Índice de choque em casos de trauma veicular canino

17 de novembro de 2021

Kendon Kuo, DVM, MS, DACVECC, Auburn University

Em cães internados em unidade de terapia intensiva, os acidentes com veículos automotores são a causa mais comum de trauma contuso.1 A identificação precoce e precisa do choque pode reduzir a morbimortalidade. No entanto, reconhecer o choque pode ser um desafio durante os primeiros estágios ainda compensados. O índice de choque (IC), que é calculado dividindo-se a frequência cardíaca (FC) pela pressão arterial sistólica (PAS), foi projetado para avaliar a taquicardia no contexto da pressão arterial (PA).2 Na medicina humana, um SI> 0,9 está associado a choque grave, taxas de mortalidade mais altas, maiores necessidades de transfusão e hospitalização mais longa.3-5 

Este estudo comparou o IC em cães saudáveis ​​(n = 60) com o IC em cães que sofreram trauma veicular dentro de 24 horas da apresentação (n = 121). Os objetivos foram determinar se IC é maior em não sobreviventes em comparação com sobreviventes e avaliar a correlação entre IC e a pontuação de triagem de trauma animal (TTA), nível de lactato plasmático na apresentação e pontuação de coma de Glasgow modificada (PCGM) em cães que sofreram trauma veicular. Os cães foram excluídos do estudo se tivessem um histórico prévio de doenças sistêmicas que pudessem afetar a FC e a PA, se tivessem recebido tratamento veterinário antes da apresentação ou se tivessem recebido fluidos IV antes da medição da PA. 

Os resultados revelaram um IC médio de 1 em cães com traumas veiculares contra 0,75 em cães saudáveis. A mediana do IC foi maior em não sobreviventes (1,27) em comparação com sobreviventes (0,96). IC foi positivamente correlacionado com o escore ATT, mas não houve correlação entre IC e lactato e PCGM. O escore ATT é um escore de gravidade de doença veterinária, com escores mais altos indicando gravidade aumentada. Um ponto de corte confiável para IC não pôde ser estabelecido para prever mortalidade devido à sobreposição significativa com sobreviventes. Mas mesmo assim pudemos obter conhecimentos importantes para colocarmos em prática ao atendermos cães atropelados:

O Choque contribui significativamente para a morte, mas é potencialmente reversível. A identificação precoce pode levar a um resultado melhor.

2 O índice de choque IC (FC/PAS) é uma ferramenta de triagem rápida e fácil que pode ser particularmente útil no choque compensado quando a PAS ainda está mantida. Um IC> 0,9 a 1 pode indicar choque, mas isso ainda não foi validado. Um IC> 1 ocorre quando a FC excede a PAS.

3 Quando o IC apresenta-se >1 devemos prover monitoramento, diagnóstico e intervenção adicionais.

  1. Simpson SA, Syring R, Otto CM. Trauma grave severo em cães: 235 casos (1997-2003). J Vet Emerg Crit Care (San Antonio). 2009; 19 (6): 588-602.
  2. Allgöwer M, índice de choque de Burri C.. Dtsch Med Wochenschr. 1967; 92 (43): 1947-1950.
  3. McNab A, Burns B, Bhullar I, Chesire D, Kerwin A. Um índice de choque pré-hospitalar para trauma se correlaciona com medidas de uso de recursos hospitalares e mortalidade. Cirurgia. 2012; 152 (3): 473-476. 
  4. Vandromme MJ, Griffin RL, Kerby JD, McGwin Jr G, Rue 3rd LW, Weinberg JA. Identificando o risco de transfusão maciça em paciente relativamente normotenso: utilidade do índice de choque pré-hospitalar. J Trauma. 2011; 70 (2): 384-390. 
  5. Cannon CM, Braxton CC, Kling-Smith M, Mahnken JD, Carlton E, Moncure M. Utilidade do índice de choque em predizer mortalidade em pacientes traumaticamente feridos. J Trauma. 2009; 67 (6): 1426-1430.
  6. Kraenzlin MN, Cortes Y, Fettig PK, Bailey DB. Shock index is associated with mortality in canine vehicular trauma patients. J Vet Emerg Crit Care. 2020;30(6):706-711.

Fonte:https://www.cliniciansbrief.com/article/shock-index-canine-vehicular-trauma?utm_medium=email&utm_source=Clinician%27s+Brief+Newsletter&utm_campaign=Online+211116&oly_enc_id=6244I9827212I7K

Comentar esta notícia

Você precisa estar logado para comentar as notícias.
Desenvolvido por logo-crowd