PERFIL DE RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS DE BACTÉRIAS ISOLADAS DE INFECÇÕES DE ANIMAIS ATENDIDOS NO UNIFAA

5 de outubro de 2020

Anna Barbara Mariotini e Elisabeth Valente Carvalho

Resumo

Introdução: As infecções bacterianas são muito frequentes em cães e gatos. Diversas infecções bacterianas não respondem bem ao primeiro tratamento, sendo então, de grande importância a realização do antibiograma antes do início da antibioticoterapia. A resistência bacteriana aos antibióticos é um fenômeno multifatorial. O uso indiscriminado desse medicamento tanto na medicina humana quanto na medicina veterinária, durante os últimos anos, é um dos responsáveis pelo rápido aumento de cepas resistentes aos antibióticos. Objetivo: Identificar as bactérias responsáveis por diversas infecções em cães e gatos atendidos na Policlínica Veterinária do UNIFAA bem como a sua sensibilidade aos antimicrobianos utilizados na rotina clínica. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo com abordagem descritiva utilizando procedimento de análise dos exames de cultura e teste de sensibilidade aos antimicrobianos, de infecções de cães e gatos, realizados no laboratório de Microbiologia do UNIFAA. Resultados: Os resultados mostraram que os principais microrganismos isolados de infecções em cães foram: Malassezia pachidermatis (36%), Pseudomonas spp. (3%), Staphylococcus spp. (44%), Enterobacteriaceae (6%), Bacillus spp. (8%). Ressalta-se também que 86,9% das culturas eram provenientes de otite. Constatou-se níveis elevados de resistência aos antimicrobianos nas cepas isoladas com destaque para uma cepa de Staphylococcus aureus resistente a todos os antibióticos testados. Conclusão: Torna-se evidente a importância da realização de testes de sensibilidade aos antimicrobianos, bem como
o papel do médico veterinário no correto tratamento das infecções bacterianas. Tais ações visam minimizar a disseminação de cepas resistentes e seu impacto na saúde animal e pública.

Palavras-chave:

Infecção bacteriana, medicina veterinária, resistência aos antibióticos

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd