Diretrizes para o reconhecimento, avaliação e tratamento da dor – WSAVA

19 de dezembro de 2020

Diretrizes para o reconhecimento, avaliação e tratamento da dor - WSAVA

Autores:

Karol Mathews DVM DVSc DACVECC (Canadá)

Peter W Kronen Dr Vet Med, DVM, DECVAA (Suíça)

Duncan Lascelles BSc BVSc PhD DSAS DECVS DACVS MRCVS (EUA)

Andrea Nolan MVB DVA PhD DECVAA DECVPT MRCVS (Reino Unido)

Sheilah Robertson BVMS (Hons) PhD DACVAA DECVAA DECAWBM (WSEL) DACAW MRCVS (EUA)

Paulo VM Steagal MV MS PhD DACVAA (Brasil/ Canadá)

Bonnie Wright DVM DACVAA (EUA)

Kazuto Yamashita DVM MS PhD DJCVS (Japão)

A capacidade de experienciar a dor é partilhada, universalmente, por todos os mamíferos, incluindo os animais de companhia e, como membros da equipa de cuidados médicos veterinários, é nosso dever moral e ético minimizar este tipo de sofrimento da melhor forma que nos seja possível. Tal começa pela avaliação da dor em todos os contactos com os pacientes. No entanto, e apesar dos avanços que se têm verificado a nível do reconhecimento e tratamento da dor, continua a existir um intervalo entre a sua ocorrência e o maneio bem-sucedido da dor; a incapacidade para diagnosticar eficazmente a dor e as limitações, e/ou o conforto, com as modalidades analgésicas disponíveis continuam a constituir as principais causas de base. Ambos beneficiariam de desenvolvimento, difusão vasta e adopção de directrizes para a avaliação e maneio da dor.

A Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (WSAVA) é uma “associação de associações”, consistindo actualmente de 91 membros, que representam mais de 145.000 veterinários de pequenos animais a nível internacional. Como tal, constitui a voz global da equipa de cuidados de saúde veterinários de pequenos animais e tem uma longa história de sucesso no desenvolvimento de directrizes globais para o reconhecimento, diagnóstico e/ou tratamento de afecções comuns nos pequenos animais com relevância internacional. Até à data, estas directrizes incluíram doença hepática, gastrointestinal e renal; directrizes de vacinação; e recomendações nutricionais. Os esforços de padronização constituem uma das actividades centrais da WSAVA, que também incluem o bem-estar animal, educação contínua e o Congresso Mundial; as directrizes para avaliação e maneio da dor apresentam uma relevância única para todas estas actividades.

Tomando como base este fundamento, foi criado o Conselho Global para a Dor (GPC – Global Pain Council), encarregue de desenvolver directrizes para a avaliação e tratamento da dor com relevância global, tomando em consideração diferenças regionais no que diz respeito à postura, educação e modalidades analgésicas disponíveis. Estas directrizes serão usadas para tornar a avaliação da dor como quarto sinal vital e constituir a base para esforços de formação contínua adicionais, baseados na variabilidade regional, de modo a garantir tanto a relevância clínica como o impulso para o avanço na área.

Visão do Conselho Global para a Dor: uma profissão veterinária poderosa, motivada e unida internacionalmente, que reconhece e minimiza, de forma eficaz, a prevalência e o impacto da dor.

Missão do Conselho Global para a Dor: estimular o reconhecimento global e providenciar uma chamada à acção, baseada na consciência que todos os animais são seres sensitivos e, com tal, sentem dor e sofrem com ela. Tomando em consideração os recursos regionais específicos para o reconhecimento e tratamento da dor, e direcionando a formação, o Conselho Global para a Dor esforça-se por elevar o nível de confiança e competência na aplicação dos tratamentos da dor.

Utilização deste documento

Este documento foi concebido para proporcionar ao leitor fundamentos de base fáceis de implementar, para o reconhecimento e tratamento bem-sucedidos da dor, num cenário de rotina na prática clínica de pequenos animais. Embora não pretenda constituir um tratado exaustivo sobre o tema, o texto proporciona uma extensa lista de referências, e existe material adicional disponível no site da WSAVA (www.wsava.org), concebido de forma a providenciar recursos para quem deseje aprofundar os seus conhecimentos sobre a área, com base na literatura actual.

Não existem limitações geográficas para a ocorrência de dor, nem para a capacidade de diagnosticá-la. Os únicos factores limitantes são a consciência, educação e compromisso em incluir a avaliação da dor em todos os exames físicos. Como tal, as directrizes para a avaliação da dor aqui descritas deverão ser de implementação fácil, independentemente do tipo de clínica e/ou respectiva localização.

Por outro lado, existem diferenças regionais reais na disponibilidade das diferentes classes de analgésicos, produtos analgésicos específicos e ambiente legislativo que regulamenta a sua utilização. Este facto representa uma barreira significativa para o maneio eficaz da dor em várias regiões do Mundo, independentemente da capacidade para diagnosticá-la. Na secção de tratamento deste documento, estes problemas foram tomados em consideração, 5

mediante a “estratificação” das directrizes de maneio, começando com uma apresentação extensiva das modalidades de maneio da dor que representam o estado da arte actual, seguida de protocolos alternativos que podem ser considerados nas regiões onde as restrições legais ao uso de analgésicos previnem um maneio ideal. Dadas as limitações de espaço, não foi possível apresentar um maneio adaptado para todas as situações, mas os analgésicos disponíveis podem ser seleccionados a partir do protocolo recomendado. Também deve reconhecer-se que, em determinadas situações, seja em função da etiologia ou dos analgésicos disponíveis, a eutanásia pode constituir a única opção terapêutica moral ou ética (e, com tal, viável) possível. São apresentados os métodos humanos para eutanásia neste documento.

São, ainda, apresentadas secções sobre vários produtos e procedimentos, incluindo farmacologia, mecanismo de acção, indicações, contraindicações, posologia e notas clínicas práticas para ajudar a orientar o leitor na adaptação do protocolo terapêutico às necessidades de cada paciente individual.

Este documento deve ser considerado apenas uma fonte de directrizes, pelo que cada situação única que exija uma avaliação e tratamento individual só pode ser determinada por um médico veterinário devidamente creditado. Existem várias posições que correspondem à opinião colectiva dos autores, baseadas na sua experiência cumulativa no maneio da dor, adquirida nas respectivas áreas de especialização, mas que ainda não está apresentada em dados publicados. O grupo considera que é importante proporcionar esta orientação em áreas para as quais não existe, até à data, trabalho publicado que sustente o tratamento clínico da dor no cão e no gato.

Os conteúdos também devem ser contextualizados com os seguintes princípios de avaliação e maneio da dor:

  • • A dor é uma doença, experienciada por todos os mamíferos, e pode ser reconhecida e tratada eficazmente na maioria dos casos
  • • A avaliação da dor deve ser efectuada em todos os pacientes
  • • Tratar a dor previsível – a dor associada à cirurgia é 100% previsível
  • • A avaliação da dor constitui a chave para determinar o grau e duração do tratamento da dor, mas não deve substituir o princípio do tratamento da dor previsível
  • • A dor peri-operatória prolonga-se por mais de 24 horas e deve ser tratada em conformidade
  • • Deve praticar-se o maneio preventivo da dor – deve iniciar-se um tratamento adequado antes do procedimento, para prevenir o início da dor, que deve ser prolongado de modo a prevenir a ocorrência de dor, durante o período de tempo geralmente recomendado para o problema, ou que seja necessário para cada paciente em particular
  • • A resposta ao tratamento adequado constitui o gold standard para determinar a presença e grau de dor.

Nem sempre sabemos se o nosso paciente sente dor, mas podemos fazer o melhor que estiver ao nosso alcance para garantir que não sinta dor

Para acessar ao documento original em Inglês acesse: https://wsava.org/wp-content/uploads/2020/01/Recognition-Assessment-and-Treatment-of-Pain-Guidelines.pdf

Para acessar o documento em Português, clique abaixo!

 

Comentar este artigo

Você precisa estar logado para comentar os artigos.
Desenvolvido por logo-crowd