Informações

Princípio Ativo: Naproxeno.
Classe terapêutica: Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE).

Dose

Cães: 2 mg/kg VO a cada 48 horas.
Gatos: Informação indisponível
Outras espécies: Informação indisponível

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Naproxeno

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Nunca dê naproxeno ou outro medicamento com ação anti-inflamatória ao animal, sem antes consultar um médico veterinário. Não altere a dose recomendada pelo médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • Naproxeno, comprimido
  • Naproxeno, suspensão
  • Flanax, comprimido
  • Flanax, suspensão

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Um AINE que é comumente usado em humanos, o naproxeno raramente é recomendado para pacientes veterinários. Existem alternativas mais eficazes, mais seguras e aprovadas para uso em espécies veterinárias.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em pacientes portadores de alterações hematológicas, renais ou hepáticas. É contraindicado em pacientes com úlceras gastrointestinais ativas ou com histórico de hipersensibilidade ao medicamento. Deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência cardíaca (pode causar retenção de líquidos). Os animais que sofrem de inflamação secundária a infecção concomitante devem receber terapia antimicrobiana apropriada.

EFEITOS ADVERSOS

Existe a possibilidade de efeitos gastrointestinais, hematológicos, renais e efeitos do SNC. Ocorreram relatos de úlceras gastrointestinais e perfuração associada ao naproxeno em cães. Os cães também podem ser excessivamente sensíveis aos efeitos adversos renais e tóxicos hepáticos (manifestados como aumento das enzimas hepáticas) do naproxeno. Devido ao índice terapêutico aparentemente estreito e à gravidade das possíveis reações adversas que podem ser observadas em cães, muitos médicos acham que o medicamento não deve ser usado nessa espécie.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Pese os benefícios da terapia contra os riscos de seu uso em animais prenhes. A maioria dos AINEs é excretada no leite materno. O naproxeno aparece em aproximadamente 1% da concentração sérica materna.

SUPERDOSAGEM

Como com qualquer AINE, as overdoses podem levar a efeitos gastrointestinais e renais. A descontaminação com eméticos e/ou carvão ativado é ideal. Para doses em que os efeitos gastrointestinais são esperados, deve-se considerar o uso de protetores gastrointestinais, incluindo misoprostol e sucralfato. O tratamento com protetor gastrointestinal é geralmente recomendado por 10 a 14 dias após a exposição. Se também forem esperados efeitos renais, deve-se considerar a diurese hídrica. O tratamento de suporte deve ser instituído conforme necessário. Monitore cuidadosamente o equilíbrio de eletrólitos e fluidos e faça o manejo da insuficiência renal usando as diretrizes estabelecidas.

Interações medicamentosas

AMINOGLICOSÍDEOS

Aumento do risco de nefrotoxicidade.

ANTICOAGULANTES

É possível aumentar o risco de sangramento.

ASPIRINA

Quando a aspirina é usada concomitantemente com naproxeno, os níveis plasmáticos de naproxeno podem diminuir e uma maior probabilidade de efeitos adversos gastrointestinais (perda de sangue). A administração concomitante de aspirina com naproxeno não é recomendada.

BISFOSFONATOS

Podem aumentar o risco de ulceração gastrointestinal.

CORTICOSTEROIDES

A administração concomitante com AINEs pode aumentar significativamente os riscos de efeitos adversos gastrointestinais.

FUROSEMIDA

O naproxeno pode reduzir os efeitos saluréticos e diuréticos da furosemida.

MEDICAMENTOS ALTAMENTE LIGADOS À PROTEÍNA

Como o naproxeno está altamente ligado às proteínas plasmáticas (99%), ele pode substituir outros fármacos altamente ligados; níveis séricos aumentados e duração das ações podem ocorrer. Embora essas interações sejam geralmente pouco preocupantes clinicamente, use-as com cautela.

METOTREXATO

Toxicidade grave ocorreu quando AINEs foram usados ​​concomitantemente com metotrexato; use junto com extrema cautela.

PROBENECIDA

Pode causar um aumento significativo nos níveis séricos e na meia-vida do naproxeno.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação dos AINEs ainda não são completamente conhecidos, porém sabe-se uma das principais funções é a de inibir a síntese das prostaglandinas, importante processo da inflamação. A inibição da síntese de prostaglandinas ocorre principalmente pela inibição específica das cicloxigenases (COX-1 e COX-2), e consequente redução da conversão do ácido araquidônico em prostaglandinas. O naproxeno possui bom efeito analgésico e antipirético. Inibe a COX-1 e COX-2 e atua também na inibição da agregação plaquetária.

FARMACOCINÉTICA

O naproxeno é bem absorvido pela via oral, é altamente ligado às proteína plasmáticas, sofre extensa metabolização hepática e é eliminado pelos rins principalmente em forma de metabólitos. Em cães apresenta meia-vida de 35 a 74 horas (dependente da raça), facilitando o aparecimento de efeitos adversos, que geralmente são dependentes da meia-vida do AINE para cada espécie.

MONITORAMENTO

Monitore a eficácia, efeitos adversos e hematócrito durante a terapia crônica.

Referências Bibliográficas

TASAKA A. C. Anti-inflamatórios Não Esteroidais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. <https://www.plumbsveterinarydrugs.com/#!/monograph/TnHaTRCHxX>. Acesso em 27 de maio de 2020.
Desenvolvido por logo-crowd