Estudo retrospectivo de retrovírus por teste imunoenzimático em gatos na Grande Vitória (ES, Brasil) e neoplasias associadas

9 de abril de 2021

Retrospective study of retroviruses by immunoenzymatic test on cats in Grande Vitória (ES, Brazil) and associated neoplasms

Autores

Isabella Oliveira Almeida, Mariana Arnoni Alves da Silva, Bruna Voltolin de Sena, Jeanne Saraiva da Paz, Tamara de Almeida Jaretta, Priscila Camargo Granadeiro Faria & Rodrigo dos Santos Horta

Resumo

As retroviroses encontram-se entre as principais causas de morte em gatos domésticos. Os retrovírus
associam-se à célula hospedeira de forma persistente e permanente, levando a quadros clínicos diversos. O vírus da leucemia felina (FeLV) é oretrovírus mais patogênico, com potencial para ocasionar tanto doenças degenerativas e imunossupressão, quanto doenças proliferativas, pois sua associação à célula pode levar ao efeito oncogênico direto. Já o vírus da imunodeficiência felina (FIV), pode levar à clássica síndrome de imunodeficiência, costuma ter um curso crônico, menos agressivo e não possui efeito oncogênico direto. O uso de vacinas e de medidas de controle resultaram em redução da prevalência de FeLV nos Estados Unidos da América (EUA) e Europa, entretanto, no Brasil, determinadas regiões podem apresentar prevalências superiores a 50%. Esse estudo teve como objetivo avaliar a prevalência das retroviroses felinas, pelo teste de ensaio imunoenzimático, na região da Grande Vitória, no Espírito Santo, apontando ainda, a frequência de neoplasias nesses gatos. Um total de 388 gatos foram retrospectivamente avaliados (2014-2016). A prevalência de FIV foi de 2,3% e de FeLV 33,7%. Neoplasias foram identificadas nos três gatos sororeagentes para FIV e FeLV e em três gatos infectados apenas por FIV. Constatou-se a presença de neoplasias ainda em 26,6% dos gatos sororeagentes apenas para FeLV, com destaque para o linfoma na forma mediastinal. A elevada prevalência de FeLV demonstrada neste estudo aponta sobre a necessidade da instituição de medidas efetivas de controle, com destaque para a vacinação.

Palavras-chave

Epidemiologia, retrovírus felinos, câncer, ELISA

Abstract

Retroviruses are among the leading causes of death in domestic cats. Retroviruses associate with the
host cell in a persistent and permanent way, leading to diverse clinical conditions. The feline leukemia
virus (FeLV) is the most pathogenic retrovirus with the potential to cause both degenerative diseases and
immunosuppression, as well as proliferative diseases, as its association with the cell may lead to a direct
oncogenic effect. The feline immunodeficiency virus (FIV), in turn, can lead to the classic immunodeficiency syndrome, usually has a chronic, less aggressive course and has no direct oncogenic effect. The use of vaccines and control measures has resulted in a decrease in the prevalence of FeLV in the United States of America (USA) and Europe, however, in Brazil, statistics show prevalence rates above 50%. This study aimed to assess the prevalence of feline retroviruses, by immunoenzymatic assay testing, in the region of Grande Vitória, in Espírito Santo and also point out the frequency of neoplasms in these cats. A total of 388 cats were retrospectively evaluated (2014-2016). The prevalence of FIV was 2.3% and FeLV was 33.7%. Neoplasms were identified in the three cats seropositive for FIV and FeLV and in three cats infected only with FIV. Neoplasms were also found in 26.6% of cats that were seropositive only for FeLV, especially mediastinal lymphoma. The high prevalence of FeLV demonstrated in this study highlights the need for establishing effective control measures, with emphasis on vaccination.

Keywords

Epidemiology, feline retrovirus, cancer, ELISA.

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd