pela inalação de esporos de um fungo da espécie Cryptococcus neoformans que se desenvolve em matéria orgânica, principalmente em fezes de aves e madeira em decomposição. Esta enfermidade é, em geral, de caráter oportunista sendo mais comum em gatos do que em cães. As manifestações clínicas dessa doença variam e podem causar distúrbios oftálmicos, respiratórios, cutâneos e neurológicos. O diagnóstico vai além da avaliação física e anamnese, podendo o médico veterinário solicitar exames micológicos (cultura fúngica e esfregaço de material da lesão), citológicos, histopatológicos, entre outros para especificar qual realmente é a causa do problema e tratar de modo mais adequado possível. O tratamento é baseado no uso de antifúngicos sistêmicos, no entanto, a literatura não relata o tempo mínimo adequado de tratamento, indicando manter o protocolo terapêutico por mais 30 ou 60 dias após melhora do quadro clínico e resultados de exames negativos para criptococose. O presente trabalho tem o objetivo de relatar um caso de criptococose cutânea em uma cadela de nove anos da raça Pastor Alemão. A paciente apresentava lesões ulcerativas no membro torácico esquerdo, que causavam dor quando palpadas. O
diagnóstico foi confirmado por cultura fúngica e a terapia foi realizada com itraconazol na dose de 10mg/kg, via oral (VO), a cada 24h (q24h) inicialmente, fazendo ajustes posteriores para 20mg/kg VO, q24h totalizando cinco meses de terapia, resultando em melhora da doença e sem efeitos adversos, para a paciente relatada. Assim, é necessário que exames complementares e diagnósticos mais precisos sejam realizados para contribuírem para uma terapia adequada objetivando a cura clínica.

Palavras-chave

Cão; Cryptococcaceae; fungo; triazólicos.

Abstract

Cryptococcosis is a multisystem disease that affects humans and animals. It is transmitted by the inhalation of spores of Cryptococcus neoformans a fungal species that grows on organic matter, mainly in bird feces and decomposing wood. This disease is mainly opportunistic and is more frequently observed in cats than dogs. The clinical manifestations of this disease may vary leading to ophthalmic, respiratory, cutaneous and neurological disorders. The diagnosis goes beyond physical assessment and anamnesis, and the veterinarian may request mycological exams (fungal culture and smear from lesion), cytology, histopathology, among others, to specify what is really the cause of the problem and to treat it in the most appropriate way possible. The treatment is based on systemic antifungals, however, the literature does not report the minimum appropriate treatment time, indicating that the therapeutic protocol should be maintained for another 30 or 60 days after improvement of the
clinical condition and negative test results for cryptococcosis. This paper aims to report a case of cutaneous cryptococcosis in a nine-year-old female German Shepherd dog. The patient had ulcerative lesions in the left thoracic limb, which caused pain when touched. The diagnosis was confirmed by fungal culture and therapy was performed with Itraconazole at a dose of 10mg/kg orally, q24h initially, making subsequent adjustments to 20mg/kg orally, q24h totaling five months of therapy, resulting in improvement of the disease and without further side effects for the patient. Therefore, it is required to perform accurate complementary exams and diagnosis in order to contribute to an adequate therapy aiming clinical cure.

Keywords

Dog; Cryptococcaceae; fungus; triazoles.

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd