Referência rápida de diagnóstico e estadiamento de doença renal crônica

14 de maio de 2020

Referência rápida de diagnóstico e estadiamento de doença renal crônica

Renal em cães e gatos (IRIS 2019)

As manifestações clínicas e os achados do exame físico agravam com a progressão da gravidade da doença renal.

 

Diagnóstico de DRC

 

Apresentação clínica:

Considere: idade, sexo, predisposição racial e informações de anamnese relevantes, incluindo histórico de medicamentos, exposição a toxinas / tóxicos e dieta.

 

Nos estágios iniciais a doença renal crônica pode ser subclínica com a progressão do quadro as manifestações clínicas podem incluir poliúria, polidipsia, perda de peso, diminuição do apetite, letargia, desidratação, vômito e mau hálito.

 

Achados do exame físico:

O exame físico pode ser normal nos estágios iniciais da DRC ou podem ser observadas anormalidades na palpação renal, evidência de perda de peso, desidratação, membranas mucosas pálidas, úlceras orais, evidência de hipertensão, como hemorragias e ou descolamento de retina.

 

Para o diagnóstico de estágios (1 e 2) da doença renal crônica:

Considere um ou mais destes achados:

.  Elevação gradual da creatinina, mesmo que dentro do intervalo de referência sem     nenhuma causa pré-renal aparente.

Elevação gradual da SDMA, mesmo que dentro do intervalo de referência sem   nenhuma causa pré-renal aparente.

  1. SDMA persistentemente acima de 14 mcg/dL

3.Rins anormais em exames de imagem.

4.Proteinúria renal persistente. Avalie a proteína/creatinina urinária:

a.PCU > 0.5 em cães.

b.PCU > 0.4 em gatos.

Para diagnóstico dos estágios mais avançados (2- 4):

Ambos estes achados devem estar presentes:

1.Elevação dos valores de creatinina e SDMA séricos, sempre interpretar estes valores       levando em consideração a hidratação do paciente.

2.Concentração urinária

a.em cães  < 1.030

em gatos < 1.035

Observação: em caso de discrepância no estadiamento entre creatinina e SDMA, considere a massa muscular do paciente e reteste am  2-4 semanas. Se a discrepância persistir, classifique o paciente como no  estágio mais avançado.

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd