Leishmaniose visceral em canino: abordagem diagnóstica e terapêutica convencional associada com a ozonioterapia – Relato de caso

30 de novembro de 2020

Visceral leishmaniasis in canine: conventional diagnostic and therapeutic approach associated with ozone therapy – Case report

Fernanda de Sousa Borges, Dennis José da Silva Lima

Resumo

A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma doença infecciosa de caráter crônico e zoonótico, causada por um protozoário pleomórfico da ordem Kinetoplastida, sendo o cão o principal reservatório doméstico de L. chagasi, tanto em ambiente urbano quanto rural, desse modo, o controle adequado e o tratamento eficaz para a manutenção do paciente com leishmaniose visceral canina faz-se importante. Assim, o objetivo neste estudo foi relatar a abordagem diagnóstica e terapêutica em canino com LVC, utilizando a ozonioterapia como suporte ao tratamento convencional. Foi atendido em uma clínica
veterinária, na cidade de Santarém, Pará, um canino, macho, da raça Dachshund, com quatro anos de idade, pesando 7 kg. O animal apresentava no dia da avaliação diminuição do apetite, apatia, êmese, emagrecimento, onicogrifose, alopecia, dermatite esfoliativa não pruriginosa e pêlos quebradiços. O animal foi positivo no teste rápido (DPP®) para leishmaniose com resultado reagente. Como tratamento terapêutico de forma assíncrona, institui-se inicialmente a aplicação de miltefosina, alopurinol e domperidona, posteriormente administrou-se cinco sessões de ozonioterapia com intervalo de 7 dias para cada sessão. Como resultados, observou-se que o paciente apresentou melhora clínica e
sintomatológica, principalmente no tecido cutâneo após a administração do ozônio, sendo evidenciados resultados satisfatórios durante o tratamento, tornando-se uma opção viável para reestabilização e/ou fortalecimento do sistema leucocitário. Ademais, neste estudo, a ozonioterapia melhorou os achados clínicos e laboratoriais do paciente, porém, não reduziu a carga parasitária tal como demonstrado pela Reação em cadeia da polimerase (PCR) quantitativo.

Palavras-chave

Miltefosina, Ozônio, PCR, Recuperação tecidual, Sistema imunológico

Abstract

Canine Visceral Leishmaniasis (CVL) is an infectious disease of chronic and zoonotic character, caused by a pleomorphic protozoan of the order Kinetoplastida, the dog, a main domestic reservoir of L. chagasi, both in urban and rural environments. Thus, adequate control and effective treatment for the maintenance of the patient with canine visceral leishmaniasis is important. Thus, the objective of this study was to report the diagnostic and therapeutic approach in a canine patient with CVL, using ozone therapy as a support for conventional treatment. At a veterinary clinic in Santarém city, Pará state, a
four-year-old male canine, dachshund, weighing 7 kg, was seen. On the day of the evaluation, the animal presented decreased appetite, apathy, emesis, weight loss, onychogryphosis, alopecia, non-pruritic, and brittle exfoliative dermatitis. The animal was positive in the rapid test (DPP®) for leishmaniasis with a reagent result. As treatment in an asynchronous manner, the application of miltefosine, allopurinol, and domperidone is initially instituted, then five sessions of ozone therapy were administered with an interval of 7 days for each session. As a result, it was observed that the patient showed a clinical and symptomatic improvement, mainly in the cutaneous tissue after the administration of ozone, with satisfactory results being evidenced during the treatment, making it a viable option for the re stabilization and/or strengthening of the leukocyte system. Furthermore, in this study, ozone therapy improved the patient's clinical and laboratory findings, however, it did not reduce the parasitic burden as demonstrated by the quantitative polymerase chain reaction (PCR).

Keywords

Miltefosine, Ozone, PCR, Tissue recovery, Immune system

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd