ESTUDO RETROSPECTIVO DA PREVALÊCIA DE SEPSE EM CÃES E GATOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ – UEM

18 de novembro de 2020

Gabriella Santos de Andrade (PIBIC/CNPq/FA/Uem), Mateus Dias Sitko,
Gabriela Lazari, Thais Cabral de Oliveira, Lucas Gadinni, Marilda Onghero
Taffarel, Juliano Bortolo De Conti (Orientador)

Resumo

No Hospital veterinário da Universidade Estadual de Maringá (HVU-UEM), foi instituída uma Campanha de Sobrevivência a Sepse, no intuito de melhorar o conhecimento dos médicos veterinários residentes e alunos da graduação. Este estudo tem como objetivo avaliar o diagnóstico de sepse dos animais internados no Hospital Veterinário no período de janeiro de 2019 a maio de 2020, como parte da avalição dos resultados da campanha. O levantamento de dados foi feito a partir de fichas de animais internados diagnosticados ou não como sépticos e os potencialmente sépticos. Como parâmetros foram avaliados: a presença e/ou suspeita de infecção e sinais da Síndrome a Resposta Inflamatória Sistêmica e a taxa de mortalidade. Das 441 fichas analisadas 35,6% dos animais poderiam ser enquadrados como
sépticos, e a taxa de mortalidade geral foi de 10,8%. Apesar de ainda haver falhas no preenchimento de prontuários, a taxa de mortalidade por sepse foi baixa. Ainda se faz necessário a continuidade da campanha a fim de melhorar o registro de sepse para identificação precoce e tratamento adequado.

Palavras-chave

Infecção, parâmetros, sepse

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd