Por que os gatos sobrevivem mais do que os cães quando são picados por cobras?

20 de setembro de 2020

Os gatos têm duas vezes mais chances de sobreviver a uma picada de cobra venenosa do que os cães, e as razões por trás desse estranho fenômeno foram reveladas por pesquisas da Universidade de Queensland.

A equipe de pesquisa, liderada pela estudante de doutorado Christina Zdenek e o professor associado Bryan Fry, comparou os efeitos do veneno de cobra nos agentes de coagulação do sangue em cães e gatos, na esperança de ajudar a salvar a vida de nossos amigos peludos.

“A picada de cobra é uma ocorrência comum que afeta cães e gatos de estimação em todo o mundo e pode ser fatal”, disse o Dr. Fry.

“Isso se deve principalmente a uma condição chamada ‘coagulopatia consumptiva induzida por veneno‘ – em que um animal perde sua capacidade de coagular o sangue e, infelizmente, sangra até a morte.

“Na Austrália, a cobra marrom oriental (Pseudonaja textilis) sozinha é responsável por cerca de 76%  das picadas de cobras em animais de estimação a cada ano.”E enquanto apenas 31% dos cães que foram mordidos por esta cobra sobrevivem sem antiveneno, em gatos vemos 2 x  mais chances de sobreviver – ou seja, 66%.”

Os gatos também têm uma taxa de sobrevivência significativamente maior se receberem tratamento antiveneno e, até agora, as razões por trás dessa disparidade eram desconhecidas.

O Dr. Fry e sua equipe analisaram com detalhes a coagulação para testar os efeitos do veneno da cobra marrom oriental – bem como de 10 outros venenos encontrados ao redor do mundo – no plasma de cães e gatos em laboratório.

“Todos os venenos agiram mais rápido no plasma de cães do que de gatos ou humanos”, disse Zdenek.

“Isso indica que os cães provavelmente começam a ter falhas na coagulação do sangue mais cedo e são, portanto, mais vulneráveis ​​a esses venenos de cobra.

“O tempo de coagulação espontânea do sangue – mesmo sem veneno – foi dramaticamente mais rápido em cães do que em gatos.

“Isso sugere que a coagulação naturalmente mais rápida do sangue dos cães os torna mais vulneráveis ​​a esses tipos de veneno de cobra.

“E isso é consistente com os registros clínicos que mostram um início mais rápido dos sintomas e efeitos letais em cães do que em gatos.”

Várias diferenças comportamentais entre cães e gatos também têm grande probabilidade de aumentar as chances de os cães morrerem por picada de cobra venenosa.

“Os cães normalmente investigam o ambiente utilizando o nariz e a boca, que são áreas altamente vascularizadas, enquanto os gatos costumam dar tapinhas com as patas”, disse Fry.

“E os cães são geralmente mais ativos do que os gatos, o que não é muito bom depois de uma mordida, porque a melhor prática é permanecer o mais imóvel possível para retardar a propagação do veneno pelo corpo.”

Os pesquisadores esperam que seus insights possam levar a uma melhor conscientização sobre o período criticamente curto de tempo para tratamento de cães envenenados por cobras.

“Como amantes de cães, este estudo nos ajudou entender os problemas dos cães localmente, mas também tem implicações globais”, disse o Dr. Fry.

“Tive dois amigos que perderam cães grandes por picadas de cobra, morrendo em menos de dez minutos, embora as cobras marrons orientais responsáveis ​​pelos acidentes, não fossem espécimes particularmente grandes.

“Isso ressalta como o veneno de cobra pode ser devastadoramente rápido e fatal para os cães.”

Fonte: Materiais fornecidos pela University of Queensland.

Referencia do estudo mencionado na noticia:

  1. Christina N. Zdenek, Joshua Llinas, James Dobson, Luke Allen, Nathan Dunstan, Leijiane F. Sousa, Ana M. Moura da Silva, Bryan G. Fry. Pets in peril: The relative susceptibility of cats and dogs to procoagulant snake venomsComparative Biochemistry and Physiology Part C: Toxicology & Pharmacology, 2020; 108769 DOI: 10.1016/j.cbpc.2020.108769

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd
Bitnami